Trabalho Acessibilidade

Trabalho Acessibilidade

CEEETA

CENTRO DE ENSINO EXPERIMENTAL ESCOLA TÉCNICA DO AGRESTE

ACESSIBILIDADE

Alunos:

Curso: Técnico de Edificação

Disciplina: Elementos de Projeto II

Prof.(a): Flávio

Turma: F

BEZERROS 04/09/2014

CEEETA

CENTRO DE ENSINO EXPERIMENTAL ESCOLA TÉCNICA DO AGRESTE

SINALIZAÇÃO TÁTIL

TRAVESSIAS E GUIAS REBAIXADAS

BANHEIROS

MOBILIARIO URBANO

BEZERROS 04/09/2014

Sumário

1 Introdução 03

2 Sinalização Tátil 05

3 Travessias e Guias Rebaixadas 06

4 Banheiros 07

5 Mobiliário Urbano 08

6 Chek List 09

7 Fontes 10

INTRODUÇÃO

OBJETO: Elaboração de Laudo Técnico de Acessibilidade no North Shopping - Caruaru - PE.

A acessibilidade é um direito de todos. Promover espaços, onde todas as pessoas

possam usufruir com igualdade, liberdade e autonomia, é um compromisso de cada

cidadão.

É a possibilidade de promover a todos os usuários o acesso e a utilização de ambientes

e equipamentos com igualdade, autonomia e segurança.

O presente Laudo tem o intuito de auxiliar os profissionais da construção civil no

cumprimento das normas técnicas e da legislação em vigor, quando da elaboração de

projetos ou execução de obras e serviços, contribuindo para melhorar a qualidade

ambiental dos espaços de uso público e de uso coletivo, além de subsidiar a atuação

dos Promotores de Justiça na busca da efetivação do direito à acessibilidade.

2-Sinalização Tátil NBR 9050

Para orientar as pessoas com deficiência visual ou de baixa visão para terem mais autonomia para se locomover. Sendo assim, sua textura e cor devem se diferenciar dos outros pisos ao redor. Ele é importante para direcionar e dar segurança aos deficientes visuais. Existem dois tipos de piso tátil: o "direcional" e o de "alerta". O direcional serve para orientar o caminho que a pessoa irá percorrer em lugares amplos por exemplo.

O piso tátil de alerta é mais conhecido como o piso de bolinha, sua função é para alertar mesmo! Quando há um obstáculo à frente, em rampas de acesso às escadas, em frente a porta de elevadores, no início e no fim de rampas e escadas e nos obstáculos que eles não conseguem identificar com a bengala.

A cor contrastante serve para ajudar as pessoas de baixa visão e das pessoas, que por qualquer razão, tem a visão reduzida, como os idosos por exemplo.

3-Travessias e Guias Rebaixadas NBR 9050

Largura mínima de 1,20m, com inclinação máxima de 8.33%, abas laterais com largura

mínima de 50cm e inclinação máxima de 10%;

- Não deixar desnível entre o término da rampa e o leito carroçável;

- Locar junto à faixa de pedestre;

- Alinhar as rampas entre si nos lados opostos da via;

- Fazer o corte no canteiro central.

4-Banheiros NBR 9050

Bacia sanitária:

- Instalar barras de apoio junto à bacia sanitária, na lateral e no fundo, com

comprimento, mínimo, de 0,80m e com 0,75m de altura do piso;

- Não utilizar a bacia sanitária com caixa acoplada em banheiros acessíveis, por não

permitir atender às exigências técnicas de altura das barras de apoio;

- Deve estar a uma altura mínima de 0,43m e altura máxima de 0,45m, sem o assento.

Se necessário, deve-se corrigir a altura com o sóculo. Observar a altura máxima de

46cm, com o assento;

- O sóculo não deve ultrapassar mais de 5cm à base da bacia;

- O acionamento da descarga deve ter altura de 1.00m;

- Instalar as bacias sanitárias descentralizadas para permitir a transferência lateral.

5-Mobiliário Urbano NBR 9050

Uma parte da superfície do balcão (com extensão mínima de 0,90m) deve ter altura

de, no máximo, 0,90m do piso. O balcão deve possuir altura livre inferior de, no

mínimo, 0,73m do piso e profundidade livre inferior de, no mínimo, 0,30m.

6-Check List

7-Fontes

Disponível nos sites:

www.mpdft.gov.br/sicorde/abnt.htm

www.sejuc.se.gov/sicorde/legislação.php

Comentários