Aula1 19 03 13

Aula1 19 03 13

A Ecologia é o estudo das interações dos seres vivos entre si e com o meio ambiente.

  • A Ecologia é o estudo das interações dos seres vivos entre si e com o meio ambiente.

  • A palavra Ecologia tem origem no grego “oikos", que significa casa, e "logos", estudo. Logo, por extensão seria o estudo da casa, ou de forma mais genérica, do lugar onde se vive. Foi o cientista alemão Ernst Haeckel, em 1869, quem primeiro usou este termo para designar a parte da Biologia que estuda as relações entre os seres vivos e o ambiente em que vivem.

Pode ser entendido como um conjunto de entidades, sejam elas genes, células, ou mesmo espécies, agrupadas em uma ordem crescente de complexidade.

  • Pode ser entendido como um conjunto de entidades, sejam elas genes, células, ou mesmo espécies, agrupadas em uma ordem crescente de complexidade.

Espécie: dois ou mais organismos são considerados da mesma espécie, quando podem se reproduzir, originando descendentes férteis.

  • Espécie: dois ou mais organismos são considerados da mesma espécie, quando podem se reproduzir, originando descendentes férteis.

  • População: é formada por organismos da mesma espécie. Genericamente, uma população é o conjunto de pessoas ou organismos de uma mesma espécie que habitam uma determinada área, num espaço de tempo definido.

  • Comunidade ou biocenose: um conjunto de todas as populações, sejam elas de microorganismos, animais ou vegetais existentes em uma determinada área que sofrem interferência umas nas outras.

Ecossistema: é o conjunto formado por todos os fatores bióticos e abióticos que atuam simultaneamente sobre determinada região. Considerados como fatores bióticos as diversas populações de animais, plantas e bactérias e os abióticos os fatores externos como a água, o sol, o solo, o vento. Dentro do conceito de ecossistema, cabe definir o conceito de hábitat, pelo qual entendemos o ambiente físico o qual ocorre(m) uma(s) determinada(s) espécie(s). Ex.: O hábitat do lobo guará é o cerrado.

  • Ecossistema: é o conjunto formado por todos os fatores bióticos e abióticos que atuam simultaneamente sobre determinada região. Considerados como fatores bióticos as diversas populações de animais, plantas e bactérias e os abióticos os fatores externos como a água, o sol, o solo, o vento. Dentro do conceito de ecossistema, cabe definir o conceito de hábitat, pelo qual entendemos o ambiente físico o qual ocorre(m) uma(s) determinada(s) espécie(s). Ex.: O hábitat do lobo guará é o cerrado.

  • Nicho Ecológico é o ‘lugar funcional’ ocupado por uma espécie dentro do seu sistema. O nicho ecológico compreende o que a espécie faz no meio ambiente: como utiliza a energia circulante; o que come; como procede em relação às outras espécies e ao próprio ambiente; como se reproduz; etc.

Biosfera: A terra é composta por vários ecossistemas sejam eles aquáticos, terrestres ou até mesmo aéreos. A soma de todos estes ecossistemas chamamos de biosfera.

  • Biosfera: A terra é composta por vários ecossistemas sejam eles aquáticos, terrestres ou até mesmo aéreos. A soma de todos estes ecossistemas chamamos de biosfera.

  • Bioma: Muitas vezes, o termo bioma é utilizado como sinônimo de ecossistema, no entanto ao contrário do segundo que implica nas inter-relações entre fatores bióticos e abióticos, o primeiro significa uma grande área de vida formada por um complexo de habitats e comunidades, ou seja, apenas o meio físico (área) sem as interações. Ex.: Bioma cerrado, bioma mata atlântica.

  • É difícil dizer onde começa ou termina um ecossistema, ou seja, qual ou quais os seus limites; entretanto existem algumas convenções adotadas. Assim, pode-se adotar uma separação entre os meios aquáticos e terrestres. Desta forma, teríamos uma primeira distinção entre ecossistemas aquáticos e terrestres.

  • Por ecossistema aquático, entenderíamos todos os lagos naturais, ou artificiais (represas), rios, mares e oceanos. Já em relação aos ecossistemas terrestres, florestas, desertos, tundras, pradarias, pastagens, etc. seriam exemplos.

Para os ecossistemas terrestres poderíamos enumerar os seguintes:

  • Para os ecossistemas terrestres poderíamos enumerar os seguintes:

  • Florestais - Podem ser formados no Brasil por vegetação de cerrado, caatinga, matas ciliares, mata atlântica e floresta amazônica; sendo caracterizados por apresentar uma grande estratificação, ou seja, existem plantas e animais ocorrendo em diferentes alturas (estratos);

  • Campos e pastagens - Compostos principalmente por vegetação rasteira onde predominam as gramíneas. A fauna por sua vez, é caracterizada pelo predomínio de animais herbívoros e granívoros (que se alimentam de grãos) tais como roedores (ratos), pequenas aves e cervídeos (veados).

Aspecto geral da vegetação de cerrado. Formação vegetal característica do Planalto Central brasileiro, onde nota-se a presença de árvores de pequeno porte com troncos retorcidos e vegetação rasteira

  • Aspecto geral da vegetação de cerrado. Formação vegetal característica do Planalto Central brasileiro, onde nota-se a presença de árvores de pequeno porte com troncos retorcidos e vegetação rasteira

Aspecto do interior de mata-ciliar. Vegetação característica de margens de pequenos rios e córregos. Este tipo de vegetação é considerado atualmente, como uma área fundamental de preservação, pois está intimamente relacionado com a manutenção do fluxo e da qualidade da água.

  • Aspecto do interior de mata-ciliar. Vegetação característica de margens de pequenos rios e córregos. Este tipo de vegetação é considerado atualmente, como uma área fundamental de preservação, pois está intimamente relacionado com a manutenção do fluxo e da qualidade da água.

Aspecto geral da Mata Atlântica: é um dos ecossistemas com maior diversidade de espécies do Brasil e do planeta. Para exemplificar esta riqueza, basta dizer de que cada duas árvores encontradas na mata Atlântica, uma só é encontrada nesta floresta. Ou seja, 50% das árvores só existem aqui e nenhum outro lugar do mundo.

  • Aspecto geral da Mata Atlântica: é um dos ecossistemas com maior diversidade de espécies do Brasil e do planeta. Para exemplificar esta riqueza, basta dizer de que cada duas árvores encontradas na mata Atlântica, uma só é encontrada nesta floresta. Ou seja, 50% das árvores só existem aqui e nenhum outro lugar do mundo.

Lagos - Aqui enquadram-se todos os ecossistemas de águas paradas, ou lênticos (de lenis, calmo); além de lagos, temos também represas e tanques .

  • Lagos - Aqui enquadram-se todos os ecossistemas de águas paradas, ou lênticos (de lenis, calmo); além de lagos, temos também represas e tanques .

  • Rios - Além dos rios, teríamos ainda riachos e mananciais.

Barragem, com lago artificial. Em países em desenvolvimento, como no caso do Brasil, a energia gerada através do represamento de rios (hidroelétricas) tem sido, e ainda será a principal fonte energética, devido à disponibilidade de recursos e o custo relativamente baixo.

  • Barragem, com lago artificial. Em países em desenvolvimento, como no caso do Brasil, a energia gerada através do represamento de rios (hidroelétricas) tem sido, e ainda será a principal fonte energética, devido à disponibilidade de recursos e o custo relativamente baixo.

Mares - Os mares são as regiões com a maior variedade de vida do planeta; nem as florestas tropicais igualam-se as regiões litorâneas.

  • Mares - Os mares são as regiões com a maior variedade de vida do planeta; nem as florestas tropicais igualam-se as regiões litorâneas.

  • Oceanos - Os oceanos, são grandes (cobrem 70% da superfície terrestre), profundos e contínuos, pois todos - Pacífico, Atlântico e Índico - são interligados; as principais características destes ecossistemas estão relacionadas as correntes, provocadas pelos ventos e a própria rotação da Terra, e também a salinidade;

Mangue - Na verdade, o correto chama-se manguezal e não mangue, pois a denominação vem da grande quantidade desta planta, ou seja, o mangue. Trata-se de um ecossistema pantanoso, constantemente alagado com uma vegetação arbustiva e uma fauna caracterizada pela grande presença de siris e caranguejos. O mangue ocorre geralmente junto a desaguadouros de rios e/ou próximos a praias.

  • Mangue - Na verdade, o correto chama-se manguezal e não mangue, pois a denominação vem da grande quantidade desta planta, ou seja, o mangue. Trata-se de um ecossistema pantanoso, constantemente alagado com uma vegetação arbustiva e uma fauna caracterizada pela grande presença de siris e caranguejos. O mangue ocorre geralmente junto a desaguadouros de rios e/ou próximos a praias.

Paredões rochosos e praias - Ambos ecossistemas são fortemente influenciados pela água do mar, seja através das marés, ou da pressão exercida pela água.

  • Paredões rochosos e praias - Ambos ecossistemas são fortemente influenciados pela água do mar, seja através das marés, ou da pressão exercida pela água.

  • Brejos - Qualquer área que fique coberta por água doce, pelo menos em alguma época do ano. Os brejos também são importantes, pois abrigam uma grande variedade de espécies de aves e mamíferos aquáticos.

Em cada ecossistema há um complexo mecanismo de passagem de matéria e energia do meio abiótico para os seres vivos, com retorno ao primeiro.

  • Em cada ecossistema há um complexo mecanismo de passagem de matéria e energia do meio abiótico para os seres vivos, com retorno ao primeiro.

  • As plantas (autótrofos) utilizam a energia da luz e compostos inorgânicos para formar compostos orgânicos que encerram, em suas cadeias de carbono, uma certa quantidade daquela energia obtida da luz. A matéria orgânica passa aos animais (heterótrofos) herbívoros e destes para os carnívoros. Matéria e energia vão passando dos produtores aos consumidores. Dejetos e restos de animais e plantas são decompostos por bactérias e fungos, os decompositores, voltando à sua condição de matéria inorgânica.

Cadeia alimentar é uma série de sucessivas transferências pela qual passa a matéria desde os produtores até os decompositores, tendo como intermediários os consumidores.

  • Cadeia alimentar é uma série de sucessivas transferências pela qual passa a matéria desde os produtores até os decompositores, tendo como intermediários os consumidores.

  • Os produtores são representados pelos seres autótrofos como os vegetais e as algas do fitoplâncton. Corresponde ao primeiro nível trófico.

  • Os consumidores são os organismos heterótrofos. Os herbívoros, sendo os primeiros a consumir a matéria orgânica elaborada pelos produtores, são chamados de consumidores primários; seguidos dos consumidores secundários (nutrem-se de herbívoros), terciários, etc., formando o segundo, terceiro nível trófico.

  • Os decompositores (bactérias e fungos) decompõem as proteínas e outros compostos orgânicos em uréia, amônia, nitratos, nitritos, nitrogênio livre, etc., devolvendo a matéria inorgânica ao meio abiótico.

  • Folhas de árvore gafanhoto  ave  jaguatirica  decompositores

A matéria se mantém num ciclo interminável, ora passa por uma fase inorgânica, ora atravessa uma fase orgânica.

  • A matéria se mantém num ciclo interminável, ora passa por uma fase inorgânica, ora atravessa uma fase orgânica.

  • A energia, entretanto, não segue um caminho cíclico. Ela é unidirecional, pois se dispersa dos seres para o ambiente, sob a forma de calor, não mais sendo recuperável pelos organismos.

A luz solar representa a fonte de energia externa que mantêm os ecossistemas. A conversão da energia luminosa para energia química, que é a única modalidade de energia utilizável pelas células de todos os componentes de um ecossistema, sejam eles produtores, consumidores ou decompositores, é feita através de um processo denominado fotossíntese. Portanto, a fotossíntese - seja realizada por vegetais ou por microorganismos - é o único processo de entrada de energia em um ecossistema.

  • A luz solar representa a fonte de energia externa que mantêm os ecossistemas. A conversão da energia luminosa para energia química, que é a única modalidade de energia utilizável pelas células de todos os componentes de um ecossistema, sejam eles produtores, consumidores ou decompositores, é feita através de um processo denominado fotossíntese. Portanto, a fotossíntese - seja realizada por vegetais ou por microorganismos - é o único processo de entrada de energia em um ecossistema.

Um aspecto importante para entendermos a transferência de energia dentro de um ecossistema é a compreensão da primeira lei da termodinâmica que diz: “A energia não pode ser criada nem destruída e sim transformada”. Como exemplo ilustrativo desta condição, pode-se citar a luz solar, a qual como fonte de energia, pode ser transformada em trabalho, calor ou alimento em função da atividade fotossintética; porém de forma alguma pode ser destruída ou criada.

  • Um aspecto importante para entendermos a transferência de energia dentro de um ecossistema é a compreensão da primeira lei da termodinâmica que diz: “A energia não pode ser criada nem destruída e sim transformada”. Como exemplo ilustrativo desta condição, pode-se citar a luz solar, a qual como fonte de energia, pode ser transformada em trabalho, calor ou alimento em função da atividade fotossintética; porém de forma alguma pode ser destruída ou criada.

Outro aspecto importante é o fato de que a quantidade de energia disponível diminui à medida que é transferida de um nível trófico para outro. Assim, o gafanhoto obtém, ao comer as folhas da árvore, energia química; porém, esta energia é muito menor que a energia solar recebida pela planta. Esta perda nas transferências ocorrem sucessivamente até se chegar aos decompositores.

  • Outro aspecto importante é o fato de que a quantidade de energia disponível diminui à medida que é transferida de um nível trófico para outro. Assim, o gafanhoto obtém, ao comer as folhas da árvore, energia química; porém, esta energia é muito menor que a energia solar recebida pela planta. Esta perda nas transferências ocorrem sucessivamente até se chegar aos decompositores.

  • A explicação para este decréscimo energético de um nível trófico para outro, é o fato de cada organismo; necessitar grande parte da energia absorvida para a manutenção das suas atividades vitais, tais como divisão celular, movimento, reprodução, etc.

Os seres vivos de diferentes espécies, além de interagirem com o meio abiótico em que vivem, também se interagem com os outros seres vivos presentes num mesmo local.

  • Os seres vivos de diferentes espécies, além de interagirem com o meio abiótico em que vivem, também se interagem com os outros seres vivos presentes num mesmo local.

  • Essa interação entre os seres vivos é chamada de relação ecológica.

Harmônicas intra-específicas:

  • Harmônicas intra-específicas:

  • Colônia

  • Sociedade

  • Harmônicas interespecíficas:

  • Protocooperação

  • Mutualismo

  • Comensalismo (típico, inquilinismo e epifitismo)

Associações entre indivíduos da mesma espécie que formam um conjunto funcional integrado, onde todos os indivíduos estão unidos anatomicamente.

  • Associações entre indivíduos da mesma espécie que formam um conjunto funcional integrado, onde todos os indivíduos estão unidos anatomicamente.

  • Ex: algas, bactérias, caravelas.

Grupos de organismos de mesma espécie onde pode-ser observar nítida divisão de trabalho.

  • Grupos de organismos de mesma espécie onde pode-ser observar nítida divisão de trabalho.

  • Os indivíduos são unidos anatomicamente e apresentam diferenças morfológicas nítidas.

  • Ex.: formigas, abelhas, vespas, cupins

Traz benefícios para ambas as espécies.

  • Traz benefícios para ambas as espécies.

  • É uma relação não obrigatória.

  • Ex.: caranguejo e anêmona, gado e anu.

Traz benefícios para ambas as espécies.

  • Traz benefícios para ambas as espécies.

  • É uma relação obrigatória, caso os indivíduos sejam separados, ambos morrem.

  • Ex.: liquens, micorrizas, ruminantes e bactérias que degradam celulose.

Apenas um dos indivíduos se beneficia e o outro nem se prejudica, nem se beneficia.

  • Apenas um dos indivíduos se beneficia e o outro nem se prejudica, nem se beneficia.

  • O comensalismo é dividido em:

  • Comensalismo típico  quando uma espécie se alimenta dos restos alimentares deixados por um individuo de outra espécie.

  • Ex.: leão e hiena

Inquilinismo (epifitismo): quando uma espécie usa outra como moradia.

  • Inquilinismo (epifitismo): quando uma espécie usa outra como moradia.

  • Ex.: bromélias, orquídeas e “plantas suporte”.

  • Forésia: quando uma espécie usa outra como meio de transporte.

  • Ex.: rêmora e tubarão.

Desarmônicas intra-específicas:

  • Desarmônicas intra-específicas:

  • Competição intra-específica

  • Canibalismo

  • Harmônicas interespecíficas:

  • Competição interespecífica

  • Predatismo

  • Parasitismo

  • Amensalismo

Indivíduos de mesma espécie precisam dos mesmos recursos (água, alimento, território, acasalamento) do meio. Isso gera uma competição intra-específica.

  • Indivíduos de mesma espécie precisam dos mesmos recursos (água, alimento, território, acasalamento) do meio. Isso gera uma competição intra-específica.

Indivíduos de espécies diferentes precisam dos mesmos recursos (água, alimento, território) do meio. Isso gera uma competição interespecífica.

  • Indivíduos de espécies diferentes precisam dos mesmos recursos (água, alimento, território) do meio. Isso gera uma competição interespecífica.

  • Ex.: duas espécies de pássaros que usem o mesmo tipo de local para fazer seus ninhos competem no aspecto reprodutivo.

Quando um indivíduo de uma espécie mata e se alimenta de um individuo de outra espécie.

  • Quando um indivíduo de uma espécie mata e se alimenta de um individuo de outra espécie.

  • Predador  quem mata para se alimentar

  • Presa  que morre

  • Ex.: leão e veado.

Quando um indivíduo de uma espécie mata e se alimenta de um individuo da mesma espécie.

  • Quando um indivíduo de uma espécie mata e se alimenta de um individuo da mesma espécie.

  • Ex.: viúva negra.

Quando um indivíduo de uma espécie se alimenta de um individuo de outra espécie sem mata-lo (pelo menos essa não é sua intenção, uma vez que se o hospedeiro morre o parasita geralmente morre também.

  • Quando um indivíduo de uma espécie se alimenta de um individuo de outra espécie sem mata-lo (pelo menos essa não é sua intenção, uma vez que se o hospedeiro morre o parasita geralmente morre também.

  • Parasita  quem se alimenta

  • Hospedeiro  quem serve de alimento

Ectoparasitas  vivem na superfície externa do corpo do hospedeiro.

  • Ectoparasitas  vivem na superfície externa do corpo do hospedeiro.

  • Ex.: piolhos, carrapatos.

  • Endoparasitas  vivem no interior do hospedeiro.

  • Ex.: lombriga, solitária

Os indivíduos de uma espécie eliminam para o meio substancias que prejudicam o crescimento ou a reprodução de outras espécies do habitat.

  • Os indivíduos de uma espécie eliminam para o meio substancias que prejudicam o crescimento ou a reprodução de outras espécies do habitat.

  • Ex.: alguns fungos eliminam substancias (antibióticos) que matam bactérias. O eucalipto libera pelas raízes substancias que impedem a germinação de sementes ao redor.

Comentários