Diario de Um Adolescente Hipocondriaco - Aidan Macfarlane

Diario de Um Adolescente Hipocondriaco - Aidan Macfarlane

(Parte 5 de 7)

Capítulo 4 BLITZ NA ESCOLA: ALUNO É PEGO COM MACONHA Segunda-feira, 4 de março

Cheguei à conclusão de que não estou deprimido, mas já vi que tem um ou outro professor que está. Pelo menos a minha dor de cabeça passou.

Terça-feira, 5 de março

Encontrei um livro sobre sexo e puberdade no meu quarto. Como será que ele foi parar lá?

Quarta-feira, 6 de março

Emoção de verdade. Jornalistas e policiais por tudo quanto é canto, nos fazendo um monte de perguntas. Um babaca do segundo grau chamado Smith, cujo passatempo favorito é implicar com fracotes de 50 quilos feito eu, estava oferecendo maconha para os alunos da oitava série. Sr. Rogers encontrou uma pobre criança vomitando atrás do galpão das bicicletas. A mamãe me fez um interrogatório digno da Gestapo quando cheguei em casa. Ela ficou sabendo de tudo pelo noticiário do rádio. Ele já tinha me oferecido maconha? Eu já tinha provado alguma vez? E os meus amigos? Quando ela terminou, eu já estava convencido de que a minha turma inteira era viciada em heroína. O pior é que eu sei que a mamãe toma um comprimido para dormir de vez em quando. Eu disse a ela que era melhor tomar cuidado, senão ela podia acabar ficando viciada.

Susie está com diarréia. Tomara que eu não pegue. Quinta-feira, 7 de março

Às sete horas da manhã, eu já estava na rua, enfrentando as pessoas fazendo jogging e o cocô dos cachorros, para ir apanhar o jornal local. Finalmente a fama! Estava tudo lá:

ALUNO DE 17 ANOS VENDE MACONHA NA ESCOLA

Um aluno do segundo grau da Escola Wendels foi preso ontem sob a acusação de oferecer maconha para os alunos mais novos. Ele culpou seus amigos por tê-lo viciado. “A primeira vez que experimentei foi na casa de um amigo, numa noite de sábado. Tinham resolvido me deixar chapado. Isso me deixou muito irritado no início. Mas depois eu já estava achando excitante fumar maconha, e não estava assustado. No começo, é igual a fumar cigarro, mas dava um efeito gostoso também. Eu não conseguia parar de rir. É que nem ficar bêbado, só que sem a sensação de enjôo. Antes eu só fumava quando me ofereciam maconha nas festas. Depois conheci uma pessoa que disse que conseguia arranjar fácil. Meus amigos começaram a me procurar para comprar. Depois essa pessoa começou a pegar pesado. Ele queria que eu começasse a experimentar outras coisas, mas eu não quis. Eu sei o que as outras drogas fazem com as pessoas. Eu não ia injetar nada, de jeito nenhum. Acho isso nojento.”

“É assim que esses garotos acabam ficando viciados. Os vendedores da droga ‘pesada’ apresentam a eles uma droga como a maconha, e depois dizem: ‘Por que você não cheira isso?’ ou ‘Põe só um pouquinho na bebida’. Quando vão ver, eles já estão viciados em heroína, cocaína ou anfetaminas. Basta usar heroína duas ou três vezes por semana, durante duas semanas, para ficar viciado”, comentou o inspetor de Policia James. 0 diretor da escola, Sr. Macintosh, afirmou que estava escandalizado e assegurou aos pais que nunca tinha acontecido nada parecido na escola. Um compenetrado aluno da oitava série considerou a situação repugnante: “Se o álcool e o tabaco tivessem sido descobertos agora, eles também teriam sido declarados ilegais, e já estava na hora de proibirem o cigarro na sala dos professores. O fumo e a bebida são apenas um outro tipo de droga.”

Fui eu! Essa última parte quem disse fui eu para o cara. Publicaram tudo no jornal! Sexta-feira, 8 de março

Boatos por toda parte. Estavam vendendo LSD na cantina da escola. Tinha uma fábrica de anfetaminas no laboratório de química (metade da escola foi lá hoje para ver se era verdade) O Sr. Macintosh falou com a gente no auditório. Fizeram um silêncio absoluto quando ele começou:

— É do meu conhecimento (o que não é de se espantar, já que saiu no jornal e no rádio!) que certos elementos (ele estava falando da gente!) estão desmoralizando a escola através de suas ações. Os funcionários têm ordens de procurar qualquer indício de que este hábito perverso tenha se espalhado...— Resumindo, ele estava levando a coisa muito a sério. Foi se criando a maior agitação. As pessoas foram se juntando em grupinhos pelos cantos e começaram a cochichar, olhando desconfiadas para todo aluno do segundo grau que passava. O coitado do Sam foi parar na sala do diretor porque usou uma bombinha para a asma e pensaram que ele era viciado. Não contei à Cilla da minha declaração para o jornal. Talvez algum dia ela leia o meu diário e perceba como eu sou genial

Domingo, 10 de março

Fim de semana chato. Não está passando nenhum filme bom, e estamos sofrendo uma invasão das amigas da Susie. Tentei assistir à TV sem parar, mas fiquei de saco cheio. Talvez eu experimente maconha, afinal.

Terça-feira, 12 de março

Há dois dias que dois homens vestindo jeans desbotados — que nem Starsky e Hutch — não saem da frente da escola. Eles pareciam dois maníacos sexuais, mas na verdade eram policiais do esquadrão de entorpecentes. Perdi a aula de biologia para ouvir a palestra deles. Fiquei em pânico, o que, aliás, devia ser a intenção deles.

Eles começaram dizendo que não existe um motivo especifico para adolescentes tomarem drogas. Provavelmente vão oferecer para a gente algum dia. Pode ser numa festa ou num bar. E, geralmente, é alguém que a gente conhece. A maioria vai dizer não.

Mas vai ter gente que vai experimentar por curiosidade, por puro tédio, ou porque tem amigos que estão fazendo a mesma coisa. Outros vão aceitar porque gostam de se arriscar, ainda mais se souberem que os pais não vão gostar. Eles disseram que é normal querer experimentar coisas diferentes, mas é importante saber dos riscos. Afinal, as drogas são ilegais porque SÃO perigosas. Até a maconha é ilegal, e pode meter você numa encrenca com a policia.

Aqui estão algumas informações que eles passaram para a gente. A policia pode parar e revistar qualquer pessoa suspeita de estar carregando drogas. Na Inglaterra, no ano passado, 19.0 pessoas foram condenadas por posse de drogas, e 3.0 foram presas por venda. A pena máxima para quem vende heroína, cocaína ou ácido lisérgico (LSD) é a prisão perpétua, e para quem usa qualquer uma dessas drogas, quatorze anos. A pena máxima para quem vende maconha, haxixe ou anfetaminas é de dez anos, e para quem usa, cinco.

Com alguma sorte, Sapen Smith vai pegar dez anos de prisão (será que dá para fazer o vestibular na cadeia?).

Ai eles disseram pra gente os nomes de todas as drogas. A maconha, ou cannabis, também é chamada de erva, bagulho, baseado, fumo, preto, chocolate e marijuana; as anfetaminas, de bolinha, piti, arrebite e anfeta; a cocaína, de coca, pó, brilho, Branca de Neve, bright ou branco, além de uma forma altamente viciante, chamada crack; a heroína, de pico ou herô

Os policiais admitiram que um vÍcio não puxa necessariamente o outro (ainda bem). Senão, eles já estariam se enchendo de heroína agora, porque não paravam de fumar. Resolvi que não vou me viciar nem em nicotina. Talvez eu consiga ganhar algum dinheiro com o papai se não fumar, que nem o pai do Sam prometeu para ele. Será que esse tipo de informação pode acabar fazendo com que alguém tenha vontade de experimentar alguma droga? Acho que não, ainda mais depois do que eles explicaram logo a seguir: o efeito negativo das drogas.

A maconha dilata a pupila, deixa a boca seca, atrapalha a fala, desorganiza os pensamentos, faz com que as sensações sejam lentas e abafadas, e às vezes dá muito enjôo (como aconteceu com o coitado do garoto para quem o Smith tentou empurrar o baseado). Se você usar maconha muito tempo, você pode ter perda de memória e a sua capacidade de aprendizado pode diminuir. Você pode ser preso, mesmo se fumar uma vez só.

As anfetaminas provocam excitação. perda de sono, tremores, tontura, suores frios, rubor de pele e ansiedade.

Os viciados em heroína são chamados de “mortos-vivos”. Eles costumam ter tremedeiras, cãimbras, suores frios, pupilas contraídas, letargia, vômitos, problemas no fígado, doenças de pele, AIDS, e por aí vai.

Cheirar cola, ou algum tipo de solvente, às vezes pode causar infecções pulmonares e problemas no fígado e nos rins. As pessoas que cheiram cola ficam com marcas vermelhas em volta do nariz e em torno da boca. Mas o maior perigo é cair de um prédio, ser atropelado, ou se afogar enquanto você está sob o efeito da droga. Cheirar gás butano (o gás que é usado nos isqueiros) pode fazer com que você caia morto na mesma hora.

A cocaína pode causar depressão, feridas na parte de dentro do nariz e paranóia (tive que procurar esta palavra no dicionário. É quando você acha que todo mundo te odeia. Eu tenho esse problema o tempo todo. Só que eu não acho, eu tenho certeza).

Depois disso, na hora do almoço, eu tive que me sentar ao lado de um pudim de 100 quilos: o Gary Tripa-de-fome. Ele é realmente viciado — e não só em comida, como a gente veio a saber. Ele afrouxou o cinto e soltou a língua. Ele contou tudo, com metade da escola ouvindo:

— A primeira vez que eu cheirei cola— e outra salsicha gordurosa desapareceu entre as suas mandíbulas amarelas e fedorentas — foi junto com outros caras num prédio de estacionamento perto do supermercado. Eu já cheirava gás há alguns meses e já estava acostumado a ficar tonto. Então continuei a cheirar até cair no chão. — Não sei como é que o estacionamento não desabou. — Quando eu estava cheirando, vi um monte de monstros e fantasmas saindo da parede. Vi também umas coisas me atacando. Quando você cheira cola pela primeira vez, podem acontecer três coisas: você pode cair morto, ficar muito feliz, ou muito deprimido. No meu caso, fiquei deprimido. Não consigo me lembrar do motivo, porque eu estava muito doido. Na hora em que eu já estava com vontade de me matar, consegui me acostumar, e comecei a achar gostoso. No início, eu fiquei muito preocupado. Mas depois de algum tempo, eu só ficava preocupado quando tinha dor de estômago, ou quando começava a cuspir sangue. A única coisa perigosa que aconteceu comigo foi quando eu estava no parque. Eu estava muito doido. Precisava de mais cola, então atravessei a rua correndo para ir comprar. Quase fui atropelado por um ônibus. — O ônibus não sabe da sorte que teve.

Acabou que o Gary largou o vício. Ele agora acha que devia ter uma lei proibindo que vendessem cola para crianças. Então, eu falei que ele tinha passado da cola para comilança, e da comilança para a nojeira por causa de uma necessidade de ‘gratificação oral”. Tive que explicar que isso queria dizer que ele gostava de se empanturrar. Ele disse que já sabia disso, então para que falar tão complicado?

Quarta-feira, 13 de março

Não pára de chover. Starsky e Hutch sumiram, e obviamente as meninas pararam de ficar plantadas no portão da escola.

Sexta-feira, I5 de março

O humor da mamãe está do tipo “por que todo mundo está implicando comigo?’ Ela saiu todas as noites da semana para fazer as suas “boas ações” pela vizinhança. O resto da família se reuniu num conselho de guerra para descobrir um jeito dela ir dormir — coisa que ela se recusa a fazer quando está muito cansada. Ela prefere se arrastar pelos cantos e ficar implicando com a gente. Até que o papai deu com ela dormindo na banheira, coberta com páginas ensopadas da revista Women’s Own. Ela tem péssimos hábitos de leitura, mas pelo menos não vai precisar tomar remédio para dormir hoje.

SERÁ QUE A SUSIE JÁ

Capítulo 5 Sábado, 16 de março

Fiz uma grande descoberta hoje (tomara que ninguém leia ISSO!). A Susie saiu de manhã com a mamãe, para ir comprar roupa outra vez. Isso depois de passar horas resmungando que não agüentava mais ficar usando as roupas velhas da Sally. Agora ela só quer andar na moda, que nem as amigas. Eu estava procurando desesperadamente a minha única camiseta limpa, aquela em que está escrito “quero crescer feliz e contente, tire a Bomba da vida da gente”. Todas as minhas camisetas estão sujas. Para variar, esqueci de entregar para a mamãe lavar, então está tudo enfiado entre a minha cama e a parede do quarto. Fui achar a camisa na última gaveta da cômoda da Susie, JUNTO COM O DIÁRIO DELA! Eu não ia ler, mas ele caiu aberto bem na minha mão.

Terça-feira, 19 de fevereiro Fui dormir na casa da Kate.

Quarta-feira, 20 de fevereiro

A Bovril não pára mais em casa. Parece que toda noite ela arranja um namorado novo. O papai já está de saco cheio do cheiro que eles deixam.

Que chatice! Não sei por que as meninas se dão ao trabalho de escrever um diário para ficar falando desse tipo de coisa.

Quinta-feira, 21 de fevereiro

A Kate disse que está a fim do Pete. Contei para ela que ele limpa o nariz com o dedo quando toma banho.

Isso já é mais interessante.., mas a Kate? Ela nem tem peito ainda. E não é no banho que eu limpo o nariz.

Sexta-feira, 2 de fevereiro

Tomara que meus pais não estejam se separando. Eles tiveram uma baita briga hoje. A culpa foi do Pete. Ele ficou implicando comigo outra vez. A SaIly disse que não vai acontecer nada, mas eu não sei.

Terça-feira, 26 de fevereiro

Tem um cara lá na escola, chamado Dave, que é muito nojento. Ele só usa calça bocade-sino. Hoje, ele perguntou para a Kate se ela já tinha ficado menstruada. A Kate ficou toda vermelha. Ela disse que não, e que ele não tinha nada com isso. Depois ela me contou que já tinha ficado. Foi por isso que ela não foi nadar comigo na semana passada. Fiquei muito chateada por ela não ter me contado antes. Já tinha começado há dois meses. Foi quando ela estava na casa da avó. Ela foi dormir cedo porque estava com muita dor de barriga. Quando acordou de manhã, pensou que tivesse feito xixi na cama. Mas era só um pouquinho de sangue. Ela ficou morrendo de vergonha e não sabia o que fazer com o lençol. Mas a avó dela foi super legal. A Kate disse que a mãe dela já tinha tido uma conversa com ela sobre isso, e que ela estava torcendo para ficar menstruada logo. Mas agora que ela ficou, está se sentindo meio incomodada. Mesmo assim, ela está contente porque agora está entre as meninas que ficaram menstruadas esse ano. Aí fui EU que comecei a me sentir totalmente de fora. Bom, a avó dela comprou um pacote de modess. Não tinha nenhum em casa, porque ela já parou de menstruar há anos. Ela disse que quando era nova, ninguém explicou nada para ela. Naquela época chamavam menstruação de mal das mulheres”, ou de ‘incômodo”. Todo mundo achava isso sujo.

Quando as mulheres ficavam menstruadas, elas não podiam nem lavar o cabelo. A avó da Kate tinha que usar um cinto de elástico para prender uma toalha grossa no lugar. Ela tinha a impressão de que estava usando uma fralda. Ela sabe que agora as meninas têm a sorte de poder usar absorventes mais finos e confortáveis, aderentes à calcinha — a última moda em absorventes. A mãe da Kate também tinha falado dos tampões. Ela disse que a Kate podia usar sem problemas, ainda mais se quisesse ir nadar, mas a Kate ainda não sabia se ia querer experimentar.

Estou lendo um livro chamado “Você já menstruou?”. Foi a mãe da Kate que deu para ela. Ele é muito bom, e explica tudo o que acontece e porque, além de mostrar a opinião de um monte de gente sobre o assunto. Tudo de uma maneira simples. Acho que eu ia ficar sem graça de falar sobre menstruação com outra pessoa, mas acho legal ler sobre isso. Não sei como é que vai ser comigo, mas não estou com muito medo. Acho que é uma coisa que faz parte do nosso crescimento, só isso. É estranho pensar que algumas amigas minhas já podem ter filho. Acho muito esquisito.

(Parte 5 de 7)

Comentários