Aula - Sistema de Produção Enxuta

Aula - Sistema de Produção Enxuta

ENXUTA Profa. Ana Paula da Silva Farias

Produção Enxuta

Just in Time

= Sistema Toyota de Produção

Significa“apenas aote mpo” ou“na horacerta”. Não é u msiste ma de produçãoclássico.

Exe mplo deluta contra o desperdício na produção e u ma filosofia de manufatura.

U ma outra for ma de abordar, entender e conduzir as atividadesindustriais de u ma organização.

Aideia funda mental é ter u ma produção sincronizada, quefabriquese mpre o produtocerto, na hora exata.

Co mo consequência, te m-se a eli minação planejada e siste mática de desperdícios, o que levará a melhoria contínua da produtividade e da qualidade.

Foi criado pelo engenheirojaponês Taiichi Ohno, tendo co mocenárioacrise de petróleo, e m 1973.

A crise au mentou os custos de produção dosjaponeses, pois eles nãotinha mfontesinternas desserecurso.

Na busca mais racional e eficaz do uso dos recursos, a

Toyotainspirou-se e m parte do siste ma de produção e m massa do HenryFord e nossuper mercados a mericanos.

Fordintroduziu, e m seute mpo, certas modificações que hojesãocaracterísticas dojustinti me.

Medidas deFord: - Preocupaçãoco m o desperdício;

- Ênfase no melhora mentocontínuo;

- Redução noste mpos e noscustos desetups;

- Organizaçãoracional dolocal detrabalho;

- Suavização da produção. Trabalhar co m produções unifor mes, mes mo nú mero deitens por dia; e,

- Respeito as pessoas.

Ossuper mercados:

Para Ohno, era lá que os clientes obtinha m o que precisava m, na hora e na quantidadecertas.

Era o cliente que deter minava o que se movia nas prateleiras,sendo contínuo ofunciona mento do siste ma, co m ocliente“puxando” o movi mento dofornecedor.

Os co mandos para se produzir e m JIT co meça m no tér mino dalinha de produção, co m a últi ma estação de trabalho; ou,alternativa mente,co m ocliente.

Na sequência dos postos detrabalho, cada u mrequisita, do posto i mediata mente anterior, a quantidade de produtos necessárias.

PRODUÇÃO PUXADA Não havendo essarequisição, não há produção.

Para coordenar essas solicitações está o Kanban, u m cartão que registra o que se necessita de u m posto de trabalho e que devesertransportado por outro.

Os siste mas de produção, exceto o sob enco menda, são e mpurrados.

Esse siste ma procura prever a de manda e se preparar para ela. A produção é baseada na previsão de de manda.

Feito correta mente, no te mpo certo, nolugar certo, na quantidadecerta.

Fazer co m o míni mo de desperdício, co mflexibilidade e dentro de u ma mentalidadeabertaà mudança.

U MAE MPRESAENXUTATE M: - Menor desperdício;

- Menor nível hierárquico;

- Seleçãorigorosa defornecedores;

- Poder de decisão para os e mpregados;

- Busca por maior produtividade e satisfação dos clientes.

Esse tipo de siste ma possui co mo ponto chave a sua estruturação. Faze m parte de seus princípios, métodos e práticas:

- A qualidade perfeita da pri meiravez; - Aredução de desperdícios;

- A melhoriacontínua;

- Aflexibilidade; e,

- O desenvolvi mento derelaciona mentos delongo prazo co m osclientes.

Ainstabilidade da de manda é co mbatida co m o que se cha ma de “CARGA UNIFOR ME DE TRABALHO” ou “NIVELA MENTO DA PROGRA MAÇÃO DE PRODUÇÃO”.

Para satisfazer a de manda e deixar os estoques baixos, manté m-se a mes ma co mposição de produtos todos os dias. Essessãofabricados e m pequenas quantidades.

A carreira está associada ao aprendizado de grande nú mero de habilidades profissionais e no trabalho e m equipe – TRABALHADORES POLIFUNCIONAIS.

Os e mpregadosrealiza m atividades de planeja mento e as co mbina mco mas de execução.

Elesto ma m decisões e deve mresolver os proble mas que surge m diaria mente.

U mafor ma desechegaraflexibilidade.

A produção de pequenoslotes obriga a e mpresareduzir o te mpo desetup parareduzir oscustos.

A qualidade do produto deveser deter minada noinstante e m que é fabricado, porque ainspeção, após confecção, não otornará melhor.

Poucos fornecedores, relaciona mentos delongo prazo e co mlocalização próxi ma àfábrica.

Passar dosetupinterno para osetup externo.

SetupInterno – desliga-se a máquina paraajustes.

Setup Externo – ajustes pode m serfeitos co m a máquina e mfunciona mento.

Exigeinovação da área de engenharia e capacidade para reprojetarasferra mentas e acessórios.

A melhoria aplica-se e mtodos os aspectos do siste ma de produção:ta manho dolote, nú mero de defeitos,custos etc.

Ostrabalhadoressãotreinados paraidentificar esolucionar os proble mas,rastreandocada u matésuafonte.

O siste ma de parada de linha é o apoio básico do trabalhador para essafunção.

As pessoas deve m se envolver co m o trabalho e co m a qualidade.

A hierarquia deixa de seri mportante, pois os e mpregados dispõe m de maiorautono mia eresponsabilidade.

Busca-se orde m,si mplicidade eli mpeza na organização.

Otrabalhador éresponsável pelali mpeza doseu posto, do seu equipa mento e desuasferra mentas.

Melhores e mais consistentes métodos de trabalho, tornando-ossi mples eresistentes erros.

A padronização é útil para ajudar na identificação de proble mas co m equipa mentos, materiais ou co m os trabalhadores.

Significasinal oucartão.

É u maferra menta de controle para gerenciar o siste ma puxado de produção.

Co m o kanban, os trabalhadores sabe m que deve m co meçar deter minadas ações, co mo produzir algo ou transferir estoque entre os postos detrabalho.

É u msiste ma que operase m máquinas ou docu mentos.

Infor mações: - No me do produto;

- Nú mero da peça;

- Quantidadeaser produzida.

Autoriza encher o carrinho que esteja vazio. O carrinho vazioco m u mkanbanindica novarodada de produção.

Sinaliza que o lote de u m ite m pode ser retirado do carrinho.

Mudança cultural: melhoria contínua e envolvi mento dos e mpregados.

Possíveis passos:

- Iniciar co m a melhoria da qualidade, porque se m a qualidade os objetivos nãoserão alcançados;

- Reorganização dotrabalho;

- Redução dos setups, dos ta manhos dos lotes, do te mpo de espera;

- Mudanças no layout, co m adoção de células de trabalho; e,

- Cuidar dorelaciona mentoco mfornecedores.

RH – Exige nova postura, no tocante ao recruta mento, seleção,treina mento ere muneração.

ENGENHARIA – Deve rever projetos e especificações na busca de melhorias, aproveitandoacapacidade existente.

MARKETING – Te m que se adaptar às progra mações estáveis e mudanças bruscas e pedidos de últi ma hora deve mser evitados.

Mas, terá mais confiabilidade na entrega, preços mais estabilizados, melhor qualidade do produto etc.

ENXUTA Profa. Ana Paula da Silva Farias

Comentários