Apostila - Cisterna - CAPTACAO AGUA DE CHUVA

Apostila - Cisterna - CAPTACAO AGUA DE CHUVA

MANUAL PARA CONSTRUÇÃO DE CISTERNA 16.0 litros MANUAL PARA CONSTRUÇÃO DE CISTERNA 16.0 litros

Autoria:

Bruno Azevedo Flávio Duarte

Colaboração:

Samuel Siqueira Yasmine Cortopassi w. .com.brBIOhabitate - Saúde Ambiental e Arquitetura VivaBIOhabitate

Parceiro:

w.cpcd.org.br

Apresentação
O que é uma Cisterna de Placas?
Construindo a Cisterna
Marcação e escavação
Gabarito
Laje e Contrapiso
Assentamento das placas da parede
Amarração da parede
Reboco
Impermeabilização
Pilar Central
Cobertura | Caibros
Cobertura | Placas
Acabamento - Reboco
Acabamento - Pintura
Captação e manejo da água
Captação e manejo da água - bomba
Recebimento oficial da Cisterna
Condições dos Materiais
Ferramentas
Formas
Dicas para conservação
1ª Etapa:
2ª Etapa:
ANEXOS:

ÍNDICE Materiais construção cisterna e placas Cuidados com a Cisterna 3ª Etapa: 4ª Etapa: 5ª Etapa: 6ª Etapa: 7ª Etapa: 8ª Etapa: 9ª Etapa: 10ª Etapa: 11ª Etapa: 12ª Etapa: 13ª Etapa: 14ª Etapa: 15ª Etapa: 16ª Etapa:

A água é um dos recursos naturais mais importantes para a sustentação da vida no planeta. A maioria dos metabolismos, ciclos e seres da Terra dependem da água para realizarem suas funções essenciais. Apesar de ser considerado um recurso renovável e dentro do ciclo hidrológico da Terra sua quantidade permanecer quase constante, qualitativamente, a água nem sempre pode ser renovada o que aumenta a escassez desse recurso. Historicamente a preocupação mundial com a escassez de água se dava pontualmente nas regiões onde a água doce era menos disponível. Atualmente essa preocupação se tornou global; vemos que a demanda de água doce cresce rapidamente e sua disponibilidade global não acompanha esse crescimento. Por isso foi desenvolvido um sistema de captação da água da chuva, aproveitando também este recurso. A coleta de água do telhado é uma iniciativa viável economicamente para fazer a captação para que a água possa ser armazenada na cisterna. Tomando as devidas precauções e cuidados descritos ao longo deste manual. Ressaltamos que é necessário que a água seja filtrada antes de beber. É com alegria e compromisso que a Biohabitate desenvolveu este Manual da Cisterna de Placas para que mais gente tenha a possibilidade de melhorar sua qualidade de vida. Pois acreditamos que juntos, podemos ter um planeta melhor.

É um reservatório de água da chuva, feita de placas de cimento e ferro galvanizado.

A água é recolhida através das calhas do telhado, passando por um filtro antes de ser armazenada.

Esta cisterna pode armazenar 16 mil litros

de água, sendo capaz de fornecer água para uma família de até seis pessoas no período de estiagem.

A forma redonda diminui a pressão da água sobre as paredes, evitando rachaduras e fendas. Uma parte da cisterna ficará enterrada para diminuir a temperatura da água, otimizando o armazenamento.

A cobertura da cisterna combate a evaporação da água, e evita qualquer contaminação de animais ou dejetos trazidos pelas chuvas e pelos ventos.

1ª ETAPA CONSTRUINDO UMA CISTERNAS DE PLACAS 16.000lts Definição do local adequado:

A cisterna deve ser construída próximo ao telhado mais alto para que a água chegue facilmente pela gravidade.

Longe de currais, fossas, chiqueiros e depósitos de lixo para que não haja contaminação da água armazenada;

A distância mínima entre a cisterna e esses locais deve ser de 10 metros.

Deve-se evitar a construção da cisterna próximo de árvores e arbustos com raízes fortes

Em casos de solos pedregosos, rasos, arenosos ou do tipo massapé devem ser compactados previamente, pois são instáveis e dificultam a escavação.

2ª ETAPA MARCAÇÃO E ESCAVAÇÃO Para fazer a marcação use um compasso de corda

3ª ETAPA GABARITO

NOTA: Em caso de terreno arenoso, faça uma camada com brita 2 e forre com 14 carrinhos de areia de estrada. Aguar, compactar bem, antes de iniciar o piso (laje)

4ª ETAPA LAJE CONTRAPISO

Nivele e compacte o solo. Sarrafear o concreto com uma malha de ferro, acompanhando a marcação dos piquetes de nivelamento. Use novamente o compasso de corda para marcar os raios interno/ externo antes do concreto secar.

EXPESSURA TOTAL PISO 9cm

5ª ETAPA ASSENTAMENTO DAS PLACAS DE FECHAMENTO

É importante assentar as fiadas intercaladas conforme ilustração,para garantir melhor estruturação da parede.

6ª ETAPA AMARRAÇÃO DA PAREDE

É necessário que a amarração seja feita 48hrs após o assentamento das placas.

Inicia-se pela base, 5cm do chão.

1ª fiada: 8 voltas 2ª fiada: 8 voltas 3ª fiada: 7 voltas 4ª fiada: 6 voltas

7ª ETAPA REBOCO | INTERNO E EXTERNO TRAÇO:

REBOCO INTERNO: 3 latas de areia fina para 1 lata de cimento.

REBOCO EXTERNO: 5 latas de areia fina para 1 lata de cimento.

No reboco externo, é necessário cobrir os arames, evitando contato com a terra.

Espessura entre 2 e 3cm.

Todo o reboco interno deve ser executado de uma só vez, sem emendas, inclusive o piso.

fazer meia cana

8ª ETAPA IMPERMEABILIZAÇÃO

MATERIAL: Sikatop 100 ou similar. Brocha, pincel ou trincha.

A aplicação do impermeabilizante deve ser feita na parte interna da cisterna um ou dois dias após o reboco.

Misturar o impermeabilizante de acordo as orientações do fabricante.

A superfície deve ser umedecida antes da aplicação da primeira demão. Atenção para não encharcar.

Serão aplicadas 3 demãos cruzadas na parede e 2 demãos cruzadas no piso. A segunda demão será aplicada após a secagem da primeira e assim em diante.

A cisterna só poderá ser abastecida d´água depois de no mínimo, 5 dias. Antes de liberar a água para encher a cisterna, há que fazer uma limpeza com água e sabão neutro e enxaguar em abundância.

Evitar a aplicação do impermeabilizante sob o sol intenso.

9ª ETAPA PILAR CENTRAL

Pilar central de madeira: 235cm x Ø20cm Rodela madeira: Ø50cm x 3cm 4 estacas/escoras de madeira com 2M cada; 4M de corda comum. 3 pregos 2,5/10 (caibral) 2 calços de madeira de 3,5 (facilitará a retirada do pilar central)

10ª ETAPA COBERTURA | CAIBROS

Os caibros devem ser colocados em linha, conforme ilustração. Seguir gabarito.

18 caibros de concreto

TRAÇO: 5 LATAS de areia para 1 LATA de cimento. Rejunte dos caibros nas placas.

160cm 8cm 4cm

Depois de terminada a distribuição dos caibros sobre a rodela de madeira, amarre-os com o arame, apertando firme com torquês ou alicate. Há que molhar a rodela antes de chumbar os caibros. Despejar um balde com o traço de concreto ( ) sobre o ponto de amarração dos caibros,areia, brita e cimento em cima da rodela.

Preencher com concreto todos os vazios da amarração.

Após a colocação e secagem de todos os caibros, o pilar central deverá ser removido.

11ª ETAPA COBERTURA | PLACAS

TRAÇO (Rejunte das placas): 5 LATAS de areia para 1 LATA de cimento.

MATERIAL: 18 conjuntos (formados por 3 peças) de placas da tampa.

NOTA: As placas da cobertura devem ser colocadas após os caibros secos. Iniciar o assentamento das placas de baixo para cima, da borda para o centro. Sobre dois caibros colocar um pouco de argamassa e colocar a primeira peça; assentar as demais até formar o círculo completo. Lembrando que a tampa da cisterna é a última peça da primeira fileira.?

12ª ETAPA ACABAMENTO

TRAÇO: 5 LATAS de areia fina para 1 LATA de cimento.

O trabalho deve ser começado de cima para baixo, rebocando a coberturasomente por fora. O aterramento deverá cobrir as duas primeiras fiadas de placas. Essa terra não deverá conter raízes grossas e/ou pedras grandes, pois podem causar vazamento, danificando a estrutura da cisterna.

10Kg terra argilosa 1L cola branca forte 12 litros de sumo de cactos 100g de sal 0,5kg de cal 1L óleo de linhaça

13ª ETAPA ACABAMENTO | PINTURA

14ª ETAPA CAPTAÇÃO E MANEJO DÁGUA

O sistema de captação de água para a cisterna se dá através das calhas ou bicas que ficam presas no telhado da casa e também através dos canos que levam essa água para ser armazenada na cisterna. Assim, o coador deve ser colocado na entrada da cisterna, para que não entre nenhuma sujeira junto com a água. O comprimento das calhas deve ser do tamanho da água do telhado. Elas podem ser de PVC ou Zinco - chapa galvanizada.

Há que ter canos suficientes para ligar as calhas à cisterna.

15ª ETAPA CAPTAÇÃO E MANEJO DÁGUA | BOMBA

Tampa de concreto pré-fabricada, com alça em metal galvanizado e porta-cadeado.

Ajustar bem a tampa verificando a vedação. Assentar a bomba em local de fácil manejo.

Não pegar na parte da bomba manual que tem contato com interior da caixa. Se entrar em contato com sujeira, pessoas, animais ou insetos, deve-se fazer a limpeza da bomba com vinagre e água (200ml de vinagre para 1L de água) Somente retirar a bomba de dentro da caixa para manutenção e limpeza.

16ª ETAPA RECEBIMENTO OFICIAL DA CISTERNA

Um representante da irá fazer a conferência e BIOhabitate entrega oficial à família, no evento de capacitação em gerenciamento de recursos hídricos.

AREIA Deve ser lavada e peneirada. Evita-se areia salgada. Areia de estrada ou de riacho poderá ser utilizada. A areia não deve conter qualquer material orgânico, seja de origem animal ou vegetal. Cuidado com a areia de estrada deixada pelas enxurradas, essa areia normalmente não serve para a construção de cisterna, pois contém muita poeira (barro), estrume de animais e urina. Estes dois últimos são os que, especialmente, fazem estrago na massa, que pipoca, racha e faz perder a resistência. Se a areia for somente úmida, pode haver um aumento de volume com mais de 30%, em relação à areia totalmente seca. Se for medir areia úmida, tem de colocar mais areia, para a massa não ficar forte demais e rachar.

CIMENTO Nunca usar cimento velho, empedrado ou embolado. Se precisar estocar cimento por algumas semanas, colocar os sacos em cima de um lastro de madeira, dentro de um quarto onde não tenha muita circulação de ar.

Não se pode usar água salobra ou com restos orgânicos como urina ou esterco. Neste caso a parede da cisterna fica menos resistente, a massa descasca e a cisterna quebra.

Usar água com moderação. Água demais vai enfraquecer o concreto ou a massa. Usar o suficiente para que a massa fique maleável, nem muito dura nem muito mole.

Precisa-se jogar mais água nas paredes, quanto mais quente for a época da construção. É recomendável deixar, logo no segundo dia, uma camada de alguns centímetros de água no fundo da cisterna, pois a evaporação ajuda a manter a umidade das paredes. Deve-se, porém, usar água nova todo dia, pois aquela que já escorreu pelas paredes fica com uma qualidade alcalina, prejudicando a cura da massa.

Lembrar de retirar essa água antes da primeira chuva, pois ela não serve para beber.

ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE UNIDADE 1 Cimento 9 sacos 2 Arame galvanizado n°12 12 kg 3 Arame galvanizado n°14 1 kg 4 Ferro 4.2 1 barras 5 Areia lavada 2 M

6 Brita 1 (Gnaisse) 0.5 M

7 Cal 7 kg 8 Tubo 75mm 12 M 9 Tê PVC 75mm 3 UN 10 Cadeado pequeno 1 UN

1 Impermeabilizante (vedax plux ou similar) 2 Cx 18 kg

12 Calhas de Zinco – 0,30M de largura 1,5 M

13 Coador 50cm 1 UN 14 Corrente fina 0,2 M 15 Tampão em PVC 75mm 1 UN

ITEM DESCRIÇÃO QUANTIDADE UNIDADE 1 Cimento 9 sacos 2 Areia lavada 1 M

3 Brita 0 (zero,Gnaisse) 1 M 4 Ferro 6.3 5 barras

ITEM FERRAMENTA QUANTIDADE UNIDADE 1 Serra de cortar ferro (com arco) 3 UN 2 Torquê de cabo longo 1 UN 3 Serrote 1 UN 4 Martelo 1 UN 5 Pá 1 UN 6 Enxada 1 UN 7 Chibanca 1 UN 8 Peneira para areia - fina 1 UN 9 Nível de pedreiro 1 UN 10 Prumo 1 UN 1 Desempoladeira de madeira 1 UN 12 Linha de nylon 1 UN 13 Trena de 5M (fita métrica) 1 UN 14 Desempenadeira 1 UN

15 Régua com 1,20M de comprimento 2 UN

16 Colher de pedreiro – grande 1 UN 17 Colher de pedreiro – pequena 1 UN 18 Tambor de 200 litros 1 UN 19 Carrinho de mão 1 UN 20 Balde de 18 litros 2 UN 21 Corda fina 2,5 M 2 Formão – médio 1 UN 23 Alavanca 1 UN 24 Padiola (caixa de misturar massa) 2 UN 25 Chave de dobrar-zinco 1 UN

Apesar de sua grande utilidade, a água pode trazer muitas doenças que são chamadas de doenças de transmissão hídrica. Apresentamos as doenças mais comuns transmitidas pela água contaminada: Hepatite ; Esquistossomose; verminose; cólera; diarreia; tifo; Por isso é tão importante tomarmos muito cuidado com a manutenção e limpeza da cisterna, para que possamos garantir sempre uma água de qualidade.

Toda vez que armazenamos alguma coisa, principalmente água, temos que ter alguns cuidados básicos para aumentar de maneira significativa a sua vida útil, conservando a sua qualidade e propriedades.

Faça a desinfecção da água da cisterna de 6 meses em 6 meses sem esquecer de limpar a calha que recebe a água do telhado e também o cano que leva a água para a cisterna. Para a limpeza: usar vinagre na proporção de 1L para cada 1000L de água, esfregue as paredes e o fundo da caixa usando somente panos e escova de cerdas macias. Encher a cisterna e aguardar durante duas horas, esvaziar. Lembre-se essa água não é para ser consumida. Secar com pano limpo e em seguida liberar para encher.

Apenas recomendamos o uso de cloro ou água sanitária nos seguintes casos: -suspeita ou confirmação de que a água da cisterna esteja impropria para consumo humano; -Entrada de substâncias, objetos, animais e pessoas na cisterna;

-Reparos e consertos na estrutura física da cisterna;

-Sujeira na cisterna. Lavar a cisterna com a proporção de 300ml de cloro para cada 1000L de água.

Não deixar a cisterna vazia por mais de 24hrs, pois pode causar rachadura. Deve ficar com, no mínimo 30cm de água, pois a umidade presente evita as trincas.

Manter a cisterna pintada;

Lavar bem o telhado com as primeiras chuvas, antes de ligar o cano até a cisterna;

Lavar a cisterna e as calhas a cada 6 meses;

Retirar o cano de alimentação da cisterna após as chuvas e guarda-lo na sombra e com as extremidades fechadas;

Manter a entrada da cisterna bem fechada para evitar a contaminação da água através de insetos;

O ambiente sempre limpo em volta da cisterna;

Não deixar que animais durmam em cima da cisterna, para evitar que a urina escorra para dentro contaminando a água;

Não colocar roupa ensaboada em cima da cisterna para tomar sol;

Comentários