Oportunidade para Mini Refinarias no Nordeste do Brasil

Oportunidade para Mini Refinarias no Nordeste do Brasil

(Parte 1 de 4)

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

1 - Introdução. 2 - Estudo de Viabilidade Econômica. 3 - Economia de Escala. 4 - Ofertas Disponíveis de Minirefinarias. 5 - Uso da Água em Refinarias. 6 - Remoção de Conteúdo de Sal do Óleo de Alimentação.

7 - Descarte de Água Produzida na Produção de Petróleo, Água Usada no Processo de Refino e Dessalga do Óleo de Alimentação.

8 - Produtos Adicionais que Podem ser Obtidos. 9 - Algumas Perguntas e Respostas Frequentes. - De quanto tempo estamos falando?

- Quais as dimensões típicas de uma minirefinaria?

- Quais são as minis de menor e maior capacidade de produção ofertadas no mercado?

- Quais as demandas existentes para estes tipos de refinaria no Brasil - Que tipos de produtos podem ser obtidos com estas minirefinarias?

- Quais são os desafios antevistos quando se projeta uma minirefinaria?

- Quais os impactos no preço final dos produtos aos consumidores?

- Quais mercados são alvos num futuro próximo?

- Quais os custos destas minirefinaria incluindo o projeto, construção, montagem e operação? 10 - Custos por Tipo de Planta.

1 - Conclusões, Recomendações e Sugestões. Nota: O valor do dólar americano, neste estudo, foi assumido a: US$ 1,0 = R$ 4,0.

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

1 - Introdução -

Por que Operadores, em determinadas partes do mundo usam refinarias de pequena escala? Quais as vantagens estas oferecem quando comparado às grandes, estáticas e permanentes estruturas?

Recentemente, no Brasil, a ANP (Agencia Nacional do Petróleo) disse que se não forem feitos imensos investimentos em, pelo menos, duas novas grandes refinarias poderemos ter um colapso no abastecimento se houver um mínimo de crescimento da economia. Acrescentou a Agência, ainda, as regiões onde deveriam ser instadas estas imensas facilidades de processo, o Maranhão para atender o Norte, parte do Nordeste e no Centro-Oeste.

Em junho e 2016, será votada, na Câmara dos Deputados, uma lei para liberar a fabricação e importação, no Brasil, de veículos automotivos que consomem óleo diesel, isto irá aumentar, e muito, o déficit da balança comercial já que importamos o diesel consumido hoje em alguns tipos de veículos autorizados a usar este combustível.

Isto nos leva a pensar! A Petrobrás, que detém 9% deste mercado no país, não terá condições de fazer estes tremendos investimentos nem a médio e, mesmo, a logo prazo, não quer fazê-lo e, talvez, não possa terminar projetos de novas e ampliações de existentes unidades de refino que estão sendo executados há anos devido a fatos amplamente divulgados pela imprensa.

Capital estrangeiro? Muito difícil neste momento! Com os preços do barril e, consequentemente, das commodities de produtos acabados (combustível) em níveis tão baixos, gerando abundancia de oferta de destes no mercado e a incerteza quanto ao preço deste barril num futuro próximo, podemos esquecer isto.

Conclui-se que, devido ao exposto acima, a atual e futura demanda crescente por combustíveis, com uma mínima melhoria da economia, juntado à incapacidade políticoeconômica da estatal a cerca de novos projetos e cenário internacional para investimentos de porte, coloca estes ativos de, relativamente baixo valor de Capex e Opex, minirefinarias em um patamar, não somente viável como, também, sendo a solução rápida para este problema num futuro próximo.

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

Evolução do Consumo de Gasolina e Diesel no Brasil de 2000 a 2015.

2 - Estudo de Viabilidade Econômica –

A primeira parte de qualquer estudo sobre minirefinarias é uma estimativa sobre sua viabilidade econômica. Isto requer um entendimento de quais produtos minirefinarias são capazes de processar e produzir, como também, sobre a matéria prima disponível que influencia diretamente nos resultados finais destes produtos e conhecimento extremo das condições do mercado alvo para escoamento dos produtos finais desta. Assuntos técnicos realtivos a engenharia da planta, ou projeto, são raramente considerados neste estágio inicial do estudo.

Como exemplo, temos a nafta que representa a fração da gasolina no óleo cru, mas, é desaconselhável para automóveis sem um reforço para aumento da octanagem, então, processos adicionais e/ou misturas devem ser feitos. Com a proibição, em muitos países, da adição de aditivos a base de chumbo na gasolina, não há, agora, nenhuma maneira simples e, consequentemente, de baixíssimo custo, para reforçar a octana da gasolina resultante da nafta em volumes baixos.

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

O uso de um reformador catalítico para transformar esta nafta em gasolina automotiva não é, normalmente, justificado por este ser de alto custo para pequenos volumes, tendo em mente que a nafta, tipicamente, se constitui de não mais do que 25% do óleo cru de alimentação, algum volume será consumido no processo do reformador.

Um reformador catalítico pode acrescentar ao custo de uma minirefinaria do tipo stright-run de 80% a 100% do orçado primeiramente.

Então, a questão recorrente: O Que Pode Ser Feito Para Tornar a Mini Refinaria Economicamente Viável na Produção de Gasolina Especificada para Uso Automotivo?

O primeiro pensamento dos possíveis investidores em minirefinarias é produzir gasolina, especificada pelos órgãos reguladores, para ampla distribuição no mercado!

O que foi dito nos primeiros parágrafos, deste item nº 2, é a mais pura verdade em países que não possuem o nível de engenharia que o Brasil já detém e domina. Aqui, já temos exemplos bem sucedidos de processamento de gasolina especificada para o largo consumo do mercado automotivo através de empresas consolidadas tais como Univen, em São Paulo, e Dax Oil, na Bahia, e estas estão longe de serem grandes refinarias.

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

Os processos para melhora de octanagem, além de outras especificações necessárias, na produção de gasolina regulamentada no mercado é de conhecimento e domínio da engenharia nacional, então, o acréscimo de custo, de 80% a 100%, dito acima, seria minimizado apenas por este fato.

“extra”, com preços abaixo do mercado distribuidor atual

Com o uso da engenharia nacional, este custo acrescido para se alcançar à especificação desejada, ficaria entre 28% a 42%, mas, ainda sim, seria plenamente justificado devido à conhecida demanda por este produto, proporcionando uma venda, mesmo com o custo

3 - Economia de Escala -

Não se pode pensar em proporções, neste tipo de investimento para se considerar custos, isto é, conhecendo o custo para uma grande refinaria, e simplesmente dividir este custo por barril e multiplicar pelo pequeno volume que desejamos, não funciona!

O volume de engenharia para projetar uma unidade para 500 ou 100.0 barris por dia é o mesmo, pois, estamos falando sobre as mesmas unidades de processo somente difere a pequena escala de produção.

Apesar do custo de capital para refinar um litro de óleo cru ser mais alto no caso de minirefinarias do que em grandes instalações, algumas condições que fazem o investimento em minirefinarias praticável são:

- Completo acesso a fontes de suprimento de óleo cru a baixo custo. - Proximidade com mercados consumidores atraentes.

- Diminuir o custo de distribuição.

- Projeto Financeiro em termos preferenciais para desenvolvimento com agências de credito.

- Obtenção de incentivos governamentais por apoiar o desenvolvimento regional.

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

4 - Ofertas Disponíveis de Minirefinarias -

Quando nos referirmos a refinamento, sabemos que, sempre vem à tona a qualidade do óleo a ser processado. Todo petróleo cru possui 5 frações básicas: Gases (C1 – C4, o quais são; metano, etano, propano e butano), fração leves (nafta leve e pesada), querosene, diesel, óleo combustível e resíduos (ou resíduo de óleo combustível, ou, ainda, Mazut como também está sendo chamado agora). Diferentes tipos de óleo cru têm diferentes somas (%) de frações básicas e óleos com a mesma densidade não necessariamente tem a mesma soma (%) de frações.

São três os principais tipos de minirefinaria, cada com uma melhor adequação para diferentes necessidades/expectativas das empresas investidoras.

- O primeiro tipo de minirefinaria ofertada é uma unidade do tipo Straight Run:

Ideal para óleos pesados e/ou muito pesados. Esta unidade, móvel ou fixa, produz, somente, um tipo de produto para consumo, quase, imediato: Diesel e Gasolina não especificados!

Estes 2 tipos de combustíveis podem ser usados para funcionar geradores e veículos, neste caso, é uma ferramenta ideal para perfuradores e produtores de óleo e gás natural terem seus próprios suprimentos de combustível para energia ou transporte na própria locação.

Empresas outras que usam caldeiras ou máquinas diversas com motores a combustão, tipo embarcações, tratores, geradores, compressores, moto-bombas, etc., podem, também, serem beneficiadas por este insumo ofertado a baixo custo, porém, sem especificação ou regulamentado.

Com este tipo de refinaria consegue-se extrair, apenas, produtos leves no topo e produtos pesados no fundo. Não existem subprodutos adicionais, além da nafta e combustível bruto, neste tipo de unidade.

Pode-se obter a chamada Gasolina Straight Run ou “Virgin”, mas, este produto não atende as especificações para uso em motores modernos, porém, pode ser usado para misturar, a fim de obterem-se melhoras no produto final, com outros tipos de gasolina e ajudar a encontrar a especificação para atender a legislação vigente para consumo geral.

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

Esquemático de

Planta de Destilação

Atmosférica do Tipo Straight Run.

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

Planta de Destilação Atmosférica do Tipo Straight Run. Modulo Móvel de Destilação Atmosférica para Produção de Combustível.

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

- O Segundo tipo oferecido é uma unidade do Tipo Topping Refinery:

Para produção de GLP, nafta, gasolina, querosene e óleo combustível. Unidade Topping Refinery requer fundações e infraestruturas próprias e não existem unidades móveis. Cada produto citado tem seus próprios mercados, então, estes produtos são estocados, diferente do primeiro exemplo, Straight Run, que são consumidos quase que imediatamente, sendo, então, que os investimentos começam a impactar.

Em uma coluna de destilação atmosférica, unidade de destilação ou unidade Topping, nomes diferentes para o mesmo equipamento, consegue-se controlar as frações (range de destilação) pela diferença de temperatura as quais se baseiam os requerimentos ou normas. O ponto de destilação de algumas frações se cruza e, quando se projeta os internos da coluna de destilação, colocamos bandejas de acordo com o ponto desejado e a faixa de quantidades do tipo de produto desejado.

Abaixo está um exemplo do range de frações típicas (ranges de ebulição) de alguns produtos:

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

Existe um conceito errôneo muito utilizado: Muitas companhias fornecedoras deste tipo de refinaria usam a palavra gasolina ao invés de nafta, levando o comprador da planta a pensar que uma unidade do tipo Topping, por si somente, seria uma refinaria de pequena escala ou minirefinaria que pudesse produzir gasolina de alta octanagem pronta para o uso automotivo. A verdade é que, nafta do tipo straight run necessita de equipamentos de processo adicionais para a produção de combustível de largo uso comercial.

Se o investidor quiser fornecer gasolina de alta octanagem (o mercado mais desejado a atingir), este, deverá adicionar um reformador como explanado no 3º tipo ofertado adiante.

Mini Refinaria do Tipo Topping

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

-Finalmente, o terceiro ofertado é uma unidade do tipo Hydroskimming:

Para produção de combustíveis especificados diretamente e outros produtos. É o mais simples tipo de refinamento, com obtenção de gasolina e diesel especificados, usado na indústria do petróleo.

Esta unidade é definida como uma refinaria equipada com destilação atmosférica, reformador de nafta e os necessários processos adicionais de separação e tratamento.

Mesmo com estes equipamentos extras, ainda assim, a separação, na coluna, dos componentes de produtos de petróleo cru, é desempenhada por simples destilação atmosférica.

- Reformador de Nafta.

Reformador de Nafta é uma unidade de processo primário para elevar o octano da gasolina e fornecer matéria prima intermediária para processos petroquímicos BTX*. Como o produto reformador é importante para o grupo de gasolina, a qualidade (octano) e a confiabilidade são fundamentais para garantir que as misturas de gasolina atendam às especificações necessárias. Este reformador transformará a nafta pesada em gasolina de alta octanagem e é um dos equipamentos de mais alto custo na operação de refino podendo custar de 5 – 6 vezes o valor da coluna de destilação.

(*) BTX é uma sigla para uma mistura formada pelos hidrocarbonetos benzênicos benzeno, tolueno e xileno, substâncias químicas que apresentam índices de octanagem elevados, constituindo uma fração importante da gasolina. Os BTX são também compostos de base para a química orgânica.

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

A refinaria, do Tipo Hydroskimming, é destinada a óleos leves, grau API acima de 35. A vantagem de óleo leve e superleves é que eles são, geralmente, mais fácies e de baixo custo de processamento, bem menor do que os óleos pesados e ácidos, além de ser rentáveis para produção de produtos do tipo “Premium”.

Na ausência, ou insuficiência, de suprimento de alimentação de óleos leves é usado o artifício do blending com outros óleos mais pesados até a obtenção da melhor proporção possível para possibilitar o refino em produtos de qualidade.

Uma refinaria com processo de Hydroskimming é mais complexa do que uma do tipo Topping, devido a isto, produz combustível de qualidade com um preço de venda, relativamente, atrativo.

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

14 Mini Refinaria do Tipo Hydroskimming.

Oportunidade para Minirefinarias na região do Nordeste Brasileiro.

Os produtos que se obtém na coluna de destilação são inacabados e, frequentemente, requerem adoçamento, dessulfurização e processamento adicional a fim de ser usados comercialmente.

Quando referimos a produtos inacabados significa que, estes podem não ser adequados para uso em veículos, talvez a fração de diesel, somente, possa, se o óleo processado for muito leve e doce, mas, não a nafta e/ou gasolina.

Para obtermos gasolina de alta octanagem do tipo “Premium” é necessário a de injeção de aditivos.

Octanagem ou índice de octana é o índice de resistência à detonação de combustíveis usados em motores no Ciclo Otto (tais como gasolina, álcool, GNV e GLP Auto). O índice faz relação de equivalência à resistência de detonação de uma mistura percentual de isoctano e n-pentano. Assim, uma gasolina de octanagem 87 apresenta resistência de detonação equivalente a uma mistura de 87% de isoctano e 13% de n-heptano.

(Parte 1 de 4)

Comentários