O xeque mate do grande jogo de xadrez da eletricidade industrial

O xeque mate do grande jogo de xadrez da eletricidade industrial

(Parte 3 de 8)

V - Condição especial para bem aproveitar os trabalhos de levantamentos das instalações na primeira etapa.

a. Exemplo: levantamento e fornecimento do diagrama unifilar geral atualizado, considerado desde a entrada dos pontos de energia para a unidade industrial até os alimentadores de distribuição das SE unitárias de rebaixamento de 34,5 kV / 380-220 V e respectivos alimentadores de CCM’s, QF’s e QL’s. Estas informações serão fornecidas nesta primeira etapa, juntamente com o Relatório, em cópia eletrônica, CAD, para possam utilizá-las de maneira mais consistente pelas áreas técnicas de Engenharia, Projeto, Manutenção e Segurança da unidade industrial analisada, e b. Todos os profissionais da unidade industrial, indicados por suas respectivas áreas técnicas deverão disponibilizar informações relativas às suas áreas que se aplicam as instruções para atividades elétricas, documentos estes que estarão analisando para posteriores comentários. Os itens solicitados às várias áreas técnicas e administrativas e, que dizem respeito a organizações de contratos, procedimentos e funcionamento dos dados, documentações e operações dos sistemas elétricos na empresa, facilitarão nas análises e realizações dos trabalhos que serão desenvolvidos conjuntamente.

2 - Itens que acompanharão as análises de levantamentos de campo das instalações elétricas e outros documentais.

A seguir estarão lendo sobre outros itens que serão analisados envolvendo todas as áreas da empresa para finalizações conjuntas das documentações básicas do Prontuário de Instalações Elétricas da empresa:

a. Estarão examinando documentações existentes, confrontando-as com as características atuais das instalações. Todas as documentações disponíveis nos Departamentos de Engenharia, os projetos, planejamentos de trabalhos que se aplicam às instalações verificarão. Este conteúdo de informações disponibilizadas devem atender particularmente as formas de construções e funcionamentos em cada uma das áreas e edificações da empresa; b. Instalações elétricas gerais: apreciarão os diagramas unifilares atuais da unidade (geral e específico de cada construção); bem como informações sobre os exames feitos no sistema energético, suas subestações transformadoras, sistemas de distribuição, aterramentos, sistemas de emergência e operações em grupos geradores, onde se incluem o contrato entre a empresa e a concessionária de fornecimento de energia elétrica. Devem fornecer para as análises os cronogramas de ações e metas adotados para regularizações de pendências levantadas; c. Informar sobre as características dos quadros elétricos, seu grau de proteção e identificação contra choques elétricos; d. Entende-se ainda que estes itens também estejam sendo verificados: Protocolos e Fichas de Controles; Estudos de

Termovisão; testes e relatórios; os dados, relatórios e manuais sobre os Planos de Manutenções Preditivas, Programadas, Preventivas e Corretivas; Controles sobre as instalações e atividades técnicas em seu Meio Ambiente; Relatório de amplo espectro que ditam sobre ferramentas e vestimentas. Enfim, todos os itens devem constar das documentações da Engenharia, a exemplo dos relatórios de medições de grandezas elétricas; de harmônicas, aterramentos e outros tantos cabíveis relacionadas a isolamentos de cabos, seletividade, estudos de arco incidentes, memórias de cálculos das instalações e desenhos como diagramas unifilares da planta e, seus específicos unifilares e trifilares de quadros e painéis elétricos, e até mesmo multifilares convenientes e etc.

e. Importante: sempre que os auditores tiverem que acessar áreas previamente ou não selecionadas este devem seguir para campo sempre acompanhados, preferencialmente, por eletricistas de Controle e Força; com conhecimentos das situações da empresa ou unidades dela, para que os auxiliem nos serviços de levantamentos de campo, quando de suas avaliações desconformes de áreas e instalações.

Auditores Internos NR-10 Pág. 9/29

Luís Eduardo de Oliveira - Independent Professional Training & Coaching - E-mail: luedu50@gmail.com - Cels. 19 98122-6378 / 19 99881-5817 f. Para facilitar e tenham ideia quanto à reunião dos vários itens que traduzem instalações elétricas, descrevi nos dados subsequentes, alguns títulos de documentações os quais terão que agruparem ordenadamente na segunda etapa para sua organização documental. As análises sobre todos os itens são necessários, visto a importância e abrangência do segmento elétrico. Os documentos têm que ser bem claros, em todas as pastas. Especialmente nas funcionais de Engenharia/Projetos/Manutenção e Segurança do Trabalho, se bem lógico precisas também nas demais.

3 - Complementos sobre análises das instalações elétricas e documentações para certificações.

Considerando a importância e responsabilidades da empresa e, dos profissionais de todas as áreas envolvidas, todos têm neste processo de organização do segmento elétrico a obrigação de serem certeiros em suas ações e emissões documentais. Por isto torna-se importante que os técnicos da empresa bem colaborem entre si a fim de que os trabalhos nesta etapa concluam com seguras informações.

Esta primeira etapa se concluirá após o exame de itens complementares que envolvem todos os procedimentos, onde se notam o envolvimento do homem em suas execuções em meio as Instalações e equipamentos elétricos; em suas atividades em manutenções, operações e instalações elétricas. Assim tudo que se referem às liberações, cartas de autorizações formais, treinamentos, exames e outros documentos que pesam sobre as atividades dos funcionários estarão sendo apreciados.

Obs.: Os Auditores Internos NR-10 devem manter nesta etapa, no decorrer de suas atividades de exames das documentações existentes perfeito contato com as áreas mencionadas, aqui reiteradas: Engenharia, Projetos e Manutenção; Segurança e Medicina do Trabalho, Meio Ambiente, Recursos Humanos, Qualidade, Jurídico, Financeiro e Controladoria, Suprimentos. (Compras e Almoxarifado), Tecnologia da Informação - TI, e de outros dados que compõem esta organização para que se tenham procedimentos e liberações corretamente seguras e legais, que atendam as condições de trabalhos, o funcionamento das instalações e segurança em operações nos sistemas e instalações elétricas.

4 - Verificações e fornecimentos de relatório sobre as avaliações técnicas e documentais.

Todas as verificações serão particulares, feitas em cada uma das áreas envolvidas, com possibilidades claras de acompanhamento dos dirigentes principais (supervisores) indicados pelo Gestor Principal do Grupo Gestor de Segurança Elétrica da empresa. Os auditores selecionados, responsáveis pelas apreciações das documentações comentarão com estes supervisores das áreas específicas sobre seus itens e fornecerão quando cabível as orientações convenientes para que possam corrigir ou concluírem sobre seus dados e organização as documentações pertinentes às suas pastas.

5 - Investimentos para atividades internas.

Todo planejamento culmina em investimentos importantes. Os que pesam sobre os trabalhos da NR-10, por requerer apropriada equipe, contendo pessoal com conhecimentos nas diversas ações a que se aplicam as suas áreas de atuações terão que dispor de tempo para frequentes reuniões de avaliações, estudos e conclusões. Sendo assim, o bom planejamento para absorções de verbas e pessoal tem que ser bem organizado, acompanhado por metas seguras para que a Alta Direção da empresa as compreenda e liberem com tranquilidade as propostas para regularizações pendentes.

6 - Investimento com contratações terceiras (independentes) que se somarão as ações de grupos internos.

Certamente descreverão desta forma sobre empresas contratadas para consultorias dos trabalhos de regulamentações documentais em segunda etapa:

Em caso de investimentos por contratações externas independentes para as realizações dos levantamentos técnicos de campo, elaboração do diagrama unifilar geral da planta; do relatório de avaliações sobre desconformidades que se aplicam as instalações elétricas e documentações, e para informações quanto aos planos de trabalhos e investimentos que se aplicarão a próxima fase (segunda etapa) certamente se pagará por isto “x” reais, valor(es) este(s) que deve(m) ser seguramente considerado e, para isto podem ser preços fixos e irreajustáveis já que sabem corretamente e, de antemão o que realizarão para as adequações previamente analisadas.

Obs.: Importante que estejam inclusos nestes investimentos: salários, tributos, encargos sociais, trabalhistas, previdenciários, transporte, estadas, despesas administrativas, infraestrutura básica, convênio médico, seguro, elaboração de Relatório Técnico de Avaliações, a atualização do diagrama unifilar geral; o respectivo documento de responsabilidade técnica (ART), planilhas de investimentos e serviços previstas para que façam parte das adequações das documentações da segunda etapa e que se referem às instalações dessa unidade da empresa, lucro, além de outros dados e despesas que couberem ao objeto desta prestação de serviços.

Com certeza todos sempre serão cobrados pela Alta Direção da empresa sobre a eficiência de seus trabalhos e propostas de investimentos para as adequações sugeridas, por este e motivo não devem falhar em suas realizações.

Auditores Internos NR-10 Pág. 10/29

Luís Eduardo de Oliveira - Independent Professional Training & Coaching - E-mail: luedu50@gmail.com - Cels. 19 98122-6378 / 19 99881-5817

Segunda Etapa Consultoria - ADEQUAÇÕES DOCUMENTAIS ENVOLVENDO TODAS AS ÁREAS TÉCNICAS E ADMINISTRTIVAS - Auditores NR-10

AUDITORIA TÉCNICA INTERNA NAS INSTALAÇÕES E DOCUMENTAÇÕES DO SEGMENTO ELÉTRICO DA EMPRESA PARA VERIFICAÇÕES SOBRE O CORRETO ENQUADRAMENTO, COMPATIBILIZAÇÃO E ADEQUAÇÕES DE CONFORMIDADES AOS PADRÕES DE OBJETO DE LEI A NORMA REGULAMENTADORA NR-10 DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO.

I - Organização de todas as documentações do Prontuário das Instalações Elétricas da empresa.

Em decorrência dos resultados obtidos com os trabalhos de auditorias internas e, de informações externas independentes, inerentes às desconformidades apresentadas nas análises em primeira etapa os trabalhos seguirão. Avançarão agora nesta segunda etapa com a organização documental, pois até então por não conhecerem bem suas instalações e documentações não tinham como saber sobre a forma mais segura que assegurassem corretos e responsáveis procedimentos já que vinham executando suas atividades com possíveis falhas.

Cientes de suas faltas e falhas e, envolvidos com a organização estarão adequando nesta “segunda etapa” todos os documentos da empresa que dizem respeito às instalações de seu segmento elétrico, providenciando adequações com elaborações de desenhos, manuais, cálculos e tantos outros itens onde observaram sua inexistência ou inadequações. Neste novo processo de organização continuarão envolvidos com todas as áreas técnicas e administrativas da empresa, inseridas dentro deste contexto eletricidade, assim se concluirão termos e viabilizarão propostas, contratos e investimentos, que disponibilizarão para adequações físicas em “terceira etapa” de trabalhos.

Adotarão nesta segunda etapa procedimentos que podem levar a contratação de terceiros para estarem colaborando com a equipe interna nas elaborações de desenhos, projetos, planilhas, como por exemplo, a contratação de projetistas cadistas e outros técnicos para funções administrativas, até mesmo uma consultoria a fim de ajudarem nas adequações documentais faltantes.

Com equipe, já constituída e, cientes das pendências realizarão nesta segunda etapa as adequações de todas as documentações que se referem ao uso e funcionamento do segmento elétrico atendendo para estes trabalhos no mínimo estes itens:

1. Elaboração dos diagramas unifilares de força dos quadros e painéis elétricos; 2. Elaboração dos diagramas unifilares de força dos CCM’s e PLC’s;

3. Elaboração das APR’s - Análises Preliminares de Riscos de todos os pontos de instalações e localizações dos quadros e painéis elétricos;

4. Elaboração das APR’s - Análises Preliminares de Riscos de todos os pontos de iluminações internas e externas industrial;

5. Elaboração das APR’s - Análises Preliminares de Riscos de todos os pontos de instalações dos quadros e painéis elétricos;

6. Elaboração das APR’s - Análises Preliminares de Riscos de todos os pontos de instalações dos motores elétricos;

7. Elaboração das APR’s - Análises Preliminares de Riscos abrangendo todos os componentes da Subestação Principal da unidade industrial;

8. Elaboração das APR’s - Análises Preliminares de Riscos das Subestações Secundárias e Entrada de Energia nas empresas;

9. Elaboração de Ordens de Serviços específicas com Procedimentos Corporativos de Trabalhos e de Segurança com Investimentos previstos em Centro de Custos;

10. Atualização dos desenhos com detalhes e especificações contendo os conjuntos de acessórios e equipamentos (componentes) da Subestação Principal (138 kV ou de outras características construtivas);

Auditores Internos NR-10 Pág. 1/29

Luís Eduardo de Oliveira - Independent Professional Training & Coaching - E-mail: luedu50@gmail.com - Cels. 19 98122-6378 / 19 99881-5817

1. Atualização dos desenhos com detalhes e especificações contendo os conjuntos de acessórios e equipamentos (componentes) de todas as Subestações Secundárias (Unitárias);

12. Elaboração de projetos de SPDA e aterramentos industriais, incluindo licitações técnicas e Memoriais Descritivos, com os Procedimentos de Implantações e Segurança do Trabalho, APRs que se aplicam aos diversos tipos de trabalhos, mais investimentos e os cronogramas de ações;

13. Elaboração dos desenhos e memorias descritivos contendo as informações para execuções dos aterramentos auxiliares para as instalações de subestações principal e secundárias, salas e painéis de CCMs e PLCs;

14. Elaboração dos desenhos e memoriais de implantações sobre aterramentos de salas de Tecnologia da Informação, laboratórios de análise e da qualidade, salas especiais de produtos químicos e laboratórios de análises médicos industriais. Cabem a estes aspectos de choques elétricos, faiscamentos e eletricidade estática;

15. Elaboração das especificações de proteções para implantações, incluindo Memorial Descritivo sobre Surtos Elétricos Transitórios, mais as planilhas de materiais, suas aplicações, investimentos e OS - Ordens de Serviços;

16. Elaboração do Manual de Almoxarifado com informações de componentes e equipamentos elétricos certificados, contendo códigos, nome de fabricantes para que permaneçam a disposição das áreas de Manutenções Técnicas Elétricas e Mecânicas, Segurança do Trabalho e Suprimentos;

17. Constituir informações sobre medições de níveis de iluminações diurnas e noturnas nas instalações industriais, com emissão de Relatórios Diagnósticos e Laudos técnicos;

(Parte 3 de 8)

Comentários