Criando os filhos no caminho de Deus

Criando os filhos no caminho de Deus

(Parte 5 de 11)

Nossa auto-imagem deveria ser baseada nesta nova identidade em Cristo.

Provérbios 1.7 diz: "O temor do Senhor é o princípio da ciência; os loucos desprezam a sabedoria e a instrução". A sabedoria tem início com esta compreensão básica do papel de Deus na relação de quem somos nós. Reconhecer seu poder soberano sobre nossas vidas faz com que o temamos — este é um sentimento de reverência respeito por sua santidade e expressa o desejo de louvá-lo e adorá-lo, pois somente Ele é digno.

Por um lado, temos respeito pelo Senhor, somos cheio de reverência e apreciação por todas as coisas que Ele no| tem dado — até mesmo a vida eterna, apesar de sermos pecadores e não merecermos estas dádivas. Nunca poderemos comparar seus padrões com os nossos. Não podemos, ganhar nosso caminho para o Céu. Mas Deus nos salvou através de sua graça. Esta é uma tremenda verdade a compreender! Uma verdade à qual devemos nos submeter.

Harmonizados com tal percepção, sabemos que somos! especiais e totalmente únicos. Deus possui um plano para ai vida de cada pessoa e nos ama incondicionalmente, não importa o que façamos. Deus concedeu a cada um de nós j uma personalidade única, talentos especiais e habilidades que deseja desenvolver. Ele possui um propósito para estarmos nesta terra. Deus conhece-nos melhor do que jamais poderíamos nos conhecer.

Senhor, tu me sondaste e me conheces. Tu conheces o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. Cercas o meu andar e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos. Sem que haja uma palavra na minha língua, eis que, ó Senhor, tudo conheces. (Sl 139.1-4)

Pois possuíste o meu interior; entreteceste-me no ventre de minha mãe. Eu te louvarei, porque de um modo terrível e tão maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. (Sl 139.13,14)

Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe, e no teu livro todas estas coisas foram escritas, as quais iam sendo dia a dia formadas, quando nem ainda uma delas havia. (Sl 139.16)

Um dos maiores presentes que podemos dar aos nos-B filhos é a compreensão de quem eles são em Cristo. Deus criou seus filhos à sua imagem e os redimiu oferecendolhes nova vida em Cristo, se tão somente o aceitarem. Jesus conhece tudo sobre suas vidas e possui planos neste sentido. Ele é glorificado quando suas qualidades são refletidas, pois são filhos — membros da família de Deus.

Atualmente, ouvimos falar muito sobre auto-estima. Quase todas as escolas do país possuem algum currículo ou esforço direcionado à construção deste sentimento em nossos filhos. Você deveria estar preocupado com este movimento, ou ele é importante para que seu filho desenvolva d auto-estima?

Certamente, é vital que seu filho(a) compreenda sua identidade em Cristo. Ele tem valor pois Deus o(a) valoriza. Deus mio comete enganos. Ele os criou perfeitamente à sua imagem, então achou-no(a) valioso o suficiente ao ponto de enviar Jesus Cristo, a fim de que ele(a) pudesse viver. Eles têm valor por causa dEle!

Porém, o valor convertido pelo Senhor é humilde, pois mio há coisa alguma que possamos fazer para sermos valorosos por nós mesmos. Somos salvos pela graça — favor imerecido — e não porque somos valiosos. Por sermos pecadores, merecemos apenas a morte. Alcançamos a salvação o, apenas através do mérito e perfeição de Cristo. A Bíblia nos declara:

Porque , pela graça que me é dada, digo a cada um dentre vós que não saiba mais do que convém saber, mas que saiba com temperança, conforme a medida da fé que Deus repartiu a cada um. (Rm 12.3)

Nossa auto-imagem depende constantemente de nossa realização na fé e em todas as coisas que Cristo tem feito por nós. Precisamos nos comparar somente a Ele.

Mas prove cada um a sua própria obra e terá a glória só em si: mo e não noutro. Porque cada qual levará a sua própria carga: (Gl 6. 4,5)

Precisamos testar nossos próprios atos. Estaremos sempre em falta com o ideal de Deus, mas podemos ver nosso crescimento espiritual e nos orgulharmos pelo trabalho Espírito Santo em nossas vidas. Nunca devemos nos cor parar aos outros, uma vez que cada pessoa cresce em diferentes áreas de acordo com a vontade divina e dos padrões celestiais, não terrenos. Podemos ensinar aos nossos filho! que seus valores e riquezas provêm do trabalho de Deus Possuímos um valor divinamente estabelecido e baseado na estima, no valor e na imagem de Deus, não em nossa auto-estima, autovalor ou auto-imagem.

É importante que nossas famílias tenham uma visão correta ou autoconceito das riquezas e valores, não almejando exageradamente, mas reconhecendo quem somos em Cristo. Nossos valores e riquezas não provém de realizações ou posses (um padrão mundano), mas de um relacionamento com Deus através de Jesus Cristo.

O mundo e muitas escolas ensinam "auto-estima" baseados na autovalorização intrínseca. Aos nossos filhos é ensinado pensarem em si próprios para seu próprio bem, possuindo cem por cento de controle sobre suas próprias vidas e destinos. Este ensino é falso e totalmente contrário às Escrituras. Você precisa neutralizar este aprendizado em seu lar, caso seu filho o esteja recebendo na escola, com amigos ou através da televisão.

Nossos filhos precisam compreender que o Senhor possui um propósito especial para eles. Seu propósito para d um de nós é: • Ser conforme à imagem de Deus.

• Amar e servi-lo.

• Ser obediente aos seus mandamentos.

• Amar e servir aos outros.

• Ser luz e sal para o mundo.

• Trazer a influência cristã a cada aspecto da vida. Precisamos desenvolver nossas habilidades e talentos, pois são ferramentas de

Deus que nos capacitam a viver de acordo com seu propósito. Obteremos sucesso ao buscarmos e seguirmos os planos de Deus para nossas vidas e famílias.

Procurem obedecer rigorosamente a todos estes mandamentos. Se fizerem o que é reto aos olhos do Senhor nosso Deus, tudo correrá bem para vocês e para os seus filhos, para sempre. (Dt 12.28, A Bíblia Viva)

À medida que nossos filhos desenvolvem seus talentos e habilidades, utilizandoos para completar o propósito de Deus em suas vidas, eles provarão um sentimento de realização e crescerão em confiança que os ajudarão a serem mais bem-sucedidos.

Porque eu bem sei os pensamentos que penso de vós, diz o Senhor; pensamentos de paz e não de mal, para vos dar o fim que esperais. (Jr 29.1)

Deus possui um plano especial para seu filho. Ele deseja que ele (ou ela) tenha sucesso e, para tal, deu-lhe talentos e habilidades. Seu filho provavelmente nunca entendeu bem o plano de Deus para ele, isto é comum. Precisamos ter fé e confiar no trabalho do Senhor em nossas vidas, conduzindo-nos através destas áreas que não compreendemos.

Porque, agora, vemos por espelho em enigma; mas, então, veremos face a face; agora, conheço em parte, mas, então, conhecerei como também sou conhecido. (1 Co 13.12)

Nossa confiança está no conhecimento e nos planos de Deus. Ele nos capacitará a alcançar sucesso, se formos sensíveis à sua liderança e buscarmos sua vontade. Não é necessário que saibamos e compreendamos todas as coisas. Caso eu esperasse para agir até obter confiança completa em mim mesma, nunca completaria coisa alguma. Na verdade, eu nunca seria uma escritora. Porém, por confiar nas habilidades de Deus, estou apta a caminhar pela fé e cumprir o propósito que Ele tem para minha vida.

Como pais, podemos ajudar nossos filhos a serem bem-sucedidos, a desenvolverem suas habilidades e compreenderem como usá-las para o Senhor, instilando os padrões de Deus sobre certo e errado nos corações de nossos filhos, encorajando-os a utilizar a força e confiança que Deus lhes deu (Fl 4.13) e, modelando nossa fé, nossos filhos terão esperança e saberão seu destino (Cl 3.4).

Quando nossa família desenvolve uma identidade saudável através do relacionamento com Deus, compreendemos que Ele tem um propósito para nossas vidas. Esta percepção enche-nos de um profundo senso de bem-estar — a alegria do conhecimento de que Deus está no controle e nos habilitará a obter êxito naquilo que planejou. Isto nos dá confiança para alcançarmos o sucesso. Aliado a esta vivência pessoal e familiar, posso também ajudar meus filhos a experimentar a operação divina em suas vidas.

Trazendo-a para Casa Aplicando os princípios de Deus: favor consultar o capítulo 2, pura idéias e atividades sobre a elaboração da Noite Familiar.

Abertura: De que forma Deus demonstra seu amor por você? (Assegure-se de que cada filho compreende que pode ter vida através de Cristo.)

Escrituras: Salmos 139.1-4,13-16. Discussão: Com que precisão Deus conhece você? Existe alguma coisa que

Deus não saiba sobre sua vida? Como Ele pode conhecê-lo tão bem? Será que Deus possui um plano para você? Como segui-lo e aprender sobre este plano? Sabendo que Deus o conhece intimamente, melhor do que você mesmo; possui o poder definitivo em sua vida e um plano especial para você — como se sente? De onde provêm sua imagem e valor?

Aplicação: 1. Sabendo como Deus demonstra seu amor por nós, como podemos expressar o mesmo por Ele? Faça uma lista das maneiras pelas quais você pode mostrar a Deus quanto o ama. 2. Cada membro da família escolhe uma nova maneira de se aproximar do

Senhor e aprender mais sobre o plano divino para sua vida. Comece a agir assim desde agora. Eis algumas sugestões: • Ter um momento diário a sós (orar e estudar a Bíblia).

• Ler a Bíblia todas as noites.

• Pedir a Deus para mostrar-lhe o que modificar em sua vida.

• Memorizar versículos todos os dias d semana

SEÇÃO I Definindo o Objetivo

5. História de Dois Homens

O Primeiro Homem: Era uma vez uma criança nascida cm um lar cristão.

Mesmo antes do bebê, chamado João, ler nascido, Deus tinha uma importante missão para sua vida. Logo depois de crescido, João fez algo ímpar, mudou-se para o deserto.

Ele não parecia ser civilizado; assemelhava-se mais a um homem selvagem das montanhas ou um hippie, vestindo roupas feitas de pêlo de camelo e cinto de couro, além de comer alimentos estranhos: mel silvestre o gafanhotos. Este homem tinha uma dura mensagem a pregar. Ele mandava que o povo se arrependesse de seus pecados e falava de um Messias que viria para salvá-lo. Muitos pessoas riam-se dele e o ridicularizavam. Mas João não permitiu que o intimidassem, pois sabia que falava a verdade e seu propósito era anunciar a iminente chegada de Jesus. Ele obedeceu a Deus apesar da perseguição e, por causa desta obediência, muitas pessoas o ouviam; acreditavam na verdade em que contava e eram batizadas.

Nesta época, havia um rei chamado Herodes. Ele casou-se com a esposa de seu irmão, Herodias. João teve a coragem de dizer-lhes que o casamento deles era imoral aos olhos de Deus, por isso foi preso e eventualmente! decapitado.

O Segundo Homem: Era uma vez, muito antes do tempo de João, um outro bebê recém-nascido, chamado Saul. Ele nasceu com muitas vantagens e era muito rico (seu pai era um homem opulento e influente da tribo de Benjamim). Sai foi denominado o "homem mais bonito de Israel" (na linguagem de hoje), pois era grande e musculoso. Ele foi criado para ser um homem poderoso, e Deus o escolheu para ser o primeiro rei de Israel.

Deus concedeu a Saul muitas oportunidades, e quando Saul lhe obedecia era abençoado e conquistava outros exércitos. Porém, Saul era impulsivo e gostava de tomar a frente com seus próprios planos sem esperar por Deus. Algumas vezes, ele literalmente lhe desobedeceu.

Devido à desobediência de Saul, Deus decidiu fazer de Davi rei em seu lugar.

Ele implorou por perdão, mas era muito tarde, e Davi tornou-se o novo rei. Saul não aceitou este fato como sendo um plano de Deus, ao contrário, ficou extremamente ciumento e planejou matar Davi, porém não era capaz de fazê-lo. Assim, sem saber como proceder, pediu conselho a uma feiticeira. Finalmente, Saul morreu por sua própria mão no campo de batalha.

Qual destes dois homens obteve sucesso? Imagine-os vivendo no mundo de hoje e suas histórias acontecendo agora. Do ponto de vista mundano, João Batista seria visto como um fanático religioso, totalmente louco. De fato, infelizmente, mesmo diversos cristãos de nossos dias pensariam em João como uma pessoa extremada e com um parafuso a menos.

Por outro lado, Saul seria uma pessoa de sucesso aos olhos do mundo. Ele era rei e possuía tudo: aparência, dinheiro, poder e influência. Na verdade, muitos veriam Davi como vilão — o intruso — e sentiriam pena da"má sorte" de Saul.

Como você veria estes homens, caso lesse suas histórias nos jornais? Qual dentre eles seu filho consideraria um sucesso?

Na opinião de Deus, o que é importante sobre estes homens? Eis o que o próprio Jesus tinha a dizer sobre João Batista:

Quando os discípulos de João tinham ido embora, Jesus começou a falar dele às multidões:

Quando vocês saíram ao deserto para ver João, com que esperavam que ele se parecesse? Com o capim agitado pelo vento? Ou vocês estavam esperando ver um homem vestido como um príncipe num palácio? Ou um profeta de Deus? Sim, e ele é mais do que um simples profeta. Porque João ê o homem citado nas Escrituras — um mensageiro para vir antes de Mim, para anunciar minha vinda e preparar o povo para me receber. Na verdade, de todos os homens que já nasceram, nenhum foi tão grande como João Batista. (Mt 1.7-1, A Bíblia Viva)

Jesus disse que de todos os homens já nascidos nenhum c tão grande como ele!

Esta é uma classificação muito alta, especialmente vinda do próprio Deus! Eu seria obrigada a concluir que Deus considera João Batista um grande sucesso, mesmo que o mundo não pense assim.

Mas João teve uma morte trágica, não? Ele foi decapitado! Dificilmente, esperaríamos tal resultado do sucesso! João sabia que sua vida nesta terra seria apenas uma breve passagem. Sua recompensa não provinha desta terra, vinha do céu. O êxito não nos garante uma vida fácil de riquezas, mas nos proporciona recompensas eternas.

Saul, por outro lado, tinha a aparência externa de um homem que "possuía tudo" — um sucesso aos olhos do mundo. E Deus podia tê-lo transformado em um homem bem-sucedido diante do mundo. Deus o escolheu para ser rei e desejava coroar seus esforços. Infelizmente, Saul tinha seus próprios planos e ambições, por isso recusou obedecer a Deus.

Samuel respondeu: Acaso o Senhor tem tanto prazer em suas ofertas queimadas e sacrifícios, como tem em sua obediência? Obedecer é muito melhor do que sacrificar. Deus está muito mais interessado em que você atenda ao que Ele ordena, do que nas ofertas da gordura de carneiros. Porque a rebelião é tão ruim como o pecado de feitiçaria, e a teimosia é tão ruim como adorar a imagens. E agora, já que você rejeitou a palavra do Senhor Ele rejeitou a você, para que não seja rei. (Sm 15.2,23, A Bíblia Viva)

Samuel tinha avisado o povo e seu rei, Saul, dizendo:

Se vocês respeitarem e adorarem ao Senhor e obedecerem aos seus mandamentos e não se rebelarem contra o Senhor, e se tanto vocês como o seu rei seguirem ao Senhor seu Deus, então tudo irá bem. Mas se vocês se rebelarem contra os mandamentos do Senhor e não quiserem atender ao que Ele diz, então a mão do Senhor será tão pesada sobre vocês, como foi sobre seus pais. (1 Sm 12.14,15, A Bíblia Viva)

(Parte 5 de 11)

Comentários