Produção e utilização de rações de tilapias

Produção e utilização de rações de tilapias

(Parte 3 de 4)

3.3 Materiais Para o presente trabalho foram usados os seguintes materiais:

Material para conservação de dados digitais: flash, CDR e computador;

Material usados durante o fabrico das rações: balança para medição dos ingredientes, prato plástico para manipulação dos ingredientes, sacos para conservação da ração, panelas para confecção da ração, pá para facilitar as misturas, moageira para moer peixe, milho e farelo, máquina extrusora para formação de peletes da ração, relógio para controlar o tempo de confecção da ração e fonte de aquecimento para a confecção da ração.

3.4Análise e interpretação dos dados

Os dados colhidos na entrevista e na observação foram condensados em tabelas e usadas como instrumentos de análise. O objectivo da análise era de sumarizar as observações, de forma que estas permitissem respostas às perguntas da presente pesquisa. A interpretação foi possível com a pesquisa bibliográfica, onde fez-se relação dos dados colhidos com obras de outros autores que versam sobre a temática ou que apresentem abordagens a ela relacionadas que se mostraram relevantes para a pesquisa.

4.1 Resultados e Discussão

Identificação das quantidades dos ingredientes usados para fabrico das diferentes rações:

Tabela 1: Tipos de rações/Ingrediente e suas quantidades

Ingredientes Quantidades nas diferentes rações

Ração hormonal

Estrume ração Ração normal Ração de engorda Água ***** 12 litros 12 litros 12 litros

Estrume de bovinos ***** 10 kg ***** ***** Niko ração 20 kg ***** ***** ***** Metanol 90% de álcool 5 litros ***** ***** *****

Hormona 17-alfa-metil testosterona 36 gramas ***** ***** ***** Farinha de peixe seco 25 kg 2 kg 4 kg 4 kg

Farinha de milho 15 kg 20 kg 26 kg 18 kg Farinha de farelo de milho ***** 10 kg 10 kg 10 kg Bagaço de girassol ***** 10 kg 10 kg 10 kg Óleo de soja ***** ***** ***** 10 kg Vitamina A ***** 2 colheres de chá 2 colheres de chá 2 colheres de chá Vitamina C ***** 2 colheres de chá 2 colheres de chá 2 colheres de chá Total 60 kg 52 kg 50 kg 50 kg

Explicação dos processos de fabrico das diferentes rações:

Tabela 2: Processo de fabrico das diferentes rações alimentares de tilápias

Misturas Preparação das diferentes rações

Ração hormonal Estrume ração Ração normal Ração de engorda

Mistura 1 Mistura-se as farinhas de niko ração, de milho e de peixe numa bacia plástica.

Mistura-se farinha de milho, estrume de bovino moído com farinha de peixe.

Mistura-se farinha de milho com farinha de

Mistura-se farinha de milho com óleo de soja e farinha de peixe. peixe.

Numa bacia plástica de 100 litros e faz se a mistura, depois leva se a panela contendo 2 litros de água e coloca se uma tampa para que nao haja contacto da água e a mistura facilitando a cozedura por vapor durante uma hora, feito isto retira se a mistura e divide se em duas bacias.

Mistura 2 Mistura de hormona com álcool até ficar homogénea.

Efectua-se nova mistura na base da mistura de bagaço de girassol amolecido por água quente e farelo de milho.

Mistura final

Adiciona se a mistura feita de hormônio com álcool comum vagarosamente sobre a ração e misturá-los durante 30 minutos e por fim esperar a evaporação do álcool que era feita em temperatura ambiente sem presença directa de luminosidade esperando-se que todo o odor de álcool desapareça, cerca de 6 a 12 horas.

Divide-se a mistura 2 novamente pela metade nas duas bacias contendo a mistura 1 e colocam se duas colheres de chá de vitamina A e C em cada bacia faz se mistura. Leva-se a máquina de moldagem (extruzação) da ração e por fim deixa se secar ao sol e armazena se em lugares secos e frescos.

Estrume ração difere-se das restantes por voltar a moageira depois de ser moldada de forma a ganhar a forma farelada.

A secagem das rações (estrume, normal e de engorda) consistia em espalhar de forma uniforme por cima de um saco, dependendo exclusivamente na base dos raios solares, que consiste basicamente em expor ao sol ração húmida. As rações eram conservadas em sacos num armazém seco e fresco.

Deste modo, a secagem da ração visava promover evaporação da humidade contida e ser retirado seca, dando uma forma mais manuseável, torna-a em uma massa consistente e consequentemente, facilitar a sua conservação e transporte.

O uso exclusivo dos raios solares devia-se provavelmente pela falta de equipamentos industrializados para o processo da secagem.

Assim, a conservação em lugar fresco e seco visava, criar condições desfavoráveis aos microrganismos de forma a prolongar a fase de latência, evitando que possam criar a deterioração da ração, mantendo por longo tempo a qualidade da ração.

Tabela 3: Formas físicas de ração produzidas na empresa

Ração Forma física

Ração normal, ração de engordas Extrusada Estrume ração e ração hormonal Farelada

aumentado de acordo com o tamanho dos peixes

A formulação de rações diferenciadas (extrusada e farelada) pela empresa tem em vista corresponder aos diferentes tamanhos dos animais no momento de seu fornecimento uma vez que a farelada era fornecida na reversão sexual e alevinos (animais de menor tamanho) e a extrusada fornecida a tilápias maiores (reprodutores e engordados). Esta apreciação esta de acordo com RIBEIRO et al. (sd), ao afirmarem que na fase inicial de desenvolvimento dos peixes recomenda-se o uso de uma ração finamente moída, em função do tamanho da boca do animal, secundando KUBITZA (2006), ao afirmar que o tamanho dos peletes deve ser

Descrição da composição nutricional das diferentes raçoes produzidas na empresa:

Ração hormonal

Na ração hormonal, a hormona 17-alfa-metil testosterona, era adicionada de forma a corresponder ao processo de reversão sexual das fêmeas para produção de monossexos machos com a finalidade de controlar a reprodução evitando desta a super povoação nos tanques de engorda, os desperdícios em alimentos e aproveitar o maior crescimento dos machos.

Esta posição esta de acordo com JÚNIOR (sd), ao afirmar que o processo de reversão sexual baseia-se no fornecimento de hormonas masculinizantes às pós-larvas. Esse maneio faz com que as gônadas das fêmeas se desenvolvam em tecido testicular, produzindo indivíduos que crescem e funcionam reprodutivamente como machos.

Aliado aos benefícios da utilização da hormona 17-alfa-metil testosterona para a reversão sexual para machos KUBITZA (2009), afirma que os peixes machos apresentam maior taxa de crescimento (em torno de 30% a mais), a reversão sexual em mais de 95% dos alevinos de tilápia para o sexo masculino permite que os peixes atinjam o peso ideal em menor espaço de tempo. A tilápia é uma espécie de peixe que apresenta uma taxa de reprodução intensa, ou seja, reproduz muito em pouco tempo. Assim, se houver, em um mesmo tanque, um número considerável de machos e fêmeas, a capacidade de suporte dos tanques será ultrapassada em pouco tempo.

O uso de Metanol a 90% nesta ração tinha como objectivo a facilitação da mistura da hormona por toda a ração durante o processo de fabrico.

Estrume ração

O estrume de bovino, curtido em forma de farinha adicionado nesta ração, visa proporcionar a produção de plâncton no tanque, não havendo dependência das tilápias apenas pelas rações fornecidas. A fertilização do tanque influência no crescimento das algas e de zooplâncton, ou seja pequenos animais de água (EER et al., 2004). Ora, tanto o fitoplânton (algas), assim como o zooplâncton constituem o alimento natural dos peixes, servindo na dieta das tilápias.

Ração normal

Em comparação a outras rações produzidas na empresa, a elevada quantidade de farinha de milho nesta ração, visa proporcionar maior fornecimento de energia aos reprodutores devido ao alto teor de carbohidratos no milho, visto que os reprodutores gastam muita energia na reprodução, além de outras actividades vitais como de outras categorias de tilápias.

Neste contexto, ALVARENGA (2001), afirma que quando os carbohidratos são consumidos de forma integral e moderadamente, contêm boa quantidade de nutrientes e podem ser convertidos em energia e calor, sendo transformados em menor quantidade em gordura.

Ração de engorda (especial)

Na composição da ração de engorda (especial) verifica-se a adição do óleo de soja, diferente das outras rações, este facto pode dever-se ao alto teor de lípidos, que este possui.

Este facto está de acordo com KUBITZA (1999), ao afirmar que o alto teor de lípidos que o óleo de soja possui, importante componente das membranas celulares, e servem como fonte de energia, a falta dos lípidos cria atraso no crescimento, redução na eficiência alimentar,

mortalidade

podridão das nadadeiras, síndrome do choque, reduzido desempenho reprodutivo e alta

animais

A farinha de peixe seco incluída nesta ração, pode provavelmente dever-se ao alto teor de proteína que esta possui, podendo contribuir para a deposição da proteína nas tilápias e consequente deposição da massa muscular, resultando no rápido crescimento destas. Esta situação é fundamentada pelo SANTOS (sd), afirmando que os produtos de origem animal (farinhas de peixe, carne, carne e osso e sangue), com excepção da farinha de osso, são ricos em proteínas, têm teores moderados de gorduras, com excepção da farinha de carne (com alto teor de lípidos), baixos teores de fibras e praticamente sem hidratos de carbono. Ainda KUBITZA (1999), afirma que as proteínas são importantes para os peixes na medida que esse nutriente é de fundamental importância na formação de tecido muscular (crescimento) dos

Possui igualmente bagaço de girassol, farinha de milho e farelo de milho em sua composição, possivelmente a sua adição era pela sua moderada composição em proteínas, lípidos e de moderado a alto a composição em carboidratos e fibras balanceando desta forma a ração.

Tal como diz SANTOS (sd), os demais produtos vegetais têm baixos teores proteicos, também são baixos a moderados os teores de lípidios nos produtos de origem vegetal. Os teores de fibras neles são moderados a altos. No que se refere aos carboidratos, eles se apresentam em altas percentagens nos produtos de origem vegetal.

Os carbohidratos presentes nestes ingredientes seriam usados pelas tilápias para a produção de energia necessária para a realização das suas diversas funções vitais e consequente crescimento destas. Isto estaria de acordo com KUBITZA (1999), ao afirmar que os animais necessitam de energia para a manutenção de processos fisiológicos e metabólicos vitais, para as actividades rotineiras, crescimento e a reprodução.

Todos os ingredientes usados para fabrico desta ração possuem uma percentagem de fibras, a fibra presentes nestes ingredientes visavam facilitar os processos metabólicos. Esta analise esta de acordo com SANTOS (sd), ao afirmar que material fibroso, difícil de ser digerido pelos peixes, ocorre em quase todos os ingredientes básicos usados como alimentos para peixes. O corpo destes animais praticamente não tem fibras, então elas numa dieta servem, principalmente, como volume e, talvez em alguns casos, como fonte de energia.

Vitaminas em diferentes rações fabricadas na empresa

As vitaminas A e C são adicionadas em todas rações excepto na ração hormonal uma vez que ela em sua formulação contém niko ração, uma ração altamente balanceada, que acaba suprindo as necessidades em vitaminas às tilápias na fase de reversão sexual.

Isto está de acordo com KUBITZA (1999), ao afirmar que as vitaminas desempenham papel importante na formação dos tecidos ósseos e sanguíneos, no crescimento muscular e em diversos processos metabólicos e fisiológicos essenciais para o adequado crescimento, saúde e reprodução dos animais.

maioria das espécies, em sintetizar o ácido ascórbico (vitamina C)

O mesmo autor afirma ainda que estas são administradas em quantidades menores visto que as suas exigências são satisfeitas através de vitaminas obtidas no alimento natural ou nas rações. Uma particularidade da nutrição vitamínica dos peixes é a não capacidade, da grande

Nas rações formuladas na empresa, a adição das vitaminas A e C são também sustentadas pelo SANTOS (sd), afirmando que a vitamina A assegura o crescimento normal, assim como a saúde e integridade do tecido epitelial e pelo KUBITZA (1999), dizendo que a vitamina C é de fundamental importância ao crescimento, formação da matriz óssea e funcionamento do sistema imunológico.

Descrição das formas de utilização das rações nas diferentes categorias de tilápias Tabela 4: Formas de utilização das rações na empresa Xibaha limitada

Tipo de ração Categoria alva Horário do fornecimento Hormonal Pos-larvas De duas em duas horas em 5 refeições/ dia Estrume Alvinos Duas vezes ao dia Normal Reprodutores Duas vezes ao dia Engorda Engorda Duas vezes ao dia

Todas as rações eram fornecidas manualmente na base de um alimentador feito de vara de pesca e uma tigela de 250gramas.

O fornecimento manual da ração visava ajudar espalhar a ração, possibilitando desta forma uma boa uniformização e garantir maior tempo de permanência na superfície da água. Este procedimento está de acordo com RIBEIRO et al. (sd), ao afirmarem que para além de facilitarem uma boa distribuição da ração, o fornecimento manual é interessante para manter um contacto visual com os peixes no tanque. Podem-se observar, por exemplo, possíveis problemas de saúde dos animais, porém, requer maior mão-de-obra, quando comparado ao sistema de comedouros.

Ração hormonal

Utilizada durante um período de 3 semanas após a incubação, para a obtenção de monossexos, é espalhada por todo tanque na forma moída (farelada) e no mesmo horário.

A forma moída da ração e a modalidade do seu fornecimento (espalhada) utilizada na empresa visava garantir que a mesma permanecesse mais tempo na superfície da água, apresentando menores perdas de nutrientes e ficando mais tempo à disposição dos peixes, possibilitando uma melhor visualização do consumo e ajuste da oferta de ração.

Este procedimento está de acordo com RIBEIRO et al. (sd), ao afirmarem que na fase inicial de desenvolvimento dos peixes recomenda-se o uso de uma ração finamente moída, em função do tamanho da boca do animal. E ainda salientam ser importante que o alimento seja distribuído de maneira uniforme pelo tanque.

falta de alimento

O fornecimento desta ração 5 vezes ao dia, de duas em duas horas, numa constância de duas horas, seguindo a seguinte sequência 8-10-12-14-16horas,visava facilitar o ajuste da dieta dos peixes durante o tratamento hormonal, permitindo maior disponibilidade da ração e uso imediato da mesma. Este facto está de acordo com a análise feita pelo OLIVEIRA (2007), ao afirmar que é importante manter horários fixos de fornecimento da ração e observar se há sobras ou falta de ração, fazendo-se reajustes quando necessário para evitar desperdício ou

Utilização das outras rações

As rações, estrume ,normal e de engorda, eram fornecidas duas vezes ao dia, reduzindo o número de refeições diárias em relação a ração hormonal, provavelmente para possibilitar o aproveitamento da alimentação natural (plâncton) existente nos tanques, alimentos estes, produzidos pela fertilização dos tanques e do abastecimento de estrume ração na alimentação dos alevinos.

4.2 Conclusão

Os ingredientes usados na produção das diferentes rações alimentares de tilápias são água, estrume de bovinos, niko ração, metanol 90% de álcool, hormona 17-alfa-metil testosterona, farinha de peixe seco, farinha de milho, farinha de farelo de milho, bagaço de girassol, óleo de soja, vitamina A e vitamina C.

(Parte 3 de 4)

Comentários