NBR 05427 - 1985 - Amostragem e Inspeção por Atributos

NBR 05427 - 1985 - Amostragem e Inspeção por Atributos

(Parte 1 de 5)

1 Objetivo

1.1 Esta Norma fornece instruções detalhadas e exemplos ilustrativos para aplicação e administração dos procedimentos de amostragem por atributos estabelecidos pela NBR 5426.

1.2 Os planos de amostragem de inspeção por atributos da NBR 5426 têm, entre outros, os seguintes campos de aplicação:

a)produtos terminados - os produtos terminados que podem ser inspecionados antes ou após embalagem e expedição para embarque ou armazena-gem; b)componentes e matérias-primas - esses materiais podem ser inspecionados na origem, onde são fabricados, próximo à recepção no ponto de montagem, ou em qualquer lugar conveniente ao longo do processo de montagem, onde são formados os produtos terminados; c)operações - as operações de trabalho podem ser inspecionadas por amostragem para determinar se as máquinas de produção e operadores estão desempenhando satisfatoriamente o trabalho; d)materiais em processamento - os materiais podem ser inspecionados por amostragem para se determinar a qualidade após qualquer fase ao longo da linha de produção, bem como para se deter-minar a extensão do dano ou deterioração durante

Copyright © 1985, ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210-3122 Telex: (021) 34333 ABNT - BR Endereço Telegráfico: NORMATÉCNICA

ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas

Palavras-chave: Amostragem. Inspeção26 páginas

Guia para utilização da norma NBR 5426 - Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos

NBR 5427JAN 1985 armazenagem temporária entre fases de produção, ou a qualidade antes do produto continuar até a próxima etapa do processo de produção; e)materiais estocados - os procedimentos e as tabelas de amostragem da NBR 5426 podem ser usadas para determinação da qualidade, de materiais estocados; f)operações de conserto - estas operações são normalmente executadas em materiais recuperáveis para restaurá-los à condição de poderem prestar serviços. Faz-se inspeção por atributos, depois de tais operações terem sido executadas para determinar a qualidade do produto após conserto; g)procedimentos administrativos - se os resultados de procedimentos administrativos puderem ser medidos na base de atributos, os planos de amos-tragem e os procedimentos previstos na NBR 5426 poderão ser aplicados para sua avaliação e con-trole; h)dados ou relatórios - os procedimentos de inspeção por amostragem por atributos podem ser usados sempre que forem processadas grandes quantidades de dados (por exemplos: registros contá-beis, dados de custo, pedidos, contas de fretes, etc.) como uma base para determinação da preci-são e outras medidas da qualidade dos dados ou registros.

2 Documentos complementares

Origem: ABNT - NB-309-02/1977 CB-03 - Comitê Brasileiro de Eletricidade CE-03:056.02 - Comissão de Estudo de Controle e Certificação de Qualidade NBR 5427 - Guide to the use of NBR 5426 - Sampling procedures and tables for inspection by attributes - Procedure Descriptors: Sampling. Inspection by attributes. Statistical analysis Incorpora Errata de OUT 1989

Procedimento

2NBR 5427/1985

Na aplicação desta Norma é necessário consultar:

NBR 5425 - Guia para inspeção por amostragem no controle e certificação de qualidade - Procedimento

NBR 5426 - Planos de amostragem e procedimentos na inspeção por atributos - Procedimento

3 Condições gerais

3.1 Procedimentos típicos

O quadro a seguir ilustra uma seqüência típica de operações, quando se usam os procedimentos de amostragem e as tabelas de inspeção por atributos da NBR 5426.

Exemplo:Foram prescritos, para uso no início de um contrato para uma grande quantidade do produto

Operações Explicação

1. Determinar o tamanho do loteTamanho do lote, estabelecido pelos critérios de formação do lote, contidos nos documentos de aquisição, ou conforme acordo entre produtor e consumidor

2.Escolher o nível de inspeçãoNo início do contrato ou produção é aconselhável usar nível I. Podem ser usados outros níveis de inspeção, se o histórico da qualidade assim o indicar

3.Determinar o código literal do tamanho da amostraÉ encontrado na Tabela 1 da NBR 5426 e baseado no tamanho do lote e no nível de inspeção

4.Escolher o plano de amostragemGeralmente usa-se o plano de amostragem simples.

Podem, entretanto, ser usadas amostragem dupla e múltipla

5.Estabelecer a severidade da inspeçãoNo início do contrato ou produção utiliza-se inspeção em regime normal

6.Determinar o tamanho da amostra e o número deBaseados nos requisitos para inspeção simples e regime aceitaçãonormal são encontrados na Tabela 2 da NBR 5426: o valor do NQA especificado e o código literal do tamanho da amostra, o tamanho da amostra e o número de aceitação

7.Retirada da amostraA amostra é retirada do lote, ao acaso, na quantidade de unidades de produto, conforme determinado na Tabela 2 da NBR 5426

8.Inspeção da amostraO número de defeituosos (ou “defeitos por cem unidades”) é contado e comparado com o(s) número(s) de aceitação, adotando o critério próprio para cada tipo de plano de amostragem (ver Anexo da NBR 5426)

Seqüência de operações

A, o nível de inspeção I, amostragem simples, um valor de Nível de Qualidade Aceitável (NQA) de 2,5%, bem como os procedimentos de inspeção normal. Considerou-se adequado um tamanho de lote de 1500 unidades de produto A, levando-se em conta a taxa de produção e as características do produto. O plano de amostragem e os procedimentos são determinados como segue:

a) encontra-se o código literal do tamanho da amostra, K, na Tabela 1 da NBR 5426, baseado em um tamanho de lote de 1500 e no nível geral de inspeção I; b)na Tabela 2 da NBR 5426 correspondente ao código literal K e NQA de 2,5%, encon-tramse o tamanho de amostra de 125 peças e um número de aceitação (Ac) de 7; c) do lote de 1500 unidades retira-se ao acaso uma amostra de 125 unidades. Em cada unidade na amostra, inspecionam-se todas as características da qualidade especificadas para se determinar se a unidade é defeituosa ou não; d) o lote inteiro de 1500 unidades será aceito se forem encontradas sete ou menos unida-des defeituosas na amostra (as unidades defeituosas encontradas na amostra podem ser substituídas por unidades não defeituosas ou recuperadas para corrigir as deficiências). Se oito ou mais unidades forem encontradas na amostra, o lote deve ser rejeitado.

3.2 Recursos adicionais de inspeção

NBR 5427/19853

Quando for especificada proteção pela Qualidade Limite (QL) ou inspeção em regime severo (ou atenuado), devem ser adotados procedimentos similares conforme orientação detalhada em parágrafos subseqüentes.

4 Condições específicas 4.1 Nível de qualidade aceitável

A definição, a escolha e a aplicação do Nível de Qualidade Aceitável (NQA) são discutidos, em termos gerais, na NBR 5425. Segue-se uma discussão mais detalhada dos NQAs que são usados especificamente nos planos de amostragem e nos procedimentos da NBR 5426.

4.1.1 Porcentagem defeituosa e defeitos por 100 unidades

Existem 16 valores específicos de NQA dados nas tabelas de amostragem da NBR 5426, variando de 0,01 a 10,0, que podem ser expressos tanto em “porcentagem defei-tuosa” quanto em “defeitos por cem unidades (DCU)”. Estão previstos ainda dez valores específicos de NQA de 15 a 1000 que devem ser expressos somente em termos de “defeitos por cem unidades”. Os valores de NQA foram escolhidos de tal forma que cada um é aproximadamente 1,5 vez maior do que o precedente (a relação média é, mais

4.1.2 Tamanho de amostra NQAs

4.1.2.1 O significado das flechas nas tabelas

Os tamanhos de amostra dependem, de um certo modo, do valor do NQA. O efeito do valor do NQA pode ser observado ao se examinar a Tabela 2 da NBR 5426 onde são mostradas uma série de flechas apontando para bai-xo e uma série de flechas apontando para cima. Sempre que uma flecha estiver apontando para baixo é usado o primeiro plano de amostragem abaixo da flecha. Sempre que uma flecha apontar para cima é usado o primeiro plano de amostragem acima da flecha. Este procedimento é ilustrado com os seguintes exemplos:

a)usando-se a Tabela 2 da NBR 5426 e um NQA de 0,10%, o menor tamanho de amostras que pode ser escolhido é 125 unidades, não importa se apli-ca qualquer dos códigos literais de tamanho de amostra de A a J, conforme determinado na Tabe-la 1 da NBR 5426. Para um NQA de 1,0%, o menor tamanho de amostra é de 13 unidades.

DCU, o maior tamanho de amostra pedido é de 80 unidades. Para um NQA de 1,0% com código literal de tamanho de amostra F, flecha aponta para cima para um tamanho de amostra de 13 unidades e número de aceitação zero.

4.1.2.2 Variação nos valores de NQA

Geralmente, à medida que o valor do NQA aumenta, os tamanhos mínimo e máximo de amostra diminuem. À medida que o NQA diminui, os tamanhos mínimo e máximo de amostra aumentam.

4.1.3 NQAs preferenciais

Os valores do NQA dados nas tabelas da NBR 5426 são conhecidos como NQAs preferenciais. Não se aplicam estas tabelas se, para qualquer produto, for designado um NQA diferente dos NQAs preferenciais. Com isso, pre-tende-se limitar a quantidade de planos de amostragem a um número prático. Para que se possa utilizar as tabelas é necessário igualar o NQA não preferencial ao valor próximo mais baixo de um NQA preferencial.

Exemplo:suponha que o NQA especificado seja 5%. O valor do NQA preferencial de 4,0% é o que deverá ser designado se forem utilizados os planos de amostragem e os procedimentos da NBR 5426. Esta mudança para um valor mais baixo de NQA garantirá uma qualidade de produto tão boa ou melhor que a qualidade originalmente desejada.

4.2 Níveis de inspeção

A NBR 5426 estabelece três níveis gerais de inspeção e quatro níveis especiais de inspeção. Estes sete níveis permitem ao usuário equilibrar o custo de inspeção e a proteção da qualidade requerida.

4.2.1 Escolha dos níveis de inspeção

Os níveis gerais de inspeção de I a I são comumente usados em inspeção tipo não-destrutiva. Os níveis especiais S-1 a S-4 são comumente usados em inspeções tipicamente destrutivas ou de custo elevado onde são adequados pequenos tamanhos de amostra. Antes de se especificar o nível de inspeção, deve-se fazer uma detalhada análise dos seguintes fatores, de modo a melhorar a relação custo-risco. A análise deve incluir (não se limi-tando apenas a isso) o seguinte:

a)as curvas características de operação (CCO) para avaliar as propriedades técnicas dos vários planos; b)o risco do fornecedor e a discriminação oferecida pelos vários níveis de inspeção; d)o conhecimento da capabilidade do processo e a história do desempenho passado da qualidade; e)complexidade do item; f)o custo e a importância do exame ou ensaio, principalmente quando o ensaio é caro, demorado ou de caráter destrutivo; g)a importância das diversas características da qualidade que estão sendo examinadas, isto é, a gravidade das falhas geradas em casos de não conformidade; h)análise do risco do consumidor. 4.2.2 Comparação com a norma

Se considerarmos como base o nível I (exceto para pequenos tamanhos de amostra), as quantidades relativas de inspeção exigidas pelos três níveis gerais de inspeção seriam as seguintes: Nível I é igual a 0,4 vez o nível I e o

4NBR 5427/1985

Nível I seria igual a 1,6 vez o nível I.

Exemplo:Considere o tamanho de lote de 1500 unidades e amostragem simples, inspeção normal, e um valor de NQA de 2,5%. Os códigos literais dos tamanhos das amostras da Tabela 1 e os tamanhos de amostras e os números de aceitação (Ac) da Tabela 2, ambas da NBR 5426 para cada um dos três níveis gerais de inspeção são as seguintes:

Comparação entre os níveis gerais de inspeção Níveis gerais de inspeção

Código literal do tamanho daHKL amostra

Pode ser observada uma tendência similar nas outras tabelas de amostragem para inspeção severa e para inspeção atenuada, assim como para inspeção por amostragem dupla e por amostragem múltipla.

4.2.3 Níveis especiais de inspeção

S-1, S-2, S-3 e S-4 são níveis especiais de inspeção que podem ser usados quando se fizerem necessários tamanhos de amostras relativamente pequenos para ensaios destrutivos ou quando possam ou devam ser tolerados grandes riscos de amostragem. Estes níveis podem ser considerados adequados quando forem usados processos repetitivos (máquinas de fabricar parafusos, estampagem, cunhagem de parafusos, etc.) por um fornecedor de produtos reconhecidamente de boa qualidade.

Exemplo:Suponha um tamanho de lote de 1500 unidades, amostragem simples, inspeção normal e valor do NQA de 2,5%. Estas condições são as mesmas do exemplo de 4.2.2. Os códigos literais de tamanho de amostra da Tabela 1, da NBR 5426, e os tamanhos de amostras e números de aceitação (Ac) da Tabela 2, da NBR 5426, para cada um dos quatro níveis especiais de inspeção, são os seguintes:

Comparação entre os níveis especiais de inspeção Níveis especiais de inspeção

S-1 S-2 S-3 S-4

Código literal de tamanhoCDEG de amostra

Na Tabela 2 da NBR 5426, observar que, para o código literal de tamanho de amostra D e um valor de NQA de 2,5%, uma flecha aponta para cima indicando que o ta- manho de amostra e o número de aceitação serão iguais aos determinados para o código literal de tamanho de amostra “C”. Para o código literal de tamanho de amostra “E” e valor de NQA de 2,5%, a flecha aponta para baixo indicando que o tamanho de amostra e o número de aceitação a serem usados são iguais aos do código literal de tamanho de amostra “F”.

4.2.4 NQAs para níveis especiais de inspeção

Alguns valores de NQAs são incompatíveis com certos números de níveis especiais de inspeção, conforme ilustrado a seguir.

Exemplo:Considere um lote de 250 unidades: nível de inspeção S-3, amostragem simples, inspeção normal e um valor de NQA de 0,025%. Na Tabela 1 da NBR 5426, o código literal de tamanho da amostra é “D”; na Tabela 2 com um NQA de 0,025 %, o menor tamanho de amostra, indicado por uma flecha apontando para baixo é de 500 unidades. Um tamanho de amostra indicado de 500 unidades é, portanto, incompatível com um tamanho de lote de 250 unidades, sendo, portanto, necessária inspeção 100%. Por outro lado, se tiver sido especificado um NQA de 1,5%, o tamanho de amostra deve ser de oito unidades e o número de aceitação, zero; um plano perfeitamente exeqüível.

4.3 Planos de amostragem

4.3.1 A NBR 5426 prevê três tipos de amostragem; simples, dupla e múltipla. Na norma são dadas informações gerais sobre estes tipos de planos de amostragem. As maiores diferenças entre esses tipos de planos de amostragem são ilustradas pelos exemplos que se seguem para os quais foram supostos os seguintes valores:

c)na Tabela 1 da NBR 5426, o código literal do tamanho de amostra é “K”; d)inspeção normal; e)NQA de 1%. 4.3.2 Planos de amostragem simples

Para inspeção normal, os planos de amostragem simples são encontrados na Tabela 2, da NBR 5426.

Exemplo:Baseado nas instruções de 4.3.1 são retiradas, ao acaso, 125 unidades do lote. Se forem encontradas três, ou menos, unidades defeituosas, aceitar o lote. Se forem encontradas quatro ou mais defeituosas, rejeitar o lote.

(Parte 1 de 5)

Comentários