relatório 4- cinetica

relatório 4- cinetica

1 – TRATAMENTO DE RESULTADOS3
2 – RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES4

SUMÁRIO 3 – CONCLUSÃO ......................................................................................................7

1 – TRATAMENTO DE RESULTADOS

1.1 - Influência da Concentração de Reagentes

1.1.1- A concentração de tiossulfato de sódio na solução inicial é 0,5. Calcular as suas concentrações em cada uma das soluções diluídas preparadas levando em consideração o volume total da solução em cada tubo de ensaio (a + b).

· Na primeira solução permanece a concentração de 0,1 M, pois esta não foi diluída em água.

· Na segunda solução foram utilizados 4 mL (0,004L) de solução do Na2S2O3 e 2 mL (0,002

L) de água, obtendo um nº de mols de: C = n/v 0,1 = n/0,004 n = 0,0004 mol Temos então que a nova concentração será:

· Na terceira solução foram utilizados 3 mL (0,003L) de solução do Na2S2O3 e 3 mL (0,003L) de água, obtendo um nº de mols de: C = n/v 0,1 = n/0,003 n = 0,0003 mol

Temos então que a nova concentração será: C’ = n’/v’ C’ = 0,0003/0.006 C’ = 0,050M

· Na quarta solução foram utilizados 2 mL (0,002L) de solução do Na2S2O3 e 4mL (0,004L) de água, obtendo um nº de mols de:

C = n/v 0,1 = n/0,002 n = 0,0002 mol Temos então que a nova concentração será:

· Na quinta solução foram utilizados 1 mL (0,001L) de solução do Na2S2O3 e 5 mL (0,005L) de água, obtendo um nº de mols de: C = n/v 0,1 = n/0,001 n = 0,0001 mol

Temos então que a nova concentração será: C’ = n’/v’ C’ = 0,0001/0.006 C’ = 0.016M

1.1.2 – Porque é importante que o volume total para todas as diluições seja de 10 mL?

Porque nos possibilita a preparação de soluções de diferentes concentrações aumentando a participação da água em um volume constante de mistura (solução) da água com a substância (Na2S2O3).

1.1.3 - Construir um gráfico com o tempo no eixo vertical (ordenada) e a concentração de Na2S2O3 eixo horizontal (abscissa).

Gráfico anexado ao fim do relatório. 1.1.4 – Que generalização pode você estabelecer a respeito da influência que tem a variação da concentração sobre o tempo de reação?

São inversamente proporcionais, pois, quanto maior a concentração menor o tempo da reação.

1.1 - Influência da temperatura

-- Construir um gráfico, colocando a temperatura no eixo horizontal (abscissa) e o tempo no eixo vertical (ordenada) ;

Gráfico anexado ao fim do relatório. -- Que relações gerais se pode deduzir do gráfico obtido?

Ao observar o gráfico, pode-se constatar que a temperatura tem uma grande influência na velocidade das reações, ao passo que o aumento da temperatura aumenta tal velocidade. Isso ocorre porque a temperatura é uma medida da agitação térmica das partículas que compõem uma substância, e se aumentarmos a temperatura, a agitação das moléculas também aumenta, fazendo com que elas se movimentem mais rapidamente, aumentando a probabilidade de se colidirem de forma efetiva e com maior frequência. Como resultado, os reagentes atingirão mais rapidamente o complexo ativado que é o estado intermediário entre os reagentes e os produtos de uma reação. http://www.mundoeducacao.com.br/quimica/temperaturavelocidade-das-reacoes.htm

-- Fazer uma previsão de tempo de reação a 15 ºC e 50 ºC.

Não foi possível fazer uma previsão de tempo da reação à 15 ºC tomando como base o gráfico, pois tal temperatura não está contida no intervalo das outras temperaturas utilizadas.

Já com a temperatura à 50 ºC , tomando como base o gráfico foi possível chegar a conclusão de que o tempo seria na faixa dos 31,5s.

2 – RESOLUÇÃO DAS QUESTÕES

2.1 Os fatores que influenciam no tempo de uma reação são os seguintes:

- Pressão: Para gases, quanto maior a pressão, menor a distância entre as particulas, maior a probabilidade de choque e, portanto, maior a velocidade da reação. No caso de sólidos ou líquidos, a pressão praticamente não influe.

- Concentração dos reagentes: Quanto mais concentrada for a solução, maior o numero de moléculas por unidade de volume, maior a probabilidade de choque e, portanto maior a velocidade da reação.

- Existência ou não de solução: Ao dissolver os reagentes num solvente, as particulas distribuem-se por um maior volume que o seu próprio, aumenta a probabilidade de choques e, portanto, aumenta a velocidade da reação. - Superfície de contato: No caso dos sólidos, quanto mais divididos eles se encontrarem, maior a área exposta, maior a probabilidade de choque e, portanto, maior a velocidade da reação.

- Presença ou não de luz: No caso das reações fotoquímicas, a presença de luz aumenta a velocidade da reação. - Presença ou não de catalisador - O catalisador é uma substancia que aumenta a velocidade de uma reação química sem ser consumido.

todos esses fatores estão relacionados à colisão entre as moléculas dos compostos, quanto maior o número de colisões e sua intensidade mais rapidamente ocorre a reação. Além desses temos a energia de ativação, quanto menos energia necessária para iniciar uma reação mais rápida ela ocorre.

2.2 Enzimas são proteínas, que em altas temperatura (40°C nos seres humanos) podem passar por um processo de desnaturação, processo em que a proteína perde sua estrutura tridimensional e, portanto suas propriedades e em baixas temperaturas podem causar sua inativação.

2.3 - Velocidade instantânea: é a rapidez da reação em um momento específico, pois a velocidade varia no decorrer do tempo. - Reação elementar: é uma reação que ocorre em uma única etapa, os reagentes formam produtos diretamente sem produção de componentes intermediários, em outras palavras é quando todos os expoentes na equação da velocidade coincidem com os respectivos coeficientes estequiométricos da equação química.

- Constante de velocidade, constante de proporcionalidade que matematicamente representa a velocidade da reação quando as concentrações são unitárias. Varia apenas mediante mudança de temperatura e/ou energia de ativação. - A ordem da reação em relação a determinada espécie , corresponde ao expoente da concentração em mol/L dessa espécie.

- Molecularidade, conceito teórico, é o número de entidades moleculares colidindo que estão envolvidas em uma única etapa da reação.

Teoricamente, se soubermos a proporcionalidade estequiométrica podemos deduzir a ordem de cada reagente, no entanto só avaliamos a influência de um dos reagentes sobre a velocidade, não sendo possível determinar a influência do outro reagente, consequentemente sua ordem.

2.4 Quando analisamos a concentração, verificamos que ao diluirmos a solução sua velocidade diminui, então, caso quiséssemos aumentar essa velocidade era só aumentar a concentração dos seus reagentes. No caso da temperatura verificamos que aumentamos a temperatura, estaríamos também aumentando a velocidade da reação. O catalisador atua diminuindo a energia necessária para iniciar a reação, ou seja, sua energia de ativação.

b)

Quantidade de

Quantidade de matéria de A matéria de B

Fazendo a razão entre as velocidades da primeira e terceira reações obtemos:

¼=(0,1)a/(0,2)a ¼=(1/2)a  (1/2)2=(1/2)a

Fazendo a razão entre as velocidades da primeira e segunda reações obtemos: b = 0

O que nos mostra que a velocidade da reação só depende da temperatura e da concentração do reagente A.

b) Substituindo

2.7 O gráfico está em anexo.

2.8 Um erro muito provável de ter acontecido é na determinação do tempo de reação; isto se deve em grande parte à dificuldade de identificar com precisão o início da turvação causada pelo enxofre formado. O que não influi na nossa conclusão dos fatores que alteram e como alteram a velocidade da reação.

8 3 - CONCLUSÃO

Comentários