Sifilis - Manual Aula 8 Teste rápido Alere Sífilis

Sifilis - Manual Aula 8 Teste rápido Alere Sífilis

1Diagnóstico da Sífilis - Aula 8

Aula 8Teste rápido Alere Sífilis

Princípios metodológicos do teste rápido Alere para diagnóstico da sífilis

Os testes rápidos comercializados no Brasil e registrados na ANVISA utilizam os princípios metodológicos de imunocromatografia de fluxo lateral ou de plataforma de duplo percurso - DPP.

Os testes rápidos utilizados para triagem da infecção pelo Treponema pallidum baseiam-se na tecnologia de imunocromatografia de fluxo lateral, que permite a detecção dos anticorpos específicos anti-T. pallidum no soro ou sangue total.

Os testes rápidos para detecção da sífilis que são enviados aos estados e municípios pelo Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais (DDAHV), são adquiridos através de processo licitatório. Em 2015, o kit Alere Sífilis foi o produto licitado (Figura 1) e, na medida em que outros kits forem adquiridos, novas aulas serão incluídas nos cursos da Série TELELAB.

Figura 1 – Kit Alere Sífilis

2Diagnóstico da Sífilis - Aula 8

O Alere Sífilis contém uma membrana pré revestida com antígeno recombinante de Treponema pallidum na região de teste (T).

A mistura antígeno recombinante de Treponema pallidum-conjugado com ouro coloidal, amostra do paciente e solução diluente migram cromatograficamente ao longo da membrana até a região de teste (T) resultando no surgimento de uma linha visível decorrente da formação do complexo antígeno-anticorpo-antígeno-ouro coloidal.

A formação de uma linha visível na região de teste T indica a presença de anticorpos específicos (IgA, IgM e IgG) na amostra do paciente.

Quando os anticorpos específicos contra o Treponema pallidum (IgA, IgM e IgG) estão ausentes na amostra, não aparecerá a linha na região de teste (T).

Veja na Figura 2 como funciona um teste rápido de fluxo lateral, com o resultado em linha.

Figura 2 - Funcionamento de um teste rápido de fluxo lateral com resultado em linha.

Quando realizar o teste, registre o número do lote do kit no seu protocolo de trabalho. Os dispositivos de teste, diluente e lancetas apresentam números de lote individuais, mas o número do lote para registro é o que está gravado na caixa. Jamais utilize testes fora do prazo de validade.

3Diagnóstico da Sífilis - Aula 8

Composição do kit para teste rápido Alere Sífilis e materiais complementares

4Diagnóstico da Sífilis - Aula 8

Materiais necessários não fornecidos

Além dos elementos fornecidos no kit, são necessários os seguintes materiais para a execução do teste rápido:

• Equipamentos de proteção individual (EPIs); • Equipamento para marcar tempo (cronômetro ou relógio);

• Álcool 70%;

• Algodão ou gaze;

• Água sanitária ou solução de hipoclorito de sódio entre 2,0 a 2,5%;

• Recipiente para descarte de material biológico e perfurocortantes;

• Caneta tipo marcador para escrever no dispositivo de teste;

• Papel absorvente para forrar a área onde serão feitos os testes rápidos.

5Diagnóstico da Sífilis - Aula 8

Condições de armazenamento e estabilidade

Os componentes do kit permanecerão estáveis até a data de validade indicada nas respectivas embalagens, se forem conservados nas condições exigidas, listadas a seguir:

• Para uso exclusivo in vitro; • Utilizar até a data de validade;

• Manter o dispositivo no envelope lacrado até a utilização;

• Proteger da umidade e da luz solar;

• Conservar o kit em temperatura entre 1 e 30ºC;

• Não conservar o kit Alere Sífilis em geladeira;

• Não congelar o kit ou seus componentes.

Os kits podem ser armazenados em temperatura ambiente (armarios ou estantes) desde que dentro da faixa recomendada pelo fabricante. Caso não seja possível controlar a temperatura do local de armazenamento, os kits devem ser acondicionados em caixas térmicas e retirados apenas na hora do uso.

Figura 4 – Exemplos de caixas térmicas disponíveis no mercado

6Diagnóstico da Sífilis - Aula 8

Execução do teste rápido Alere sífilis com metodologia de fluxo lateral

Acompanhe adiante o passo a passo de um teste rápido para sífilis com metodologia de fluxo lateral, utilizando o kit Teste Rápido Alere Sífilis:

1Separe os componentes necessários do kit Teste rápido Alere Sífilis e coloque-os sobre uma superfície plana. Para cada amostra são necessários: a) uma lanceta descartável; b) um capilar de coleta; c) um suporte de teste Alere Sífilis embalado individualmente; d) solução diluente

2Antes de coletar a amostra por punção digital, higienize o dedo, passando uma vez uma gaze com álcool 70%;

3Massageie o dedo e perfure a lateral da polpa digital com a lanceta fornecida no kit;

4Aperte a pipeta capilar e posicione-a próxima à gota de sangue; Solte o bulbo da pipeta capilar lentamente para que a amostra flua para seu interior, até que atinja a marca (20 uL);

5Dispense 20 uL de sangue na cavidade da amostra, sem formar bolhas;

6Dispense 4 gotas da solução diluente na cavidade da amostra, com o frasco na vertical, sem formar bolhas;

As amostras obtidas por punção digital podem ser colhidas em qualquer local, desde que sejam respeitadas as normas de biossegurança: uso de EPI, antissepsia das mãos e do local da punção, entre outros .

7Diagnóstico da Sífilis - Aula 8

Leitura do teste rápido Alere sífilis

Ao realizar a leitura do teste, observe se ocorreu a formação de uma linha colorida na área C. A presença dessa linha valida o teste e indica que não houve problema com a reação. Em seguida, leia o resultado da amostra observando se ocorreu ou não a formação de uma linha colorida na área T. Os resultados possíveis são estes:

Reagente – quando há formação de uma linha colorida na área T e outra na área C. Um resultado reagente indica que há anticorpos antitreponêmicos detectáveis na amostra do indivíduo (Figura 5);

Figura 5 - Teste rápido de fluxo lateral reagente

Não reagente – quando há formação de linha colorida apenas na área C. Um resultado não reagente indica que não há anticorpos antitreponêmicos detectáveis na amostra do indivíduo (Figura 6);

Figura 6 - Teste rápido de fluxo lateral não reagente

Teste Inválido – se não houver formação de linha colorida na área C, o teste será considerado inválido, independentemente do resultado obtido na área T. Neste caso, o teste deverá ser repetido (Figuras 7 e 8).

Figuras 7 e 8 - Testes rápidos de fluxo lateral inválidos

8Diagnóstico da Sífilis - Aula 8

Não interprete os resultados após 20 minutos, pois leituras tardias podem induzir a resultados falsos.

Veja a seguir como proceder se o resultado do teste for inválido.

1. Repita o teste. Caso o resultado continue inválido, faça o teste com um kit de outro lote ou de outra marca.

2. Você também pode considerar que: a) amostras coaguladas ou lipêmicas podem interferir nos resultados; b) os volumes da amostra e da solução diluente talvez estivessem incorretos; c) os tempos de todas as etapas podem não ter sido rigorosamente respeitados. 3. Verifique as condições de estocagem do kit e o prazo de validade.

4. Informe prontamente ao fornecedor caso haja persistência de resultados inválidos, pois isso sugere que existem problemas no kit. Guarde o kit com problema, informe ao DDAHV o ocorrido e abra um chamado no Serviço de Atendimento do Consumidor da empresa fornecedora do kit, pelo telefone 0800 1 3363, ou pelo e-mail sac.brasil@alere.com Essa iniciativa é muito importante para o acompanhamento da qualidade dos testes e para que a empresa reponha o quantitativo de testes inválidos ao DDAHV.

• Não misture componentes provenientes de kits ou caixas de lotes diferentes.

9Diagnóstico da Sífilis - Aula 8

Referências

BENZAKEN, A. S.; BAZZO, M. L.; GALBAN, E.; PINTO, I. C. P.; NOGUEIRA, C. L.; GOLFETTO, L.; BENZAKEN, N. S.; SOLLIS, K. A.; MABEY, D.; PEELING, R. W. External quality assurance with dried tube specimens (DTS) for point-of-care syphilis and HIV tests: experience in an indigenous populations screening programme in the Brazilian Amazon. Sexually Transmitted Infections (Print), v. 0, p. 1-5, 2013.

ALERE - Instruções de uso de testes rápidos para sífilis.

10Diagnóstico da Sífilis - Aula 8 10Diagnóstico da Sífilis - Aula 8

11Diagnóstico da Sífilis - Aula 8 11Diagnóstico da Sífilis - Aula 8

Comentários