Punção Venosa correta

Punção Venosa correta

Punção Venosa (Seringa)

  1. Certificar-se de usar todos os EPI’S necessários. (Luvas, máscara, jaleco, sapato fechado, touca e etc)

  2. Separar o material, acomodar e identificar o paciente e o tudo de coleta.

  3. Certificar-se que o paciente está apoiado corretamente caso haja mal estar, braço sempre em região de dobradiça apoiado.

  4. Lavar as mãos (Palmas, dorso, espaço entre os dedos, articulações, polegar, unhas, extremidades dos dedos). Secar bem as mãos antes de calçar as luvas. Ps: Luvas apertadas principalmente nos dedos.

  5. Garrotear o braço do cliente, em média 4 dedos acima da articulação (Garrote amarrado em meio laço para facilitar a retirada. Pedir para fechar a mão, caso necessário para que o sangue se mantenha estável na região).

  6. Selecionar a veia.

  7. Fazer a antissepsia, sentido unidirecional utilizando algodão umedecido com Álcool a 70% (Superficialmente). NÃO TOCAR NA REGIÃO APÓS O PROCEDIMENTO

  8. Retirar a capa da agulha e puncionar o local com ângulo médio de 30-45°, indicador e dedo médio embaixo e polegar em cima da seringa. Bisel voltado para cima, deixado um pouco de espaço entre o embolo e a agulha. Ps: Não esquecer de romper o lacre do embolo.

  9. Coletar a quantidade necessária.

  10. Com o sangue na seringa, retirar o garrote. Puxar o embolo devagar para que não haja hemólise.

  11. Antes de retirar a seringa, colocar o algodão seco, retirar a seringa e pressionar o local levemente.

  12. Colocar o material colido no tubo, a ponta da seringa encostada na parede contrária do tubo, pressionar continua e delicadamente. Sem a agulha na seringa.

  13. Fazer a homogeneização reversa, delicadamente de 6 a 8 vezes.

  14. Para o descarte, lembrar de nunca reencapar a agulha, retirar a agulha com a pinça apropriada e colocar na caixa adequada para o procedimento separada da seringa.

  15. Descartar luvas, algodões e capa da agulha em lixo biológico.

Comentários