Roteiros de inspeção de equipamentos de combate a incêndios

Roteiros de inspeção de equipamentos de combate a incêndios

(Parte 1 de 5)

Elaboração de roteiros para realização de inspeções a equipamentos de incêndio

Parte I

Antônio Fernando Navarro

Apresentação

I O I mercadoseguradorbrasi-leiro praticaa muitotempo a aplicaçãode descontosnastaxasdesegurosincêndio,pelaexistênciade equipamentosde detec- çãoe combatea incêndiosinstalados nos riscos segurados.Os níveis máximosde descontospraticados pelas seguradorassão os seguintes:

§ percentualúnico

Pelosaltospercentuaisconcedi- dos. os quaisaplicadosconjunta- menteatingema 70%de redução dataxanominaldo risco,é conve- niente,paranão dizerobrigatório. que todo o trabalhode inspeção seja bemelaborado,de sorteque, ao serconcedidoqualquerpercen- tualde desconto,a instalaçãose- guradasejarealmentemerecedora do benefício.

Comoobjetivodecontribuirpara a melhoriadessetrabalho,nospro- pomosa apresentar,emtrêspartes,algunsassuntossobreotema

"Elaboraçãoderoteirosparaarea- lizaçãodeinspeçõesaequipamentos de incêndio".Convémescla- recerqueotrabalhonãosepropõe a ensinarninguémacercadastécnicas de combatea incêndios,ou mesmoao conhecimentoprofundo do funcionamentodos equipamentos.

Realização de inspeções

As inspeçõesrealizadasemins- talaçõesindustriaispodemter váriascaracterísticas.deacordocom osobjetivosaquesepropõem.Assimsendo.pode-seinspecionarum localparafins de:

. avaliaçãodoestadodosbens; . avaliaçãodos custosda ins- talação; . avaliaçãode riscos;

. certificaçãode instalaçãode equipamentos; . manutençãopreventiva; . manutençãocorretiva,etc.

"As característicasdecadains- peçãoestãocorrelacionadascom os objetivosespecíficos propostos."

O inspetorou o engenheirode riscos ao visitaruma instalação, notadamenteas industriais,deverá terplenoconhecimentodotrabalho

CADERNOSDESEGURO 13 equipamentos descontomáximo extintores 5%§ hidrantes 25% mangotinhos 10% moto-bombas 10%§ carrosde bombeiros 15% detectores 10%§ sprinklers 60% sistemasfixos de gasesou espuma 60"/0 equipamentosespeciais variávelcaso a caso

a realizar,bemcomoestarfamilia- rizadocomos objetivose metodo- logiadotrabalhoempregado.O su- cessoounãodainspeçãoestáassociadoaoconhecimentoecapaci- tação do técnico.Quantoao co- nhecimento,cremosser esse um. assuntodeforoíntimodecadaum, já que qualquerindivíduoque se propõema realizarumatarefadeveráestarcônsciodesuasrespon- sabilidadese obrigações.Dessa forma,ummontadordeinstalações hidráulicasnão deve inspecionar sistemaselétricos,umtécnicoem edificaçõesnão deve inspecionar montagensindustriais.etc. I No tocantea organizaçãodos serviços.váriossãoos processos que podemser adotados.Dentre esses citamosos roteiroseosfor- muláriosdirecionadosdeuso bas- tantedifundido.Algunsdessessão padronizados.deacordocomautilizaçãoquese daráaos mesmos.

Outros são elaboradospelospróprios inspetores,deacordocomo seu desempenho,conhecimento específico,tempoa serdispendido na inspeção,graudequalidadedo .serviço,etc.

Nossapreocupaçãonesteartigo é a detecercomentáriossobreas característicasdecadaumdesses roteiros,enfatizandoa inspeçãoa equipamentosdedetecçãoe combate a incêndios.Estes roteiros contêmas informaçõesmínimas normalmentesolicitadaspara es- ses casos, podendo vir a ser acrescidos de informaçõescom- plementares.acritériodo inspetor.

. Equipamentosde detecção e combatea incêndios

1) Extintoresde incêndio

São assim denominadostodos os equipamentosportáteise semiportáteis.quepossuindoumalimitadacargadeagenteextintorpropiciamum primeirocombateaos princípiosdeincêndio.deformadi- retae restrita.atravésdaprojeção de substânciasextintoras.

Para se ter umaidéiada limita- ção dos extintores.damoscomo exemploa áreamáximasuperficial de um líquidoinflamávelem cha- mas.quepodeser extintooucon- trolado,por apenasumaunidade extintora:

. 0.50m2com 10 1 de espumá química

. 0.70m2com 6 kgde gás carbônico

. 1,00m2com4 kgdepóquímico seco

1.1)Componentesdos extintores

Os extintoresportáteissãoequipamentosconstituídosde:

. corpoemcilindrode aço espe- cialSAE 1040oudechapadeaço calandradan°14ou16,constituin- do o recipientedo agenteou da substânciaextintora:

. tampade alumínioou latão; . válvula;

. manômetro;

. mangueirade borrachaou de plástico; . difusorde plásticooudemetal;

. suportemetálico; . garrafadeaço.especialdepres- surizaçãoexterna.etc.

1.2)Comercializaçãodos extintores

Os extintoressão comercializa- dos comas seguintesquantidades de agenteextintor:

1.3)Unidadesextintoras

Define-seunidadeextintoracomoumdeterminadovolumeouuma dadaquantidadedesubstânciaextintoraacondicionadano mesmo recipiente.DeacordocomaCircular SUSEP n° 19/78as unidades extintorassão:

. gás carbônico:6 kgde gás . pó químicoseco:4 kgde pó

. espuma química:10 litros de concentradode espumae água

. água-gás:10litrosde água . águapressurizada:10 litrosde água . halon:4 kgde gás

1.4) Peso dos equipamentoscarregados

O peso de cadaequipamento carregadocomagenteextintoré. emmédia.de:

. equipamentocom6 kgdeC02:

2 kg . equipamentocom4 kgdePQS:

11kg . equipamentocom101deespu- ma:18kg . equipamentocom101deágua:

15kg

1.5)Realizaçãoda inspeção

Por ser umdos equipamentos maissimples,a verificaçãorestrin- ge-se a uma inspeçãovisualdo equipamentoe do seu posicionamentoe funcionamento.É importanteverificarse:

a - os extintoresestãoposicionados em local de fácil acesso.

perfeitamenteidentificados,afastados a nãomaisdo que40metros uns dos outros; b - os cilindros encontram-se

.embomestadode conservação.

pintados.sem ferrugemou deformidades; ç - as mangueiras,manõme- tros. gatilhos.ampolas.difusores e todosos demaispertencesencontram-sebem conservadose sem defeitosaparentes(são co- munscasosdemangueirasrachadas, manômetroscom marcação falsaedifusoresentupidosporpalitose pontasde cigarro); d - o selode MarcadeConfor- midadeda Associação Brasileira de NormasTécnicas (ABNT) encontra-seintacto,bemcomose a papeletade controlede recarga está íntegra; e - a alturadefixaçãodoequi- pamentonão está excedendoao máximo permitidopelos regula- mentosespecíficos(vernota1); f - as unidadesestão obstruí~ das por equipamentosou mercadorias; g - a sinalização utilizada é clarae precisana iliformação(ver nota2); h - o períodode recargaestá sendo obedecido.bem como se existeum rígidocontrolesobreas recargas.testes hidrostáticose manutençãoe qualo tipode con- troleexercido(os extintorescom águaemseuinteriordotipoágua- gás.águapressurizadae espuma devemter a sua carga renovada a cadaano;o extintordepóquímicosecocompressurizaçãointerna deveter a sua carga renovadaa cadaperíododeumano;o extintor degás carbônicodeveserpesado a cadaseismeses.e acadaperda de gás superiora 10% deveter a sua cargacompletada); i - existemlocais semextinto- res e quala áreatotaldesses locais; j - os agentesextintoresestão deacordocomas ocupaçõesdos locais(vernota3); I - o distanciamentomáximo entreos equipamentosé inferior ao permitidoemnormas(vernota 4).

Notas

1) A circularSUSEP n° 19/78 de 6 demarçode1978.querevo- gou a segundaparteda Portaria n°21.de05demaiode1956.deter- minaquea alturamáximadefixaçãode unidadesportáteisa paredese colunas.medidada alçasu- periorde sustentaçãodo equipa- mentoao piso acabado,seja de 170em.

O Decreton°897.de21desetem- brode 1976,CódigodeSegurança contraIncêndioe Pânico,doEsta- do do Rio de Janeiro.regulamentandoo Decreto-lein°247,de 21 dejulhode1975.fixaaalturamáximaentreo suportedoequipamento ao pisoacabadoem180em.

A Portarian°3214.de08dejunho de 1978.doMinistériodoTrabalho determinaquea alturamáximade fixação das unidadesextintoras sejade 160em. Extintores repousados sobre o chãosódeverãoserpermitidosem condições especiais, em riscos consideradosleves (ocupação1 ou 2 da TSI8) e desdeque em basesmetálicasou de madeira.

2) A sinalizaçãoempregadaem todos os locais deveráestar de acordocomos padrõesde cores da A8NT, bem como de acordo comas característicasambientais de cada área. Normalmentesão empregadascomosinalização:

. setas indicativas,coma extre- midadeindicandoo equipamento; . círculosporsobreo equipamento. indicando-obemcomo o tipo de agenteextintor; . áreas pintadassob o extintor.

indicandoespàçosquenãodevem ser obstruídos;

. faixas pintadas nas colunas, acima do extintor, indicandoo agente.

Eventualmentepoderãoexistir outrosprocessosindicativos,luminososounão,devendonessesca- sos seremdoconhecimentodeto- dos ou usuáriosdo local.

Algunsfabricantesrecomendam as seguintescores.comoindicati- vas das qualidadesdos agentes extintorese de seus usos:

. branco- espumaquímicaou água; . amarelo- gás carbônico; . azul- póquímicoseco.

3) Paraa extinçãodeincêndios queenvolvama combustãodema- terialcelulósicocomum,oudeprodutos que apresentemresíduos após a combustão(incêndioda classeA). pode-selançarmãode qualquertipo de agenteextintor. sendoqueosquesemostrammais eficientessão aquelesà basede águaou cujo veículode emulsão sejaa água. Para os incêndiosda classe 8.

que envolvemlíquidoscombustíveis,graxase gases.recomenda- se a utilizaçãodeprodutosqueos isolemdoaratmosférico(efeitode abafamento).Os produtosmaisin- dicadossãoas espumasquímicas e os pós químicos. Os incêndiosdaclasseCdevem sercombatidoscomprodutosnão condutoresde eletricidade.

Nos incêndiosda classe D de vemser empregadosprodutosespeciais.osquaisnormalmenteinte- ragemcomo materialemcombus- tão, seja isolando-odo oxigênio dissolvidono ar ou o contidono própriomaterial,sejacompondo-se como mesmo.gerandpumamistura menosperigosa.E o caso da utilizaçãode pós químicosespeciais à base de monofosfatode amônia,uréia, grafite,claretode bário.cloretode sódio,fluoretode cálcioe outrosmais.emincêndios envolvendoantomônio.lítio, cád- mio. magnésio,potássio,selênio, sódio,titânio.zincoe zircônio.

4) Emdecorrênciadaocupação etiquetadaparacadalocal.enqua- dradanaTarifadeSeguroIncêndio do 8rasil. os riscos são classifi- cadosemtrêscategorias.denominadasde classes A, 8 e C.

Paraa classeA a áreadeação

(áreanaqualumaunidadeextintora teoricamentepoderá debelar qualquerprincípiodeincêndionela originado)de cadaunidadeextintoraé denomáximo500.m2.Para as classes 8 e C é atribuída,a cada unidadeextintora,umaárea máximadeatuaçãode250m2.No primeirocaso,o operadordoequipamentonão deverádeslocar-se maisdo que20 metros,de forma a utilizar-sedoextintormaispróximo.qualquerquesejao pontodo localatingidopelofoco de incêndio. Para as classes 8 e C essa distânciaconsideradaé de 15metros.

Emfunçãodotipodenormautilizadasão adotadosoutrosvalores.

Na tabelaapresentadaa seguiré feitoum estudocomparativoutili- zando-seporparâmetrosas legislaçõesadotadasnamaioriadosre- latóriosde inspeção.

A nível de melhorsegurança contraincêndioe de maiore me- lhoradaptaçãoà realidadenacional.é aconselhávela adoçãodos valoresformuladosna legislação do Ministériodo Trabalho.

Os valoresconstantesdaCircu- lar SUSEP. compequenasalterações foramextraídosdas tabelas do NationalFire ProtectionAsso- ciation(NFPA).

2) Canalizações preventivasde combatea Incêndlos/hldrantes

O sistemade combatea incên- CADERNOSDESEGURO16

ALCANCE MÁ- RESTRiÇÕES AO.USO 0 AGENTE EXTINTOR. XIMO DO JATO

2;5/4,5m PÓS METÁLICOS, METAIS ALCALINOS, NITRATO DE CELULOSE, METAIS PIROFÓRICOS.

6/9 m EQUIPAMENTOS EL~TRICOS E CONTATOS EL~TRICOS SENSrVEIS.

3/5 m ACETONA, ACETATO DE AMILA, ~TERES. ÁLCOOIS (METrLlCo,

ETrLlCO.13UTrLlCO),BUTANo, BUTADIENO, PROPANo, SÓDIO METÁLICO. MAGN~Slo, ZIRCONlo, TITÂNIO.

9/12 m IEQUIPAMENTOS E~TRICOS ENERGIZADOS,CARBONATOS, PERÓXIDOS, SÓDIO METÁLICO. SAIS ORGÂNICOS.

2,5/4,5m INITRATO DE CELULOSE, PÓLVORA,METAIS RADIOATIVOS, METAIS REATIVOS, HrDRIDOSMETÁLICOS.

EQUIPAMENTO GÁS CARBONICO PÓ QUrMICO ESPUMA QUrMICA

DESCARGA 18/20 SEG.

20/30 SEG. 20/50 SEG.

50/60 SEG. 10/15 SEG.

dios conhecido por "hidrante", adotadoeminstalaçõesindustriais, depasseiooudecoluna,ou"cana- lizaçõespreventivasdecombatea incêndios",paraedificaçõesresidenciaisoucomerciais,éumsiste- mahidráulicoconstituídoporcana- lizações, reservatóriosde água, conexões, registros, derivações, mangueiras,requintes,moto-bom- base demaisacessórios,parautilizaçãoemcombatea incêndios. Detodosos sistemasdepreven- çãoe combateaincêndios,o sistemadehidranteséoúnicorealmen- te decombate,atuandoos demais comosistemasde prevenção.de- tecção,apoioou combateaprincípios de incêndio.

2.1)Abastecimentode água o melhorsistemaé aqueleque possuiumaquantidadedoáguailimitadae constante.tal comoum rio.açude.barragemou lago.Ten- do em vista que abastecimentos dessetiponemsempreestãodisponíveis,passou-se a fazer exigências mínimasde volumede águaarmazenadadisponívelpara o sistema.

Em nosso país, aforaos múltiplos regulamentosinternosde al- gumasempresasparticularesou estatais.são somentedoisos re- gulamentosespecíficos sobre o assunto.aceitospelagrandemaio- riadasempresas.O maisdivulgado é o contidono item2 doartigo

16daTSIB,conhecidocomoCircu- larSUSEP n°19.O segundoregulamento.adotadonoEstadodoRio deJaneiroe copiadoporquaseto- das as corporaçõesde bombeiros é o Decreto897.

De acordocom a CircularSU-

SEP, o abastecimentodeáguapara a redepode ser feito,ou por açãoda gravidadeoupormeiode moto-bombas.Parao primeirocaso, abastecimentoatravésde reservatórioselevados,o volumede água armazenadairá variar de acordocom a classe de risco a proteger.Assim sendotem-se:

. Riscos Classe A (ocupações

01/02):12.000litros . Riscos Classe B (oclJpações

. Riscos Classe C (ocupações 07/13):54.000litros

Caso o abastecimentode água sejafeitocomoempregodemotobombasfixas de acionamentouu- tomático,queaspiremáguadeum reservatórioao níveldo solo,ovo.

lumedeáguamínimo,destinadoao sistema,independenteda classe de risco a proteger, será de 120.000litros.

O Decreto897.porsuavez,estabeleceoutroscritérioscompleta- mentedivergentes,quantoaovolume mínimode águaarmazenadé.:

parao combatea incêndios,conformepode-seobservara seguir:

. canalizaçãopreventivade com-

EXTINTORES PORTÁTEIS DE INCNDIO - REGULAMENTAÇAo EXIGIDA

LEGISLAÇÕES EM ALT. MÁXIMA ÁREA MÁXIMA DE PROTEÇAo DIST. MÁXIMA DO OPERADOR CAPAC. DE 1 UNID. EXTINTORA VIGOR DE FIXAÇÃO ClAS. A ClAS. B ClAS. C ClAS. A ClAS. B ClAS. C AO ES PQS C02 bate a incêndios- volumemíni- mode6.000litros,parainstalações dotadasdeaté4hidrantes,oupon- tos de saída.Para cada hidrante adicionaldeve-se acrescentarà reservaexclusivadosistemamais

500litrosparacadaponto. Tomemospor exemplo.umprédio comercialcom8pavimentosedois hidrantespor pavimento.Para o cálculo da reservamínimafaze- mos:

t r

4 hidrantes:6.000litros

(8x2)-4:12hidrantes 12x500:6.000litros volumetotal:12.000litros

Pelo Decreto897 esse prédio deveráter umareservaexclusiva de águaparao sistemade canali- zaçãopreventivadecombatea incêndiode12.000litros.PelaCircu- larSUSEP n°19a mesmaedifica- ção terá,se for um risco Classe A,os mesmos12.000litros.Porém, casoo riscosejamaiorhaveráum déficit no volumetotalexclusivo.

.É importanteinformarquemuitas pessoascostumamconfundira re- serva exclusiva para o sistema

~oma reservadisponível.Nocaso de reservaexclusivadenomina-se

o volumede água,que independentedoconsumogeraldaedificaqãoestarásemprea disposiçãodo sistema.A reservadisponívelé aquelacontidanoreservatóriogeral.

Deve-se dar bastanteatenção nãosó à reservadisponívelcomo tambémàqualidadedeáguaarmazenada.Recomenda-sequeaágua não deva conter:óleos, graxas.

;Jartículasgrosseirasem suspen- são.matériaorgânicaeoutrosmateriaisque venhama prejudicaro bombeamentoe afluidezdolíquido pelas canalizações.Não é recomendadotambémo empregode águasalgada,a nãoseremcasos bastanteespeciais.Os problemas que a presençadesses materiais podemcausarsão:

(Parte 1 de 5)

Comentários