AULA 02-Tecido Epitelial

AULA 02-Tecido Epitelial

HISTOLOGIA

AULA 02

TECIDO EPITELIAL

Características gerais

É também denominado epitélio, tendo como características:

  • Células justapostas

  • Pouca ou nenhuma matriz entre elas (extracelular ou intercelular)

  • Apoiado em tecido conjuntivo

  • Avascularizado

Origem dos epitélios

São originados dos três folhetos germinativos: ectoderme, mesoderme e endoderme.

  • Origem ectodérmica: epiderme, epitélio do nariz, da boca, glândulas sebáceas, glândulas mamárias e salivares.

  • Origem mesodérmica: endotélio (reveste os vasos sanguíneos), epitélio do sistema urogenital, das membranas que envolvem os órgãos (Pleura, pericárdio e peritônio).

  • Origem endodérmica: epitélio que reveste a luz do tubo digestório, árvore brônquica, fígado, pâncreas, da bexiga urinária.

Polaridade e nutrição das células epiteliais

  • Pólo ou região apical: Superfície livre

  • Pólo ou região basal: Voltada para o tecido conjuntivo.

Entre o tecido epitelial e o tecido conjuntivo há uma lâmina denominada lâmina basal, formada por proteínas, colágeno associada a glicoproteínas e polissacarídeos.

A lâmina basal mais o acúmulo de fibras reticulares, formam a membrana basal. Essas duas em conjunto (lâmina + membrana basal), servem como estrutura de suporte do epitélio, fixando-o firmemente ao tecido conjuntivo subjacente.

A nutrição das células é feita através da lâmina e da membrana basal, onde a lâmina é permeável ao oxigênio, gás carbônico e a alimentos, permitindo, assim, que as células epiteliais troquem substâncias com os vasos sanguíneos do tecido conjuntivo.

Classificação do Tecido Epitelial

Classificados com base em sua estrutura e função, em dois grandes grupos: os de revestimento e os glandulares.

  • Tecido epitelial de revestimento (Epitélio de revestimento)

Recobre toda a superfície externa do corpo, como é o caso da epiderme; reveste todas as cavidades internas e órgãos que direta ou indiretamente estão em contato com o exterior do corpo, como é o caso dos órgãos que compõem o sistema digestório, respiratório e urogenital; reveste também a maioria das cavidades internas e fechadas do corpo (vasos sanguíneos e linfáticos – recebe o nome de endotélio) e as cavidades torácica (Pleura e Pericárdio) e abdominal (peritônio).

Classificação do epitélio de revestimento

São classificados de acordo com o critério abaixo:

Simples – uma camada de células

- Quanto ao número de camadas

Estratificado – várias camadas de células

Pavimentoso

- Quanto à forma das células Cúbico

Colunar, cilíndrico ou prismático

A classificação do epitélio de revestimento é feita juntando-se o número de camadas e a forma das células.

Exemplos:

Simples pavimentoso – uma camada de células achatadas (alvéolos pulmonares, mesentério e revestimento de vasos)

SIMPLES Simples cúbico – uma camada de células cúbicas (quadradas) (ovário)

Simples colunar – uma camada de células altas (estômago, intestino delgado)

Pseudoestratificado uma camada de células de diferentes tamanhos (alturas). É uma subdivisão do simples. Ex: Traquéia.

Estratificado pavimentoso – várias camadas de células, a mais externa é achatada (boca, esôfago, ânus, vagina)

ESTRATIFICADO

Estratificado colunar – várias camadas de células, a mais externa é alongada (alta) (membrana conjuntiva do olho)

Tecido epitelial estratificado pavimentoso – Pele.

D

e Transição → As células mudam de forma de acordo com o estado fisiológico dos órgãos. Várias camadas de células, onde a mais externa é que muda a forma. É uma subdivisão do estratificado. Ex: Bexiga urinária cheia – células distendidas e Bexiga urinária vazia – células globosas.

Observações

  • A forma do núcleo das células é que ajuda a classificar o tecido, onde esse vai estar achatado no pavimentoso, arredondado no cúbico e alongado no colunar.

  • Quanto maior o atrito, maior será o número de camadas.

  • A nutrição das células epiteliais ocorre através do tecido conjuntivo subjacente, uma vez que, esse é ricamente vascularizado.

  • O suporte do epitélio ocorre através da lâmina mais a membrana basal

  • As células epiteliais apresentam diversas especializações de membrana, de acordo com o órgão (função) onde se encontram.

Ex: Cílios = Traquéia

Microvilosidades= Intestino delgado

Desmossomo = Epiderme

  • Na borda de epitélios, podemos encontrar células especializadas, para um bom funcionamento do órgão.

Ex: Célula (glândula) caliciforme = Produz muco

Célula (glândula) esofágica = Produz muco

Células estomacais = Ácido clorídrico, etc.

Melanócitos = Produz a melanina na pele.

MEMBRANAS

Membranas mucosas

Os epitélios de revestimento presentes em cavidades como na boca, nas fossas nasais e no ânus, bem como aqueles que forram a luz de órgãos ocos, como o tubo digestório, as vias respiratórias, os ductos urinários e genitais, apresentam-se sempre com a superfície úmida, e formam com o tecido conjuntivo subjacente, uma estrutura funcional denominada membrana mucosa.

As membranas mucosas são constituídas por epitélio mais tecido conjuntivo.

Membranas serosas

As cavidades gerais do corpo (pleural, peritoneal e pericárdica) são revestidas pelas membranas serosas que recebem, em cada caso, as denominações: pleura (serosa dos pulmões), peritônio (serosa do tubo gastrointestinal) e pericárdio (serosa do coração).

São formadas por um epitélio simples pavimentoso (mesotélio) e uma camada de tecido conjuntivo subjacente contendo fibras elásticas e colágenas, ou ainda, células adiposas, vasos sanguíneos e linfáticos, conforme a serosa considerada.

  • Tecido epitelial glandular (Epitélio glandular)

Forma as glândulas, que podem ser unicelulares ou multicelulares. A função é de produzir e eliminar secreções, que pode ser mucosa (muco) mais espesso; serosa, que é mais fluída ou mista, que produz muco e fluído.

Glândulas Multicelulares

Apresentam-se sempre imersas em tecido conjuntivo, recebendo dele nutrientes e oxigênio. São formadas pela proliferação do tecido epitelial que penetram no tecido conjuntivo. Dividem-se em exócrinas, Endócrinas e Mistas.

  • Glândulas Exócrinas

Com ductos (canais) secretores, que lançam as secreções para fora do corpo (suor – gl. Sudorípara) ou no interior de cavidades internas dos órgãos (saliva – gl. Salivar). São formadas pela proliferação do epitélio dentro do conjuntivo, através de mitose. A massa de células epiteliais dentro do tecido conjuntivo, abrem um canal (ducto), para a eliminação das secreções.

Apresenta 3 divisões:

    • Holócrinas: A célula constitui ela própria a secreção. Ex: Gl. Sebácea

    • Merócrinas: Só eliminam a secreção. Ex: Gls. Salivares

    • Apócrinas: Eliminam a secreção e parte do citoplasma da célula. Ex: Gl. Sudorípara

  • Glândulas Endócrinas

Sem ducto excretor, a secreção é eliminada diretamente nos vasos sanguíneos (capilares). São os hormônios. A formação se dá pela proliferação do epitélio dentro do conjuntivo, através de mitose. Essa massa celular se desprende do epitélio, ficando totalmente imersa no tecido conjuntivo. Se a massa celular que se desprendeu forma uma massa disforme, será chamada de cordonal, onde a secreção é liberada diretamente nos capilares que a circundam.

No caso das células formarem uma massa arredondada, será vesicular, onde a secreção é armazenada temporariamente em seu interior, para posterior liberação nos capilares.

Ex: Cordonal: Adrenal (no rim); hipófise (cabeça) e

paratireóide

Vesicular: Tireóide (T3 e T4 – crescimento)

  • Glândulas Mistas

Quando trabalham de forma exócrina e endócrina.

Ex: Pâncreas – Porção exócrina (sulco pancreático-digestão), através dos ácinos pancreáticos.

- Porção endócrina (Insulina e Glucagon), através das Ilhotas pancreáticas ou de Langerhans.

Glândulas unicelulares

Uma célula que tem função secretora. É encontrada no epitélio do intestino, da traquéia, esôfago e estômago. O núcleo é geralmente achatado e deslocado para a base da célula, rica em RER, complexo de Golgi é bem desenvolvido e localizado acima do núcleo.

Esse tipo de glândula libera grande quantidade de muco nesses órgãos, facilitando o movimento do alimento após a ingestão, e também na limpeza das vias respiratórias.

Comentários