Nao Existem Demonios

Nao Existem Demonios

(Parte 1 de 3)

Não existem

Demônios

Nome:Divino Moab data:13/01/2016/hora:9:15

1. o significado da palavra Lúcifer 2. o significado da palavra satanás 3. a verdade sobre a origem do mal 4. o significado da palavra Demônio 5. se não existem Demônios, então como se explica as possessões demoníacas? 6. hipnose 7. Possessões demoníacas nas igrejas 8. Como os pastores usam a hipnose nas igrejas [vídeos do youtube] 9. Hoje em dia tudo é obra do demônio 10. Mensagens satânicas nas músicas 1. A crença no Demônio é um perigo 12. Como eu deixei de acreditar no sobrenatural 13. Os desafios do Padre Quevedo 1. Lúcifer nunca foi um ser maligno

O nome Lúcifer é freqüentemente aplicado a Satanás, mas não há base bíblica para esta ideia A palavra "Lúcifer" é a tradução em algumas Bíblias (ainda que não nas versões portuguesas mais comuns) da palavra hebraica hêlîl em Isaías 14:12. Versões bem conhecidas como a Revista e Corrigida, a Revista e Atualizada (1 e 2) e a Linguagem de Hoje traduzem esta palavra como "estrela da manhã."

A palavra “lúcifer” é uma palavra do Latim (idioma antigo) e significa "portador da luz ("lux" ou "lucis "+ "ferre")". Quem traduziu a Bíblia para o Latim foi “Eusébio Sofrônio Jerônimo” e essa tradução é conhecida como "VULGATA LATINA"; na Bíblia em Latim, o substantivo "lúcifer" aparece seis vezes, a saber:

A palavra "lúcifer" aparece em Jó 1:17, referindo-se ao amanhecer. A palavra "lúcifer" aparece em Jó 38:32, referindo-se à estrelas.

A palavra "lúcifer" aparece em Salmos 110:3 (Na Nova Vulgata Apenas), referindo-se ao amanhecer.

A palavra "lúcifer" aparece em 2 Pedro 1:19, referindo-se, por incrível que pareça, a Jesus!

A palavra “lúcifer” aparece em Isaías 14:12, referindo-se ao rei da Babilônia (compare Is 14:12 com Is 14:4-6)

A palavra Lúcifer aparece em Apocalipse 2:28

Isaías 14 é uma profecia sobre a queda do rei de Babilônia (veja 14:4). Este rei exaltava-se, buscando tomar a glória que pertence a Deus. A profecia de Isaías 14 mostra que ele seria derrubado de volta à terra.

É interessante que o Novo Testamento fale sobre a "estrela da alva" (2 Pedro 1:19) e a "estrela da manhã" (Apocalipse 2:28; 2:16). Em todas estas passagens, é claro que a estrela da manhã não é Satanás, ou qualquer outra criatura blasfema. O próprio Jesus é a brilhante estrela da manhã que abençoa seus servos fiéis.

Então, por que o nome "Lúcifer" é freqüentemente aplicado a Satanás? O uso partiu de uma interpretação errada de Isaías 14:12. Muitos comentaristas inseriram algo maior neste texto, vendo-o como uma explicação da origem de Satanás. Certamente há razão para acreditar que o Diabo foi um dos anjos (Jó 1:6), que ele tem estado em rebelião contra Deus desde antes da criação da Terra (1 João 3:8; veja Gênesis e que vários anjos seguiram sua desobediência e serão castigados eternamente (Judas 6). O que o rei de Babilônia fez foi o mesmo tipo de pecado: desafiar a autoridade do Rei dos reis. Neste sentido, podemos pensar em "Lúcifer" como um filho ou discípulo de Satanás (veja João 8:4), mas a profecia de Isaías 14:12 não está falando especificamente do Diabo.

Esta é uma lição permanente para nós de Isaías 14. O rei de Babilônia serve como um lembrete claro da verdade das palavras de Jesus em Lucas

14:1: "todo o que se exalta será humilhado; e o que se humilha será

6 exaltado." Que possamos andar humildemente com nosso Deus.

2. O significado da palavra satanás

Satanás é uma figura muito controvertida na Bíblia. A palavra "Satã" significa em hebraico "acusador", "opositor". Aparece, pela primeira vez no livro de Jó, sendo como um promotor celestial. A sua intimidade com Deus e o direito de entrar no "Céu", de ir e vir livremente e dialogar com Ele, torna-o uma figura de muito destaque. Veja o livro de Jó 1:6 "Um dia em que os filhos de Deus se apresentaram diante do Senhor, veio também Satanás entre eles".

O livro de Jó foi escrito depois do Exílio Babilônico. Sabemos que o povo judeu, tendo retornado a Israel com a permissão de Ciro, rei persa, no ano 538 a.C, assimilou muitos costumes dos persas. Isto ocorreu devido à simpatia e apoio que receberam do rei, que inclusive permitiu a construção do Segundo Templo judaico e ainda devolveu muitos de seus tesouros, que haviam sido roubados. A religião dos persas, o Zoroastrismo, influenciou sobremaneira o judaísmo. No Zoroastrismo, existe o Deus supremo Ahura-Mazda, que sofre a oposição de uma outra força poderosa, conhecida como Angra Mainyu, ou Ahriman, "o espírito mau". Desde o começo da existência, esses dois espíritos antagônicos têm-se combatido mutuamente.

O Zoroastrismo foi uma das mais antigas religiões a ensinar o triunfo final do bem sobre o mal. No fim, haverá punição para os maus, e recompensa para os bons. E foi do Zoroastrismo que os judeus aprenderam a crença em um Ahriman, um diabo pessoal, que, em hebraico, eles chamaram de SATAN - Por isso, o seu aparecimento na Bíblia só ocorre no livro de Jó e nos outros livros escritos após o exílio Babilônico, do ano 538 a.C. para cá. Nestes livros já aparece a influência do Zoroastrismo persa. Observe ainda que a tentação de Adão e Eva é feita pela serpente e não por Satanás, demonstrando assim que o escritor do Gênesis não conhecia Satanás. Os sábios judaicos, interpretando o Eclesisastes 10:1, afirmam (Pirkei de Rabi Eliezer 13) que, na verdade, a cobra que seduziu Adão e Eva era o Anjo Samael, que apareceu na terra sob a forma de serpente. Ele, que é conhecido como o "dono da língua", usou sua língua para seduzir Adão e Eva ao pecado. O poder do mal está em sua língua, e este poder pode ser usado somente para dominar o sábio. Ele não pode prevalecer sobre um ignorante.

Uma outra observação interessante é que o livro de Samuel foi escrito antes da influência persa no ano de 622 a.C. e, no I livro de Samuel em seu capítulo 24:1, você lê com relação ao recenseamento de Israel o seguinte: "A cólera de IAHVÉH se inflamou novamente contra Israel e excitou David contra eles, dizendo-lhe: Vai recensear Israel e Judá".

Agora veja esta mesma passagem no I livro das Crônicas, que foi escrito no começo do ano 300 a.C, portanto, já sob a influência do Zoroastrismo persa, com o já conhecimento de Ahriman/Satanás. No capítulo 21:1 desse livro está escrito: "e levantou-se Satã contra Israel, e excitou David a fazer o recenseamento de Israel". Portanto, o que era IAHVÉH no livro de Samuel aparece agora no livro das Crônicas como SATANÁS.

Assim, está evidenciado que Satanás não é um conceito original da Bíblia, e sim, introduzido nela, a partir do Zoroastrismo Persa.

Passa a existir a partir daí, "uma lenda" entre o povo judeu de que Satanás é considerado como o rei dos demônios, que se rebelara contra Deus sendo expulso do céu. Ao exilar-se do céu, levou consigo uma hoste de anjos caídos, e tornou-se seu líder. A rebelião começou quando ele, Satanás, o maior dos anjos, com o dobro de asas, recusou prestar homenagem a Adão. Afirmam ainda que esteve por trás do pecado de Adão e Eva, no Jardim do Éden, mantendo relação sexual com Eva, sendo portanto, pai de Caim. Ajudou Noé a embriagar-se com vinho e tentou persuadir Abraão a não obedecer a Deus no episódio do sacrifício do seu filho Isaac.

Muitas pessoas acreditam muito no poder de Satanás e até o enaltecem em suas igrejas, razão pela qual achamos que seriam fechadas muitas igrejas se os seus dirigentes deixassem de acreditar em Satanás.

Para seu maior esclarecimento, Kardec faz uma observação sobre Satanás que descrevemos a seguir: "com relação a Satanás, é evidentemente a personificação do mal sob uma forma alegórica, pois não se poderia admitir um ser mau a lutar, de potência a potência, com a Divindade e cuja única preocupação seria a de contrariar os seus designos. Precisando o homem de figuras e de imagens para impressionar a sua imaginação, ele pintou os seres incorpóreos sob uma forma material, com atributos lembrando suas qualidade e seus defeitos". E conclui: "Modernamente, os anjos ou Espíritos puros são representados por uma figura radiosa, com asas brancas, símbolo da pureza; Satanás com dois chifres, garras e os atributos da animalidade, emblema das paixões inferiores. O vulgo, que toma as coisas pela letra, viu nesses emblemas um indivíduo real, como outrora vira Saturno na alegoria do Tempo".

3. a verdade sobre a origem do mal

O Mal é algo que só se caracteriza graças, primeiramente, a existência do Bem. Porém, ao caracterizar-se, o Mal acaba por caracterizar o Bem, ou seja, caracteriza que o Bem é Bom. O Bem e o Mal são forças que se anulariam caso existisse apenas uma. Por exemplo, a saúde é algo bom, mas só para quem conhece a doença, que é algo mau. Ora quando temos saúde não damos importância ao tipo de bebida ou comida que consumimos. O importante é que sejam agradáveis ao nosso paladar. No entanto, quando adoecemos é que percebemos que a saúde é algo bom, ou seja, por intermédio do mal descobri que o bem é bom.

Essa relação é diretamente proporcional, ou seja, quanto maior for o mal, mais certeza teremos de que o bem é bom. No exemplo em questão, quanto maior for a enfermidade mais certeza terá o enfermo de que a saúde é algo bom. Logo, o mal da doença caracteriza a benignidade da saúde. Mas, não existe doença sem que haja primeiramente a saúde. Portanto, o mal caracteriza o bem, mas sua existência depende da prévia existência do bem.

4. o significado da palavra Demônio

A palavra demônio não implica na idéia de Espírito mau senão na sua significação moderna, porque a palavra grega Daimon, da qual se origina, significa, "Deus", "poder divino", "gênio", "inteligência", e se emprega para designar os seres incorpóreos, bons ou maus, sem distinção.

Segundo a significação vulgar, a palavra "demônios" significa seres essencialmente malfazejos

5. se não existem Demônios então como se explica as possessões demoníacas? não existem as possessões demoníacas: As vezes doenças mentais como Neurose Pisicose Transtorno Dissociativo de Identidade Esquizofrenia,Histeria Coletiva são bastantes confundidas como possessões demoníacas.

Mas adiante eu irei explicar sobre as possessões demoníacas nas igrejas, ou seja: possessões demoníacas no bom sentido. Mas antes de tudo eu irei falar um pouco sobre a hipnose. infelizmente eu não tenho um conhecimento profundo sobre a hipnose, mas eu irei falar um pouco sobre ela.

6. hipnose

Infelizmente existem pessoas que não acreditam no processo da hipnose, alguns acham que a hipnose é truque de mágica, já outros pensam que o hipnólogo se combina com as pessoas para elas obedecerem as suas ordens e fazer tudo que ele mandar. Nada disso a hipnose é real. E qualquer uma pessoa pode hipnotizar alguém ou ser hipnotizada, porém cada uma é mais suscetível do que a outra,outras são menos.

O que é a hipnose? a hipnose é um estado semelhante ao sono, gerado por um processo de indução, no qual o indivíduo fica muito suscetível à sugestão do hipnotizador.

na hipnose em palco, se o hipnólogo convidar 10 pessoas ou mais pessoas, e dizer o seguinte para elas. “Eu quero que todos vocês estiquem os braços para frente e juntam os seus dedos uns nos outros”. E depois ele dizer o seguinte para elas. “imaginem uma cola passando entre os seus dedos e quanto mais vocês tentarem soltá-los os seus dedos, mais colados eles ficam”. e o hipnólogo ficar repetindo esse comando várias vezes, e depois o hipnólogo dizer o seguinte para elas, “agora os seus dedos estão completamente colados”. E a partir daí os dedos das pessoas ficaram realmente colados, e depois é só o hipnólogo dizer o seguinte para elas. “eu irei contar de 1 a 5 e quando eu terminar de contar; o seus dedos se descolarão uns dos outros”. E a partir daí os dedos delas estarão realmente descolados,

Se um hipnólogo pegar uma cebola dizendo que ela é uma maçã e entregar para um rapaz hipnotizado comer, ele realmente irá comer daquela cebola e irá sentir o gosto dela como se fosse realmente uma maçã.

Se um hipnólogo pegar uma mulher que tem o nome de Fabíola e hipnotizar ela e ele dizer para ela que ela irá se chamar Rosana, a tal Fabíola realmente irá acreditar que ela realmente se chama Rosana. e se uma pessoa perguntar qual é o seu nome, ela irá dizer que o nome dela é Rosana. E se aquela pessoa perguntar para ela assim “uai o seu nome não é Fabíola?”. Ela irá responder assim. “não o meu nome é Rosana”.

A hipnose é uma coisa muito interessante. Eu me lembro de um vídeo de hipnose que eu assisti no youtube, o hipnólogo hipnotizou uma mulher e disse para ela que ela iria esquecer completamente o português, e quando ela acordasse ela iria falar em chinês com ele, mas um chinês que só tinha na cabeça dela, e inventada por ela mesmo. e depois ele perguntou para ela assim. “tudo bem?”. E ela respondeu “Jana rem”.

“Você gosta de trabalhar aqui no leão?” E ela respondeu “Railwendirri”

“Você trabalha aqui a muito tempo?” E ela respondeu “radienterri”. Mas tudo isso que a hipnotizada respondeu, não foram realmente um chinês é claro! mas foi um chinês criado pelo subconsciente dela, pela imaginação dela.

Se um hipnólogo hipnotizar uma mulher e ele falar para ela que ela será uma bruxa. ela irá se comportar como uma bruxa; não que realmente exista bruxa. Mas porque ela está em estado alterado de consciência mas porque o subconsciente acredita em tudo, ela irá acreditar que ela é uma bruxa apenas por sugestão hipnótica. E ela irá se comportar como uma bruxa apenas como ela imagina que seja o comportamento de uma bruxa. Exemplo: digamos que o hipnólogo sugere que a mulher será uma bruxa. a partir daí ela irá acreditar realmente que ela é uma bruxa. e se o hipnólogo lhe induzir assim. “quem é você?”. Ela irá responder assim, “sou uma bruxa”. “mas isso somente no imaginário dela” E se o hipnólogo lhe induzir assim. “quais são as coisas que você pratica?”. A partir daí ela irá inventar uma resposta apenas na imaginação dela. por exemplo: “eu sou uma mulher má. eu faço feitiços para as pessoas, eu faço com que o leite das crianças azede”.

se um hipnólogo hipnotizar um homem e lhe sugerir que ele será o Silvio Santos. Ele irá se comportar como se fosse realmente o Silvio Santos, por ele acreditar que ele realmente é o Silvio Santos. Por exemplo: o homem que foi hipnotizado poderá dizer assim. “oi quem quer dinheiro”. “pura imitação”

Se um hipnólogo hipnotizar uma mulher que se chama Maria & sugerir que ela será a Ivete Sangalo, ela irá acreditar realmente que ela é a Ivete Sangalo.

Se um hipnólogo hipnotizar uma mulher e ele trazer qualquer rapaz para perto dela e lhe dizer para ela que aquele rapaz é o cantor Michael Jackson, ela irá acreditar que aquele rapaz realmente é o Michael Jackson, e poderá pedir até autógrafo. Mas isso vai depender da pessoa. Quem já assistiu um show de hipnose sabe muito bem do que eu estou falando.

Mas sabem porque todas essas coisas acontecem com as pessoas? Porque as pessoas estão em estado alterado de consciência. elas estão subconsciente & o nosso subconsciente aceita todas as informações como sendo verdadeiras & sem questionar nada.

tudo que nós presenciamos no dia a dia causam influencias no nosso subconsciente, ideias positivas & negativas também. O subconsciente é diferente do consciente. a nossa memória consciente é a memória racional que tem uma visão critica das coisas, e consegue diferenciar o que é certo & o que é errado. quando nós estamos acordados conversando, assistindo TV, ou lendo. nós estamos consciente. dentro da realidade. Mas quando nós estamos dormindo ou se nós estivermos em transe hipnotizado. Nós estamos subconsciente fora da realidade e a partir daí qualquer informação que seja passada para nós, nós iremos aceitá-las como verdadeiras. É por isso que as pessoas hipnotizadas aceitam todas as informações do hipnólogo Como sendo verdadeiras. Se um hipnólogo hipnotizar alguém e ele falar para o hpnotizado que ele espirrou um perfume naquele ambiente, a partir daí o hipnotizado irá realmente sentir um cheiro de perfume (apenas no seu imaginário) e não parou por aí não! a hipnose faz muitas coisas interessante, e ela também pode ser usada na medicina para curar algumas doenças. E ela serve também para fazer uma pessoa abandonar o seu vício, ela serve também para extrair um dente e outras coisas mais.

(Parte 1 de 3)

Comentários