Apostila do Curso de Rede

Apostila do Curso de Rede

(Parte 1 de 2)

ITEM PÁGINA SUMÁRIO 2 SIMBOLOGIA 3 - 6 RELAÇÃO DE MATERIAIS 7 - 10 POSTE 1 CRUZETA 12 ESTRUTURAS PRIMÁRIAS E SECUNDÁRIAS 13 - 28 IMPLANTAÇÃO DE POSTE 29 - 46 LANÇAMENTO DE CABOS 47 - 112 TRANSFORMADOR 113 - 122 USO DO ALICATE VOLT AMPERÍMETRO 123 - 126 BALANÇEAMENTO DE CARGA 127 - 136 ATERRAMENTO 137 - 143 PODAGEM 144 - 149 ILUMINAÇÃO PÚBLICA 150 - 153 PADRÃO DE MEDIÇÃO 154 - 166 SEGURANÇA DO TRABALHO 167-172 MONTAGEM DE REDE 173

RELIGADOR TRIPOLAR (6H, BOBINA SERIE DE 50A, SEQUENCIA 1A + 2B)

SECCINALIZADOR TRIPOLAR (GN3, BOBINA SERIE DE 70 A, AJUSTAGEM PARA 3 OPERAÇÕES)

(COMANDO DE TENSÃO)

R3 R3

R1 R1

S3 S3

S1 S1 O3 O3

SECCINALIZADOR UNIPOLAR (GH, BOBINA SERIE DE 70 A, AJUSTAGEM PARA 2 OPERAÇÕES)

O1 O1

4H - 25A - B224H - 25A - B22 GN3 - 70A - 3GN3 - 70A - 3

GH - 70A - 2200A

GH - 70A - 2

400A 400A

200A 400A400A

600A 600A 400A 400A

600A600A

100A/ 2kA/ 2H100A/ 2kA/ 2H 3x38,1 - E3x38,1 - E

3x50 A 3x50 A

6x100 - V 6x100 - V

SECCIONAMENTO DE CIRCUITO SECUNDÁRIO POR ENCABEÇAMENTO (Divisão de circuito)

SUBSTITUICÃO DE POSTE DE MADEIRA POR CONCRETO E DERIVAÇÃO DO PRIMÁRIO A INSTALAR (Projetado)

DESCRIÇÃO SÍMBOLO PrimáriaSecundária

2 # 4 (4) AC3 # 4 (4) 3 # 1/0 (2)3 # 2 (4)

3 # 2 (4)3 # 1/0 (2)

3 # 4 (4)2 # 4 (4) (4)

M2 - M2 M2 - N2

ESTAI PROJETADO COM CORDOALHA DE 9,5 mmSUBSTITUIÇÃO DE POSTE DO MESMO TIPO, COM ESFORÇO DIFERENTE

ALTERAÇÃO NO SECUNDÁRIO: MUDANÇA DOS CONDUTORES FASE 4AWG PARA 2AWG COM ALTA TENSÃO A INSTALAR

NI - 10 - 150

U2 - 4 IP UI - 10 - 150

MI MI - N2 - 1 - 300

3 # 2 (4)3 # 1/0 2 # 2 (4) - AB

CONDUTORES PRIMÁRIOS (Planta detalhe)

CONDUTORES SECUNDÁRIOS (Planta detalhe)

INSTALADOA INSTALAR 6x100 6x100

Telefones e Telégrafos

Primária 2

POSTE 25

1 PÁRA-RAIOS POLIMÉRICO

PORCA PARA PARAFUSO DE 16MM

ARMAÇÃO SECUNDARIA DE 4 ESTRIBOS

Poste

EngastamentoE = 1,70E =L/10 + 0,60 m E = 1,50

0,20 m 0,60m

1,20m

1,40 m

5,90 m

1,70 m

1,0 m9,0 m

0,20 m 1,40 m

5,90 m

1,50 m 0,20 m

1,0 m9,0 m

9 cm

1 cm

CRUZETA TIPO “M” (meio bloco)

9 cm

1 cm BISEL

9 cm

1 cm BISEL

CRUZETA TIPO “B” (beco) 9 cm

1 cm

Estruturas Primárias Observe a figura abaixo:

Você está vendo uma estrutura com todos os seus materiais. As estruturas servem para sustentar os condutores, que transportam a eletricidade.

Numa rede de distribuição, existem:

As estruturas primárias sustentam os condutores de ALTA TENSÃO. Aqueles condutores que transportam eletricidade com tensões nos valores de 13.800v ou 34.000v, que são as tensões atualmente adotadas pela CEAM em rede de distribuição.

As estruturas secundárias sustentam os condutores de BAIXA TENSÃO. Os condutores que transportam eletricidade de 127V ou 220V, entregando-a diretamente ao consumidor.

Agora, observe os diferentes tipos de estruturas, na figura abaixo:

A diferença entre esses três tipos de estruturas primárias é a posição da cruzeta primária no poste

As estruturas primárias N, M e B são diferentes entre si, mas tem a mesma função na rede, que é sustentar os condutores.

Olhe esta estrutura com atenção

Você vê uma estrutura primária do tipo N ou normal. Observe, de novo e veja a diferença entre a estrutura N e as estruturas M e B. Na estrutura N, é o centro da cruzeta que encosta no poste.

♦ As estruturas N são utilizadas em, campo aberto ou em calçadas largas.

A estrutura M é quase igual á estrutura N

A única diferença é Na estrutura M ou meio beco, a cruzeta fica um pouco mais para o lado. Ela fica fora do seu centro.

A estrutura M é utilizada em locais de calçadas estreitas, para evitar que os condutores fiquem próximos das casas.

♦ Nestes locais, é impossível o uso das estruturas N ou normal.

A estrutura B é a mais diferente das estruturas primárias

A diferença nesta estrutura é a extremidade da cruzeta que se encosta ao poste

♦ Esta estrutura é utilizada quando as calçadas são muito estreitas, para afastar completamente os condutores das casas.

As estruturas M e B

Estes dois tipos de estruturas primárias são também chamados de ESTRUTURAS DE AFASTAMENTO

Nas estruturaras de afastamento, os condutores ficam afastados das casas existentes.

Atenção A estrutura B é a que permite o maior afastamento dos condutores.

Observe como as estruturas de afastamento evitam que os condutores batam nas casas e nos edifícios.

As estruturas N , M e B têm variações

N1 N2 N3

N4 ESTRUTURA M

M1 M2 M3

M4 ESTRUTURA B

B1 B2 B3 B4

Para cada uma destas variações tem uma razão de ser, Depende:

Da variação que a rede toma, Da topografia da área,

Da posição da estrutura na rede( no meio ou no fim de linha),

Da bitola dos condutores

O eletricista deve saber reconhecer todos os tipos de estruturas ♦ Isto porque

♦ Normalmente, uma estrutura só deve ser substituída pôr outra do mesmo tipo.

♦ Em caso de ampliação de uma rede, o técnico estuda o projeto. Depois ele orienta o grupo de eletricista como executar.

As estruturas N1 , M1 e B1 são armadas com: 9 Uma cruzeta 9 Três isoladores de pino

As estruturas N2 , M2 e B2 são armadas com: 9 Duas cruzetas 9 Seis isoladores de pino

As estruturas N3 , M3 e B3 são armadas com: 9 Duas cruzetas 9 Seis isoladores de disco

As estruturas N4 , M4 e B4 são armadas com: 9 Duas cruzetas 9 Três isoladores de pino 9 Doze isoladores de disco

A principal finalidade das estruturas é sustentar os condutores, conheceremos as estruturas secundárias, também chamadas de estruturas tipo S. As estruturas secundárias têm a finalidade de sustentar os condutores secundários, os condutores secundários transportam a eletricidade em baixa tensão. Os condutores secundários transportam eletricidade com voltagem entre 127V e 220V diretamente dos transformadores da rede de distribuição para o consumidor

9 As estruturas secundárias são bastante diferentes das estruturas primárias.

Observe uma estrutura S montada em um poste

¾ Conheça os nomes dados aos materiais que compõem esta estrutura tipo S.

Esta estrutura secundária só é capaz de sustentar um condutor. A estrutura S que você observou é chamada uma estrutura tipo S1

Os isoladores de uma estrutura secundária são sempre isolador tipo roldana. Estes isoladores sustentam os condutores de baixa tensão.

Quando um poste é implantado especialmente para estrutura secundária ele só precisa ter 9m de comprimento.

As estruturas secundárias podem sustentar até 5(cinco) condutores.

1 isolador 2 isolador3 isolador 4 isolador
1 condutor 2 condutor3 roldana 4 roldana

Observe a quantidade de isoladores em cada tipo de estrutura tipo S S1 S2 S3 S4

Observe as 3 últimas estruturas de rede secundária:

Você vê que as estruturas 3 e 4 têm suas armações secundárias voltadas para fora do vão. Isto não ocorre com a última estrutura, a 5 esta voltada para dentro do vão, ela é uma estrutura de fim de linha, de onde foi feito o tensionamento dos condutores.

Toda estrutura secundária de tensionamento, mesmo localizada no meio da rede de distribuição, é montada com a armação secundária voltada para dentro do vão.

9 As estruturas que foi apresentada neste módulo fazem parte de uma rede primária é secundária de distribuição.

Geralmente, o trabalho de implantação de poste é feito com a utilização do caminhão guindauto. Mais nem sempre é possível utilizar o caminhão guindauto. Muitas vezes, o lugar onde o poste vai ser implantado apresenta dificuldades de acesso para o veículo ou a localidade não possui este tipo de equipamento. Quando isto acontece, os eletricistas fazem a implantação do poste manualmente. A seguir mostraremos a implantação de um poste circular feita manualmente por um grupo de eletricista.

Implantação de poste.

♦ Primeiro, eles marcam o local onde vai ser implantado o poste.

Para isto, um eletricista mediu a distância recomendada. E mediu esta distância a partir do meio fio.

Calçadas com largura igual ou menor que 1m, à distância da ponta do meio fio para dentro. 30cm

Calçadas com largura entre 1m e 2,50m à distância da ponta do meio fio para dentro. 40cm

Calçadas com mais de 2,5m, à distância da ponta do meio fio para dentro. 50cm

Observe o eletricista medindo:

O passeio desta figura é de 1,50m de largura. Por isto, o eletricista mediu 40cm, a partir da ponta do meio fio. E riscou o local onde ia ser implantado o poste.

Se a rua não tivesse marcação do meio fio, a Prefeitura teria que indicar o lugar do passeio.

Neste lote, não havia construção. Ele teve o cuidado de marcar o lugar do poste no final do terreno. Este procedimento evita que postes fiquem em frente a portas ou janelas, ou mesmo, em frente à saída de veículos. Se o terreno não fosse de esquina, ele teria feito o sinal na divisa entre os dois lotes. A rua onde o grupo estava trabalhando era em sentido reto. Então, não foi preciso observar, também, o alinhamento dos postes já existentes.

♦ Além da tabela acima, é muito importante observar o alinhamento dos postes já existentes.

Com piquetes o eletricista marcou o local da instalação dos postes, não se esquecendo de deixar todos os piquetes em alinhamento, para que os poste não sejam implantados desalinhados.

Agora, é preciso isolar a área.

Foi o que eles fizeram, usando os cone de segurança e os cavaletes de sinalização ou cordas quando preciso isolando a rua completamente.

Com estas providências o poste já podia ser trazido para o local. Ele foi colocado em cima de dois pedaços de madeira, para evitar que os eletricistas machucassem as mãos e fosse mais fácil a marcação da estrutura a ser instalada.

Feito isto, eles abriram a cava.

Mas eles não abriram um buraco qualquer para implantar o poste. Eles sabiam que tudo tinha uma medida certa. Era preciso calcular a largura e procurar, qual a fundura indicada para a cava. A largura da cava teria que ser 20cm maior do que a base do poste. O poste que estava sendo implantado era do tipo circular.

Observe um eletricista medindo a base do poste

Ele mediu passando a trena pelo centro da base, e encontrou 35cm. Ele sabia que a largura da cava tinha que ser 20cm maior do que a base do poste. Então, ele teria que abrir a cava com 55cm de largura.

Observe a figura abaixo como deve ser marcada a cava do poste a ser implantado, deixando 27,5cm de cada lado do piquete que ele colocou no chão.

Se o poste fosse do tipo duplo T, ele teria medido a base pelo lado maior.

o Veja como ele faria.

Depois que calculou a largura, olhou a tabela para saber a fundura que a cava precisava ter.

Poste de 11m Cava de 1,70m Poste de 9m Cava de 1,50m

Você vê que a largura da cava depende da base do poste e a fundura depende do comprimento do poste.

o Veja a figura abaixo com atenção.

O eletricista estava trabalhando para implantar um poste de 11m, com 35cm de base.

Então, ele teria que abrir uma cava de 55cm (35cm + 20cm) de largura e 1,70m de fundura.

O local onde o poste estava sendo implantado tinha passeio. Por isto, ele iniciou o buraco quebrando o passeio com a picareta.

Depois, passou a usar a pá e o cavador.

Quando terminou de cavar, verificou se a profundidade da cava estava correta e nivelou o fundo da cava com o socador.

o A perfuração da cava foi feita com cuidado. o Ele sabia que podia encontrar canalizações subterrâneas no local.

Com a cava pronta, eles abriram o cachimbo. Para abrir, eles cortaram um lado da cava o lado mais próximo do poste. Veja na figura abaixo:

o O cachimbo tem uma medida certa 1,50m. o O fim do cachimbo fica sempre 30cm acima do fundo da cava. o O cachimbo é feito para facilitar o trabalho de implantação do poste, e dar mais segurança nos trabalhos executados, quando é realizada manualmente. o Quando o poste não for implantado no mesmo dia, o buraco deverá ser coberto com uma tampa para evitar acidentes.

Depois que o cachimbo já estava pronto, o poste foi trazido para próximo da cava, ainda deitado sobre os pedaços de madeira.

o Veja a posição em que o poste ficou:

o Na figura acima, aparece a calha de proteção. Ela é usada para facilitar a descida do poste na cava.

o Ela impede que a base do poste encalhe na parede da cava o Usando duas cordas eles amarraram o topo do poste, de forma que ficassem 4 pontas.

o As duas cordas foram amarradas com nó de porco. o A primeira corda deve ficar a 30cm do topo do poste. o A segunda deve ficar logo depois.

Estava quase tudo pronto para levantar o poste, mais ainda faltava trazer para perto do poste o cavalete e as três tesoura(uma pequena, uma média e uma grande).

Enquanto um eletricista segurou a calha de proteção, os seus colegas levantaram o poste com as mãos e deixaram correr até encostar na calha de proteção.

39 o Neste momento, descansaram o poste no cavalete.

O poste foi levantado e o cavalete correu para frente, um dos eletricistas colocou a tesoura pequena, os outros, começaram a trabalhar com as cordas.

Um eletricista soltou o cavalete e colocou a tesoura média no poste, quando a tesoura média foi colocada, aumentou o trabalho com as cordas.

Por fim, os eletricistas colocaram a tesoura grande, que juntamente com as cordas, ajudou o poste a cair na cava.

O poste não caiu bem no centro da cava. Isto geralmente acontece. Os eletricistas tiveram que centrar o poste, usando a própria calha de proteção como alavanca. Enquanto um trabalhava com a calha de proteção, os outros iam equilibrando o poste com as cordas, até que ele ficou bem no centro da cava.

Eles continuaram equilibrando o poste no centro da cava, enquanto um retirou a calha de proteção.

Estava na hora de aterrar e socar a cava e o cachimbo.

O aterramento e a socagem foram feitos em camadas de 30cm em 30cm, aproximadamente, o poste tem que ficar bem firme.

Quando a socagem estava na metade da cava, eles começaram a aprumar o poste, para isto, utilizaram o fio de prumo.

Depois que o poste estava totalmente aprumado e a terra bem socada, a escada foi colocada no poste, para que as cordas fossem retiradas. Eles colocaram a escada rigorosamente de acordo com as normas de segurança.

É preciso viver cada minuto de nossas vidas com segurança total..

Este é o preço da qualidade.

Um pequeno descuido pode provocar, acidentes irremediáveis para todos.

Lançamento e instalação de cabos primários.

Você vê duas estruturas primárias e seus componentes • Mais, observe!

• Faltam os condutores o Sem os condutores, não é possível transportar eletricidade. o As estruturas existem para sustentar este dispositivo elétrico

• Os condutores.

As estruturas primárias sustentem condutores primários • Condutores de alta tensão.

Nas redes de distribuição mais novas, os condutores são cabos de alumínio. Estes cabos são formados por diversos fios de alumínio torcidos, o seu formato lembra uma corda.

Nas redes de distribuição mais antigas, os condutores de eletricidade são cabos de cobre.

Para pequena quantidade de corrente, era usado, apenas, um fio de cobre em cada isolador da estrutura. O cobre é excelente condutor de eletricidade, o cobre deixou de ser usado como condutor em rede de distribuição porque, atualmente, o preço do cobre é muito alto.

o O cobre é melhor condutor de eletricidade do que o alumínio o O alumínio é um material que oferece mais resistência à passagem de corrente do que o cobre.

o O alumínio passou a substituir o cobre nas redes de distribuição porque o seu preço é bem menor e o seu peso também.

A bitola dos cabos não é sempre a mesma

Isto tem uma razão de ser o Para muita quantidade de corrente, • Bitolas grossas.

o Para pouca quantidade de corrente,

• Bitolas finas.

Alguns condutores são formados por fios de alumínio e fios de aço.

(Parte 1 de 2)

Comentários