Apostila9

Apostila9

(Parte 2 de 8)

⇒ Encaminhá-lo ao banho fornecendo-lhe os materiais e roupas necessárias (pijama, camisola, toalha, sabonete); Arrolar pertences (roupas e valores), preenchendo impressos próprios, especificando detalhadamente o que contem, encaminhando os valores arrolados para o local de guarda valores, mediante assinatura do funcionário que recebeu os valores para a guarda. A primeira via do impresso acompanhara os valores, a segunda via devera retornar a unidade a ser arquivada no prontuário do cliente até sua alta, transferência ou óbito. Quando os familiares estiverem presentes, fazer a entrega de todos os pertences aos mesmos: Verificar peso e altura; Acomodar o cliente no leito: Verificar os sinais vitais; Realizar entrevistas; Horário de admissão; Procedência; Condições de admissão (cadeira de rodas, maca, deambulando, acompanhado ou não); Motivo do internamento; Queixas, sinais e sintomas; Acuidade visual e auditiva; Uso de fuma, bebidas, drogas; Eliminações (urinária intestinal) Outras patologias (diabetes, tuberculose, bronquite, etc...); Internamentos anteriores (motivo);

Circuito Escola

São Vicente - São Paulo Telefone (13) 3466-1000

Uso de medicamentos (nome, dosagem, horário). Se o cliente trouxer medicamentos de casa, liste todos os medicamentos, instrua-o a não tomá-los sem previa autorização do médico e enfermeiro, ou rotular e identificá-los guardando-os em lugar seguro ou devolvê-los aos familiares ou acompanhantes.

Uso de próteses (dentária etc...). Hemotransfusões (quantas vezes, data, mês). Tipo sanguíneo; Alergias a medicamentos, alimentos, materiais, soluções, etc.

TRANSFERÊNCIA HOSPITALAR. É a remoção ou saída do cliente de uma unidade para outra do próprio hospital ou clinica.

Melhorar clinica (ex.: transferência da UTI para unidade de clinica médica); Mudança de especialidade (exemplo: da clinica neurológica para clinica ortopédica).

Certificar-se da solicitação da transferência; Preencher o impresso “Aviso de Transferência” em duas vias; Enviar a 1ª via do Aviso de Transferência para o Serviço de Internação, solicitando a vaga para o setor determinado no aviso, mediante assinatura do funcionário do Serviço de Internação; Arquivar no prontuário a Segunda via do Aviso de Transferência; Após a confirmação da vaga pelo Serviço de Internação no setor solicitado, entrar em contato com o enfermeiro da unidade destino, confirmando o horário para transferência do cliente; Preparar o cliente para transferência, fornecendo-lhe todas as orientações necessárias; Reunir medicamentos, prontuário e pertences do cliente; Transferir o cliente assim que a unidade destino estiver pronta (fazer a checagem por telefone).

Anotar no relatório de enfermagem: hora de transferência, condições do cliente, setor para o qual foi transferido e assinatura do responsável pela transferência. Transferir o cliente juntamente com o prontuário completo, pertences e medicamentos, em cadeira de rodas ou maca, conforme condições do cliente avaliadas previamente pelo enfermeiro; Informar adequadamente o enfermeiro da unidade destino sobre o estado do cliente,cuidados prestados, medicamentos administrados e outras observações que se fizerem necessárias; Fazer a entrega do prontuário, medicamentos e impresso “ Arrolamento de Pertences” mediante assinatura do protocolo; Anotar a transferência no Censo Hospitalar ou Livro de Registros; Providenciar a desinfecção ou limpeza terminal da unidade; Comunicar SND, SFH e S.I.

OBSERVAÇÕES - Transferir o cliente sempre que possível fora dos horários de refeições e administração de medicamentos;

- Evitar prontuário completo, incluindo os exames complementares;

- A solicitação de transferência deverá ser feita, pelo encaminhamento da primeira via do Aviso de Trans ao

Serviço de Internação, que é responsável pelo controle e disponibilizarão das vagas de acordo com as possibilidades, comunicando a unidade destino, sobre o leito a ser reservado para a transferência;

- Deixar sempre a segunda via do “Aviso de Transferência” no prontuário do cliente, sobre todos os impressos para que fique visível a todos os funcionários;

- Registrar no prontuário e passar plantão para os turnos posteriores sobre a situação em que se encontra a transferência do cliente, caso não tenha sido transferido até a troca de plantão; - Comunicar o S.F.H e S.N.D. da transferência do cliente depois de efetuada a transferência;

- Checar as medicações e cuidados realizados antes de transferir o cliente;

- Fazer os registros de todos os cuidados prestados no prontuário;

- Registrar o material e medicamentos enviados junto com o cliente transferido em livro de protocolo.

Circuito Escola

São Vicente - São Paulo Telefone (13) 3466-1000

ALTA HOSPITALAR É a sida do cliente do hospital ou clínica, para casa ou para outro hospital ou clínica.

Melhora clinica; A pedido do cliente e ou familiares; Necessidades de atendimento em outros serviços especializados; Indisciplina; Necessidade de ausentar-se do hospital ou clínica ou para resolução de assuntos particulares; Problemas administrativos.

TIPOS DE ALTA Alta hospitalar Convencional;

Alta hospitalar a Pedido; Alta hospitalar Disciplinar; Alta hospitalar Condicional; Alta hospitalar Administrativa.

Certifica-se da Alta Hospitalar, que deve ser assinada pelo médico; Informar o cliente e familiares; Preencher o impresso “Aviso de Alta”, em duas vias; Encaminhar as duas vias do “Aviso de Alta” ao serviço de internação, entregar ao funcionário responsável, que deverá assinar as duas vias do Aviso; Encaminhar a segunda via do “Aviso de Alta” para a unidade arquivando-a no prontuário do cliente até sua saída; Fazer orientações de alta, ao cliente ou para os familiares, se ele não estiver em condições de receber informações sobre: repouso, uso de medicamentos (entregar receita médica), dieta, curativos, retorno hospitalar, clínica ou ambulatório. Auxiliar o cliente a vestir-se ou fornece-lhes as roupas pra que ele mesmo faça ou aos familiares para que o auxiliem; Fazer a entrega do impresso “Arrolamento de Pertences”, orientando para que retirem os pertences no setor de guarda pertences; Entregar a segunda via do impresso “Aviso de Alta”, ao cliente e ou acompanhante (familiares), orientando para que seja entregue no balcão de saída; Fazer anotações no prontuário, referente a hora da saída, tipos de alta, condições do cliente, presença ou não de acompanhante e orientações fornecidas; Encaminhar o cliente até a saída do hospital em cadeiras de roda ou maca conforme necessidade previamente avaliada pelo Enfermeiro (caso não tenha contra- indicação, o cliente poderá sair deambulando, acompanhado por familiares, acompanhantes, e um funcionário da enfermagem); Registrar a alta no Censo Hospitalar ou Livros de Registros; Retirar o prontuário da prancheta, colocando-o em envelopes, identificados, depositando-o em local estabelecido para os prontuários após a alta ou levá-lo ao setor de internação para fechamento das diárias; Comunicar o Serviço de Nutrição e Dietética (SND) e Serviços de Farmácia Hospitalar ( SFH), sobre a saída do cliente; Providenciar para que seja realizada a limpeza ou desinfecção terminal da unidade; Retirar as roupas de cama, toalhas colocando-as no hamper; Retirar comadre, papagaio, cuba-rim, levando-os ao expurgo;

Circuito Escola

São Vicente - São Paulo Telefone (13) 3466-1000

Registrar no prontuário e passar plantão para os outros posteriores sobre a situação em que se encontra a alta do cliente, caso não tenha saído até a troca de plantão; Comunicar S.F.H e S.N.D sobre a alta somente após a saída física do cliente da unidade; Enquanto o cliente estiver internado no hospital, mesmo estando o impresso de alta hospitalar assinada pelo médico, deverá receber todos os cuidados de rotina (sinais vitais, higienização, medicamentos, dieta) nos horários estabelecidos, até que ocorra sua saída física, isto é, até que ele deixe de ocupar o leito; O cliente deixará o hospital, sempre acompanhado da enfermagem; Suspender a Alta Hospitalar, caso haja alguma anormalidade do quadro clinico do cliente, notificando ao médico; Envolver, o familiar no preparo da alta, para garantir a continuidade do tratamento; As orientações para a alta devem ocorrer, durante todo o processo de internação, para facilitar o entendimento de todos os cuidados necessários após deixar o hospital;

ALTA A PEDIDO É a alta solicitada pelo cliente ou responsável, mesmo sem ter recebido o tratamento necessário ou estar recebendo o tratamento e este ser interrompido. O cliente e /ou responsável assina a alta a pedido, assumindo as responsabilidades do abandono do tratamento.

O leito hospitalar compõem-se da cama e do colchão destinado a receber o cliente quando de sua admissão na instituição hospitalar.

Objetivo: Proporcionar conforto e segurança ao cliente.

TIPOS DE LEITO: a) Leito fechado: Estende-se por leito fechado o leito vazio, isto é, aquele que aguarda uma pessoa a ser internada, permanecendo fechado até um novo cliente o ocupe. b) Leito Aberto: É o leito ocupado pelo cliente que pode locomover-se ou o leito que aguarda a chegada de um cliente cuja internação já tenha sido comunicada. c) Leito Ocupado: (doente acamado)- é aquele ocupado pelo cliente impossibilitando de locomover-se. Para segurança, ele é preparado por duas pessoas, uma para segurar o cliente e outra para arrumar o leito. d) Leito de Operado: É aquele leito que receberá o cliente após realização de cirurgia ou exames sob anestesia.

MATERIAL - Luvas de Procedimento (para o caso de leito ocupado);

- 01 lençol de vira ou sobrelençol;

- 01 lençol móvel;

- Fronha;

- Travesseiro;

- Colcha;

- Cobertor;

- Impermeável;

- Hamper.

LEITO FECHADO. PROCEDIMENTO. - Lavar as mãos;

- Reunir o material e levar à unidade do cliente;

- Dispor à roupa lima no espaldar da cadeira na ordem em que será posta no leito;

Circuito Escola

São Vicente - São Paulo Telefone (13) 3466-1000

- Estender o lençol para os pés do leito, dobrado, ficando ao meio do leito. A seguir o lençol em direção à cabeceira; - Iniciar a confecção do canto em triângulo: elevar a borda do lençol, segurando-o uns 15 cm acima do colchão, com a outra mão prender a ponta solta sobre o colchão; - Baixar a borda que fora elevado, prendendo-a sob a colchão firmemente;

- Prender o restante do lençol sob o colchão até os pés do leito;

- Fazer o canto nos pés do leito, usando a mesma técnica do canto superior;

- Estender o lençol móvel no terço médio do leito sobre o impermeável, de forma que não forme rugas ou dobras, e parte do lençol dobrado na metade do leito; - Estender o lençol de vira ou sobrelençol no sentido longitudinal sobre o leito mantendo a outra até a metade do leito, (sem prender nos cantos); - Fazer o mesmo com o cobertor e a colcha deixando espaço para a vira no terço superior do leito;

- Passar para o outro lado do leito (esquerdo), prosseguir arrumado o leito, obedecendo a mesma seqüência;

- Rebater o lençol de vira ou sobrelençol sobre a colcha e ou cobertor;

- Prender as pontas distais sob o colchão fazendo o canto em triângulo;

- Colocar a fronha no travesseiro e colocá-lo em pé encostado no espaldar do leito.

O procedimento é o mesmo que o leito fechado, porém, não se procede a arrumação dos cantos; Enrolar o sobrelençol, colcha e cobertor juntos, até o lado oposto da cama, de forma que o leito fique pronto para colocar o cliente sedado, parcialmente consciente.

Incluir ao material 01 toalha para colocar na cabeceira e fazer duas pregas laterais, prendendo as extremidades sob o colchão. Colocar o travesseiro em pé no espaldar da cabeceira ou junto aos pés do leito.

LEITO OCUPADO (CLIENTE ACAMADO). PROCEDIMENTO. - Lavar as mãos;

- Reunir toda a roupa necessária e levá-la até a unidade do cliente;

- Colocar a roupa de cama na seqüência a ser utilizada, no espaldar da cadeira;

- Soltar as pontas dos lençóis, e deixar o lençol protetor sobre o cliente;

- Remover a colcha e o cobertor, colocá-los no hamper, se estiverem sujos;

- Posicionar o cliente no terço distal do leito, apoiando uma das mãos sobre o ombro do cliente;

- Após o posicionamento lateral do cliente, enrolar a roupa de baixo, suja o máximo possível no sentido até junto ao corpo do cliente; - Proceder a limpeza do leito se necessário;

- Esticar os lençóis limpos prendendo-os sob o colchão, estendendo-os até junto ao corpo do cliente;

- Solicitar ao cliente que se vire para a metade do colchão, já arrumado ( ou faze-lo virar-se com ajuda de outra pessoa), observando as normas de segurança; - Passar para o outro lado do leito, remover a roupa a ser trocada, colocá-la no saco de hamper, havendo duas pessoas, ajudar o cliente a se virar e segurá-lo solicitando para que a pessoa que está auxiliando arrume o leito do lado oposto; - Esticar o lençol de baixo e prender os cantos sob o colchão;

- Reposicionar o cliente de forma confortável;

- Trocar o lençol de vira ou sobrelençol;

- Trocar a fronha se necessário;

- Levar o saco de hamper com a roupa suja para o expurgo;

- Deixar o ambiente em ordem.

O leito aberto será arrumado, observando a mesma seqüência do leito fechado.

Difere no final da seqüência, nos itens seguintes: a) O sobrelençol é dobrado na parte superior, sobre a colcha;

Circuito Escola

São Vicente - São Paulo Telefone (13) 3466-1000 b) O travesseiro fica posicionado na parte superior do leito ( cabeceira) para que seja usado pelo cliente; c) Descer o sobrelençol, cobertor, colcha juntos, dando uma dobra diagonalmente, para facilitar a entrada do cliente no leito.

OBSERVAÇÕES - Abrir portas e janelas antes de iniciar o trabalho;

- Utilizar lençóis limpos, sem pregas e sem rugas;

- Não deixar migalhas de pão, fios de cabelo, etc, nos lençóis a serem utilizados;

- Limpar o colchão impermeável e travesseiro se estiverem sujos;

- Virar o colchão, quando necessário, e deixar o estrado na posição horizontal;

- Ter cuidado com os drenos, sondas, fios e curativos para não tracioná-los;

- Observar o estado de conservação do colchão, travesseiro e impermeável ( o impermeável, deve ser guardado limpo, entalcado e enrolado, evitando que estraguem provoquem desconforto ao cliente); - Não arrastar as roupas de cama do chão;

- Evitar contato das roupas de cama e peças do mobiliário da unidade do cliente e com o uniforme;

- Não sacudir as roupas de cama;

- Não alisar as roupas de cama, mas ajeitá-las pelas pontas;

- A operação da arrumação do leito, deverá ser iniciada pela direita do leito, começando a seqüência pela cabeceira;

- Devemos imaginar uma linha reta dividindo o leito em duas metades no seu sentido longitudinal ( no seu comprimento); - Toda a seqüência do trabalho deverá ser executada na metade direita do leito, somente ao terminar este lado, o operador fará a outra metade, deslocando-se para a esquerda do leito. Lençóis, que tenham elásticos devem ser vestidos na cabeceira (lado direito e esquerdo e nos pés da cama lado direito e esquerdo); - As roupas de cama deverão ser dispostas no espaldar da cadeira na ordem em que serão usados;

- A seqüência na arrumação da roupa na cadeira é a seguinte:

• Toalha;

• Fronha;

• Colcha;

(Parte 2 de 8)

Comentários