Resumos Invertebrados - Parte VI

Resumos Invertebrados - Parte VI

(Parte 1 de 4)

Parte VI

1º Parte - Artrópodes (Aracnídeos, Insetos , crustáceos e subgrupos menores)

2º parte - Deuterostómios e Protostómios

Niggaaaaas, cheguei ao último e consequentemente mais longo de todos os resumos chega a ser tão longo que nem parece ser um resumo. Em primeiro lugar gostaria de dizer que este é o assunto ao qual eu não apontei muitas coisas, não sou muito fã dos insetos e muito menos das aranhas, não pela complexidade do filo , mas simplesmente porque NÃO GOSTO.

Eu decidi dividir esta parte em subpartes com informações quase que detalhadas também sobre os Deuterostómios e Protostómios, (acho que não valia a pena um resumo inteiro só para eles)

Vamos começar?

Ah, e logo mais irei disponibilizar (ou pelo menos tentar ) um material para exercitar o que foi aprendido.

P.S.: tentei ao mínimo por aqui imagens , acho as dos slides das professoras muito uteis e o que quero criar aqui é um complemento textual para elas. Duvidas? Se tiverem , podem perguntar.

1º PARTE ARTROPÓDES

Aracnídeos

Fala meus nêgos, , então começamos a estudar a sério agora.

A primeira coisa que se pensa quando vamos falar de aracnídeos , em base são as aranhas, obviamente por elas serem os principais representantes deste filo e por serem muito temidas e mal vistas pela maioria das pessoas (incluindo alguns amigos e conhecidos) … Mas este grupo de animais também têm outros representantes, que pertencem a classes e subclasses com um numero extremamente grande (infelizmente além de existir muitos aracnídeos em número também existem em grande diversidade) de indivíduos divididos em quase todas as partes do planeta (os que vivem no continente antártico estão a salvo – por enquanto )

A classe Arachnida inclui as aranhas, os escorpiões, os ácaros e os carrapatos. Apesar de existir grande diversidade de formas entre os aracnídios, eles apresentam muitas características em comum.

O corpo é geralmente dividido em cefalotórax (cefalo= cabeça/ tórax= parte superior do corpo, acima da cintura) e abdomen , que, nos aracnídeos, pode também receber os nomes de prossomo e opistossomo, respectivamente. Nos escorpiões, o abdome encontra-se diferenciado em pré-abdome, mais alargado, e pósabdome alongado e muitas vezes chamado de cauda. Nos ácaros, não se percebe a divisão entre cefalotórax e abdome, que formam uma estrutura única.

Os aracnídeos diferem dos outros artrópodes por não possuírem antenas nem mandíbulas. Eles possuem, como estrutura desenvolvida com a manipulação do alimento ao redor da boca, as quelíceras (guardem bem este nome) , fato que deu ao grupo o nome de animais quelicerados, ao contrário dos insetos, crustáceos e miriápodes, que, por possuírem mandíbulas, são chamados de mandibulados. Além das queliceras, os aracnídeos possuem ao redor da boca, um par de pedipalpos, estrutura que pode ter funções das mais variadas dependendo do grupo. Os pedipalpos também são estruturas exclusivas dos quelicerados, não ocorrendo nos mandibulados.

NOTA IMPORTANTE: Há quem chame todo o grupo dos aracnídeos de quelicerados , ou chelicerata para os mais intimos, mas nem todos usam este termo porque ainda é um nome que globaliza alem das aranhas, acaros e escorpiões outros individuos como os limulus e os falsos-escorpiões. Este é um fator de classificação muito específico que não estudamos a fundo. Entretanto tenham em mente uma coisa: a unica relação entre todos estes seres é apenas uma: Os chelicerata são os únicos artropodes sem antenas e sem mandíbulas. Lembrem-se sempre das quelíceras.

Outra característica importante dos aracnídeos é a presença de quatro pares de pernas no cefalotórax. O abdome não contém apêndices, embora nos escorpiões exista uma par de apêndices sensoriais denominado pente, localizado logo no início do pré-abdome. Verifica-se, na região posterior e ventral do abdome das aranhas, as fiandeiras, estruturas associadas a glândulas de seda, que produzem os fios de seda com os quais elas tecem as teias.

Estrutura interna das aranhas.

Ao contrário dos insetos e crustáceos (que falaremos mais adiante) , que possuem olhos compostos, os aracnídeos possuem apenas olhos simples.

Os aracnídeos são artrópodes terrestres, embora exista um grupo de ácaros adaptados ao ambiente de água doce e marinho: o grupo dos Hydracarina, com 2800 espécies. A maioria dos aracnídeos é predadora (oh, não me diga) , mas no grupo dos ácaros ocorre espécies parasitas de plantas e de animais.

É o caso do ácaro causador da sarna (Sarcoptes scabiei), do ácaro dos folículos pilosos e glândulas sebáceas do homem, popularmente chamado de cravo/ponto negro (Demodex foliculorum– SIM você tem aracnídeos na cara , sinta-os neste momento), e dos carrapatos, como é o caso do gênero Dermacentor.

Alimentação (nutrição) e Produção de veneno

As aranhas e os escorpiões são basicamente carnívoros, predando outros artrópodes e pequenos animais. Muitos possuem glândulas de veneno, que utilizam para paralisar a suas presas. Nas aranhas, estas glândulas estão associadas às quelíceras e, nos escorpiões, ao aguilhão ou télson, que corresponde a uma modificação do ultimo segmento do pós-abdome.

O veneno da maioria das aranhas e dos escorpiões não é tóxico (<- that’s suspicious) para o homem, mas existem espécies que podem representar algum perigo, especialmente para crianças. Entretanto, o número de casos fatais é baixo e existem soros contra a picada desses animais.

Os aracnídeos são possuem mandíbulas para triturar o alimento, utilizando-se de suas quelíceras para segurar e dilacerar a presa. Eles ingerem somente alimento liquefeito e, para isso, lançam enzimas digestivas sobre os tecidos dilacerados da presa. O alimento é, então, parcialmente digerido fora do corpo do aracnídeo (digestão extracorpórea), formando um "caldo" que é sugado para o interior do estômago (estômago bombeador), associados a músculos. A digestão prossegue no interior do trato digestivo, e os restos não aproveitáveis são eliminados através do ânus.

Nota do Mike: Para se lembrar das quelíceras imaginem uma linda aranhinha que têm “presas” ou se você achar menos agressivo -“bracinhos” perto da boca para movimentar a comida e facilitar a sua entrada. Apetitoso.~

<<Detalhe das quelíceras – ou bracinhos do mal se preferirem. >> Sistema de excreção dos aracnídeos

A excreção nos aracnídeos é feitas por túbulos de Malpighi, semelhantes aos dos outros insetos, e também por glândulas localizadas na base das pernas, denominadas glândulas coxais.

Sistema Respiratório

A respiração é feita por filotraquéias, também denominadas "pulmões foliáceos". Essas estruturas são formadas por lamelas irrigadas, que se comunicam com o exterior do corpo, através de um orifício denominado estigma.

As trocas gasosas ocorrem nas lamelas, e o oxigênio passa para o sangue. Nos escorpiões, essas são as únicas estruturas respiratórias, mas nas aranhas além das filotraquéias, existem as traquéias, semelhantes às dos insetos.

Sistema Nervoso:

Muitos gânglios fundidos estão concentrados em determinados pontos do cefalotórax. O sistema nervoso da aranha é bem desenvolvido. De modo geral, existem oito olhos simples, localizados dorsalmente na metade anterior da placa cefalotorácica, com variada capacidade de elaboração de imagens, nem sempre bem interpretadas. Porém, são capazes de discriminar movimentos, razão pela qual devemos oferecer-lhes presas vivas, que se movam.

Nas aranhas há muitos pêlos sensoriais (cerdas táteis) espalhadas pelo corpo, principalmente nos apêndices articulados. Como as aranhas não têm antenas, esses pêlos e outras estruturas sensoriais representam importante mecanismo de relacionamento desses animais com o meio ambiente e são excelentes auxiliares na percepção da existência de presas e inimigos. Certas estruturas sensoriais em forma de fendas, localizadas nas patas, são responsáveis pela percepção de vibrações. É por isso que se diz que as aranhas "ouvem" pelas patas (que medo).

Sistema Reprodutor:

Os aracnídeos são animais de sexos separados, e a sua fecundação é interna. Os machos são geralmente menores do que as fêmeas, com as quais desenvolvem todo um comportamento de "corte". Eles não possuem pênis para introduzir os espermatozóides no corpo das fêmeas, mas desenvolveram outro mecanismo para isso.

Nas aranhas, os machos desenvolvem, na extremidade dos pedipalpos, uma dilatação bulbosa onde armazena os espermatozóides; usam, então, os pedipalpos para fecundar a fêmea. As fêmeas põem os ovos fecundados no interior de sacos de seda construídos por elas. Dos ovos eclodem jovens semelhantes aos adultos. O desenvolvimento é direto.

Nos escorpiões, o macho une-se à fêmea e deposita no solo uma massa de espermatozóides dentro de um envoltório. Em seguida posiciona a fêmea sobre essa massa, de modo que os espermatozóides penetrem seu orifício genital. A fecundação é interna, nascendo os jovens escorpiões direto do corpo da fêmea; eles são vivíparos.

http://www.youtube.com/watch?v=kdVvoSP8QtY << Um LINDO video que mostra os escorpiões fazendo amor. <3

Considerações básicas dos principais grupos de aracnídeos:

ACARINA: também frequentemente designada por Acari, é uma subclasse de artrópodes da classe Arachnida que inclui a generalidade das espécies que recebem o nome comum de ácaros e carrapatos. O grupo tem natureza cosmopolita, estando representado na generalidade dos habitats e zonas climáticas. São pequenos, muitos chegam a ser microscópicos, e apresentam o cefalotórax e o abdómen fundidos e não segmentados, cobertos por uma carapaça protetora, é importante lembrar também que na fase larval os àcaros POSSUEM APENAS 6 PATAS , O ULTIMO PAR SÓ APARECE A FASE NINFA.

Principais representantes: Acaros e carraças.

ARANEÍDEO: Aqui se encontram as lindas aranhas (seres from the hell) , são os representantes mais conhecidos dos aracnídeos, é uma família de aranhas araneomorfas composta por cerca de 3000 espécies divididas em 170 géneros. Constitui a terceira família com maior biodiversidade entre os aracnídeos, suplantada apenas pelos Salticidae e Linyphiidae. A maioria constrói teias em forma de espiral circular e instala-se no seu centro com a cabeça para baixo.

Principais representantes: É meio obvio se eu escrever aranhas aqui não é?

ESCORPIANÍDEOS: O corpo dos escorpiões é quase igual ao das aranhas, com uma única diferença: o abdome é dividido em duas partes, pré-abdome e pós-abdome. No pós-abdome, encontra-se a glândula que produz o veneno, que o animal injeta na vítima com um aguilhão, Os escorpiões se destacam entre os aracnídeos por terem uma duração de vida que vai além de uma estação. Sua longevidade vai dos 2 aos 6 anos. O maior tempo de vida registado para um escorpião chega até 8 anos.

Principais representantes: Escorpiões

Subgrupos menores:

Há uma razão de eu ter começado a escrever o resumo dos artrópodes falando de aracnídeos, e esta razão meus queridos é a existência de seres motherfuckers que se encontram mais ou menos perdidos no meio desta baderna toda , são os miriápodes , e porque eles estão perdidos? O que aconteceu com eles mike? O que aconteceu foi o seguinte. Embora eles tenham ganhado um lugarzito no meio dos artrópodes eles ainda conservam algumas características que lembram alguns anelídios… não entendeu? Vou tentar explicar de uma maneira diferente Nigga:

Acredita-se que os miriápodes tenham sido os primeiros a evoluir dos anelídeos para os artrópodes devido a sua conformidade física (parecem minhoquinhas), só que alguns apêndices nestes indivíduos evoluíram-se para patinhas… agora imaginem uma minhoca com patinhas *-*, que seria mais ou menos o que conhecemos hoje como as centopeias. Só que alem destes terem desenvolvido estes apêndices eles também tinham uma característica muuuuito engraçada, apresentavam segmentos tubulares como os anelídeos… olha que lindo!

Para acabar de fuder com sua vida ainda apareceram outros, com características muito semelhantes ao primeiro só que ainda mais complexos: além dos apêndices desenvolvidos como perninhas, eles têm a audácia de serem achatados.. como os PLATEOMINTOS só que em tamanho considerável e com funções diferentes.

Fodido não é? Mas agora vou facilitar a sua vida: Onde você os encaixaria nos atrópodes? - NÃO SEI MIKE!!!

Então fique mesmo sem saber nigga, o que acontece é que este subgrupo, os miriápodes, conquistaram sua independência, e conseguiram especificar-se em dois tipos diferenciais, vamos conhecê-los?

Os miriápodes são artrópodes chamados de unirremes, por não possuírem apêndices ramificados. As mandíbulas não são articuladas. Possui um par de antenas, as trocas gasosas são feitas pelas traquéias e os órgãos excretores são os túbulos de Malpighi. São terrestres, não existindo representantes aquáticos.

Os miriápodes possuem uma cabeça e um tronco alongado, com muitos segmentos, que possuem pernas. Habitam locais terrestres úmidos, pois não possuem cutícula. Vivem escondidos embaixo de pedras, troncos e rochas. Na cabeça há ocelos, alguns representantes possuem olhos compostos, peças bucais na região ventral, voltadas para frente.

Estes animais precisam evitar a perda de água, por isso em seu sistema traqueal os estigmas ficam fechados. O coração é um tubo dorsal. O sistema nervoso consiste de um cordão nervoso ventral que tem um gânglio em cada segmento.

Como eu tinha dito estão divididos em duas classes: os Quilópodes e os Diplópodes

Os Quilópodes / Centípede :

Nesta classe estão as centopéias, que estão distribuídas por todo o mundo, com cerca de 3000 espécies descritas. A maior centopéia do mundo mede 26 centímetros. Têm o hábito de viver escondidas, não só de predadores, mas também para evitar a dessecação, portanto, possuem hábitos noturnos.

As centopéias possuem um par de pernas por segmento, garras de veneno para se proteger e o último par de patas pode ser usado para defesa, dando tipo uns “beliscões”. O par de patas do 1o segmento do corpo é transformado em forcípula, estrutura que possui glândulas de veneno. Algumas espécies produzem glândulas repugnatórias, que são chutadas contra o inimigo, e expelem gotas adesivas.

As centopéias são adaptadas para correr, sendo as pernas das corredoras mais longas. Também são adaptadas para cavar, e a força é obtida por contrações do tronco.

São predadoras de pequenos artrópodes, mas algumas espécies se alimentam de minhocas e caracóis.

A transmissão de espermatozóides é indireta. Frequentemente há um ritual de acasalamento e o macho libera o espermatóforo, e a fêmea apanha-o. A fêmea guarda os ovos até o momento da eclosão. O desenvolvimento é direto.

Exemplo de quilópode:

< centopeia – no Brasil também chamamos isso de Lacraia.

Diplópode/ milípede :

Nesta classe estão os piolhos-de-cobra. Possuem 2 pares de patas por segmento, são animais herbívoros e detritívoros, não possuindo forcípula. Costumam viver escondidos da luz para evitar dessecação. Existem cerca de 75.0 espécies descritas.

O tegumento destes animais está impregnado com sais de cálcio. Normalmente a superfície é lisa, mas alguns animais têm cristas, tubérculos, cerdas ou espinhos. A coloração da maioria dos diplópodes é preta e marrom, existindo representantes vermelhos, alaranjados e até machados.

(Parte 1 de 4)

Comentários