livro - basico - 2016

livro - basico - 2016

(Parte 2 de 4)

Com a ajuda das ações de Educação Permanente, tais protocolos auxiliarão não apenas na determinação de um padrão de assistência, mas de fl uxos assistenciais desde a regulação até a intervenção, com forte impacto na gestão dos serviços por favorecerem a geração de indicadores, a incorporação de tecnologias e a avaliação dos resultados.

Os Protocolos Nacionais de Intervenção para o SAMU chegarão a cada serviço do país, apresentando uma descrição da melhor prática profi ssional no âmbito pré-hospitalar sem desrespeitar a autonomia do profi ssional e dos serviços. Os serviços que disponibilizam outras tecnologias e já desenvolveram protocolos adicionais poderão contribuir com sua experiência para a atualização da presente edição e para o crescimento e desenvolvimento dos demais serviços e do atendimento pré-hospitalar do país.

Estamos avançando. Com muito orgulho.

Fausto Pereira dos Santos Secretário de Atenção à Saúde Ministério da Saúde

Apresentação

A confi guração estrutural deste material foi desenvolvida para permitir atualização dos protocolos existentes e incorporação de novas unidades nos diferentes agrupamentos de interesse, a qualquer momento.

Cada serviço SAMU 192 receberá uma unidade impressa das pastas (SBV e SAV) contendo os protocolos já fi nalizados para consulta. Esses mesmos arquivos poderão ser baixados em PDF do site do Ministério da Saúde (w.saude.gov.br) ou acessados a partir de aplicativo para celular.

Os serviços que já possuem protocolos ou outras tecnologias adicionais incorporadas, poderão utilizar esse material como consulta e contribuir com sua experiência para a atualização da presente edição e para o crescimento e desenvolvimento dos demais serviços e do atendimento pré-hospitalar do país.

Temos muitas áreas de atuação e em expansão no SAMU 192: veículos de intervenção rápida, motolância, aeromédico, veículos fl uviais e marítimos, incidentes de múltiplas vítimas, grandes eventos, acidentes QBRN (químicos, biológicos, radiológicos e nucleares) e outros. Vivemos uma transição demográfi ca e epidemiológica e é preciso manter atenção às novas áreas e suas demandas. Há muitos de nós com experiência nesses diferentes temas. Precisamos compartilhar nossas experiências e ideias.

Os profi ssionais do SAMU 192 e do atendimento pré-hospitalar poderão colaborar com o desenvolvimento deste material enviando suas críticas e sugestões para o email:

As contribuições serão avaliadas em reuniões técnicas. Esse é o compromisso que assumimos com o desenvolvimento desse material, para que ele se torne representativo da experiência brasileira em APH e referência para seus profi ssionais, além de um elo entre a intervenção, a educação permanente e a gestão dos serviços.

Aguardamos sua colaboração. Equipe Técnica

Protocolo Samu 192 SUPORTE BÁSICO DE VIDA

Orientações Gerais

1/1Elaboração: Agosto/2014 Revisão: Fevereiro/2016 protocolos.samu@saude.gov.br

Protocolo Samu 192 SUPORTE BÁSICO DE VIDA

BC1Avaliação primária do paciente (agravo clínico) BC2Avaliação secundária do paciente (agravo clínico) BC3OVACE – Obstrução de vias aéreas por corpo estranho BC4Parada respiratória no adulto BC5PCR e RCP – Guidelines AHA 2015 BC6Interrupção da RCP BC7Cuidados pós-RCP no adulto BC8Decisão de não ressuscitação BC9Algoritmo geral de PCR-RCP SBV – Guidelines AHA 2015 BC10Insufi ciência respiratória do adulto BC11 Choque BC12Dor torácica não traumática BC13 Crise hipertensiva BC14AVC - Acidente vascular cerebral BC15 Inconsciência BC16Crise convulsiva no adulto BC17 Hipotermia BC18Hiperglicemia BC19 Hipoglicemia BC20Dor abdominal não traumática BC21HDA - Hemorragia digestiva alta BC22HDB - Hemorragia digestiva baixa BC23Reação alérgica-Anafi laxia BC24 Epistaxe BC25 Hemoptise BC26Manejo da dor no adulto BC27 Cólica nefrética BC28Manejo da crise em saúde mental BC29Agitação e situação de violência BC30Atual BTox 3 BC31Atual BTox 2 BC32Autoagressão e risco de suicídio

Sumário

1/8Elaboração: Agosto/2014 Revisão: Fevereiro/2016

BT1Avaliação primária do paciente com suspeita de trauma ou em situação ignorada

BT2Avaliação secundária do paciente com suspeita de trauma ou em situação ignorada

BT3Avaliação da cinemática do trauma (Padrão básico de lesões) BT4 Choque BT5Trauma cranioencefálico BT6Trauma de face BT7Trauma ocular BT8Pneumotórax aberto - Ferimento aberto no tórax BT9TAA - Trauma abdominal aberto BT10TAF - Trauma abdominal fechado BT11TRM - Trauma raquimedular BT12Trauma de membros superiores e inferiores BT13Fratura exposta de extremidades BT14 Amputação traumática BT15Trauma de pelve BT16Síndrome do esmagamento BT17 Síndrome compartimental BT18Queimadura térmica (calor) BT19Atual BTox 4 BT20Atual BTox 5 BT21Atual BTox 6 BT22 Afogamento BT23Atual BTox13

Protocolo Samu 192 SUPORTE BÁSICO DE VIDA

Sumário

2/8Elaboração: Agosto/2014 Revisão: Fevereiro/2016

Sumário

Protocolo Samu 192 SUPORTE BÁSICO DE VIDA

BP1Técnicas básicas de manejo de vias aéreas: abertura manual das vias aéreas

BP2Técnicas básicas de manejo de vias aéreas: aspiração

BP3Técnicas básicas de manejo de vias aéreas: cânula orofaríngea (COF)

BP4Dispositivos para oxigenoterapia: Cateter de oxigênio

BP5Dispositivos para oxigenoterapia: máscara facial não-reinalante com reservatório

BP6Dispositivos para oxigenoterapia: Máscara de Venturi BP7 Oximetria BP8Controle de hemorragias: compressão direta da lesão BP9Controle de hemorragias: torniquete BP10Aferição de sinais vitais: pressão arterial BP11Aferição de sinais vitais: frequência cardíaca BP12Aferição de sinais vitais: frequência respiratória BP13Aferição de sinais vitais: temperatura BP14Escala de Coma de Glasgow BP15Escala pré-hospitalar de AVC de Cincinnati BP16Avaliação da glicemia capilar BP17Colocação do colar cervical BP18Imobilização sentada – Dispositivo tipo colete (KED) BP19Retirada de pacientes: retirada rápida (1 ou 2 profi ssionais) BP20Retirada de paciente: Retirada rápida (3 profi ssionais) BP21Remoção de capacete BP22Rolamento em bloco 90º BP23Rolamento em bloco 180º BP24Pranchamento em pé (3 profi ssionais) BP25Pranchamento em pé (2 profi ssionais) BP26Técnica de acesso venoso periférico BP27 Contenção Física

BP28 AVDI

BP29 BP30

3/8Elaboração: Agosto/2014 Revisão: Fevereiro/2016

PROTOCOLOS ESPECIAIS EM SBV PE1Aspectos gerais de avaliação da segurança de cena

PE2Regras gerais de biossegurança

PE3Práticas para a segurança do paciente

PE4Atribuições e responsabilidades da equipe do SAMU PE5Responsabilidades adicionais do condutor de ambulância do SAMU PE6Regras gerais na condução de ambulância PE7Regras gerais para estacionamento de ambulância e sinalização da via PE8Procedimentos iniciais em caso de acidentes com a ambulância PE9Consentimento para tratamento de paciente menor de idade

PE10Atendimento a paciente com necessidades especiais

PE11Atendimento a paciente menor de 18 anos de idade (desacompanhado)

PE12Atendimento a paciente sem condição de decidir estando desacompanhado ou acompanhado de menor de 18 anos de idade

PE13Atendimento a paciente sem condição de decidir e acompanhado de animais (cão-guia ou outros)

PE14Atendimento a paciente que recusa atendimento e/ou transporte

PE15Recebimento de ordens de autoridades policiais, outras autoridades na cena

PE16Atendimento na presença de médicos e enfermeiros estranhos ao serviço

PE17Regras gerais de abordagem em ocorrências com indícios de crime

PE18Cuidados com pertences de pacientes

PE19Dispensa de pacientes na cena

PE20Regras gerais para abordagem de eventos envolvendo imprensa e tumulto

PE21Atual AERO PE22Sistematização da passagem do caso para a regulação médicaEm fi nalização PE23Limpeza concorrente da ambulância: Hipoclorito e álcool PE24Limpeza concorrente da ambulância PE25Limpeza na presença de matéria orgânica

PE26Constatação do óbito pelo médico do SAMU 192

PE27Identifi cação do óbito por equipes do SAMU 192

Protocolo Samu 192 SUPORTE BÁSICO DE VIDA

Sumário

4/8Elaboração: Agosto/2014 Revisão: Fevereiro/2016

Sumário

Protocolo Samu 192 SUPORTE BÁSICO DE VIDA

PE28Código Q e alfabeto fonéticoEm fi nalização PE29Acidente de trabalho com material biológico PE30Acidente de trabalho: outros acidentes (não biológicos) PE31Solicitação de apoio do SAV, SBV e/ou ResgateEm fi nalização PE32Atual BTox 16 PE33Suspeita de maus tratos/abuso/negligênciaEm fi nalização PE34 PE35Anotações na fi cha de atendimentoEm fi nalização PE36Limpeza e desinfecção de equipamentos da ambulância de SBV PE37Interceptação por SAVEm fi nalização

BGO1Assistência ao trabalho de parto não expulsivo BGO2Assistência ao trabalho de parto iminente BGO3Assistência ao parto consumado BGO4Assistência ao trabalho de parto prematuro BGO5Assistência ao parto iminente distócico BGO6 Hemorragia gestacional BGO7 Hemorragia puerperal BGO8Síndromes hipertensivas: pré-eclâmpsia e eclampsia BGO9Trauma na gestanteEm fi nalização BGO10PCR na gestanteEm fi nalização BGO11Hemorragias ginecológicasEm fi nalização BGO12 BGO13 BGO14

5/8Elaboração: Agosto/2014 Revisão: Fevereiro/2016

BPed 1Parâmetros pediátricos BPed 2Avaliação primária do paciente pediátrico (agravo clínico) BPed 3Avaliação secundária do paciente pediátrico (agravo clínico) BPed 4OVACE na criança BPed 5OVACE no bebê BPed 6Parada respiratória (PR) no paciente pediátrico BPed 7PCR e RCP no bebê e na criança BPed 8Cuidados pós-ressuscitação BPed 9Algoritmo geral de RCP pediátrica – Suporte básico BPed 10Assistência ao RN que nasce bem BPed 11Reanimação neonatal BPed 12Choque BPed 13Insufi ciência respiratória aguda BPed 14Rebaixamento do nível de consciência BPed 15Crise convulsiva BPed 16HipotermiaEm fi nalização BPed 17 Hiperglicemia BPed 18Hipoglicemia BPed 19Anafi laxia BPed 20Febre BPed 21Vômitos BPed 22Epistaxe BPed 23Manejo da dor

BPed 24Avaliação primária do paciente pediátrico com suspeita de trauma ou em situação ignorada

BPed 25Avaliação secundária do paciente pediátrico com suspeita de trauma ou em situação ignorada

BPed 26Especifi cidades da criança vítima de traumaEm fi nalização BPed 27Afogamento BPed 28Queimaduras BPed 29Manobras manuais de vias aéreas BPed 30Técnica de ventilação com dispositivo bolsa-valva-máscara (BVM) BPed 31Técnicas básicas de manejo das vias aéreas – Aspiração

BPed 32Técnicas básicas de manejo das vias aéreas - Cânula Orofaríngea (COF) – Guedel

Protocolo Samu 192 SUPORTE BÁSICO DE VIDA

Sumário

6/8Elaboração: Agosto/2014 Revisão: Fevereiro/2016

Sumário

Protocolo Samu 192 SUPORTE BÁSICO DE VIDA

7/8Elaboração: Agosto/2014 Revisão: Fevereiro/2016

BPed 33Colar cervical BPed 34Imobilizações pediátricas BPed 35Imobilização em cadeirinha BPed 36Imobilização em prancha BPed 37KED BPed 38 BPed 39 BPed 40

BTox 1Intoxicações: medidas gerais BTox 2Intoxicação por drogas de abuso BTox 3Intoxicação e abstinência alcoólica BTox 4Inalação de fumaça BTox 5Intoxicação por monóxido de carbono BTox 6Intoxicação por organofosforados e carbamatos BTox 7 BTox 8Intoxicação por plantasEm fi nalização BTox 9Intoxicação por medicamentos depressores BTox 10Exposição a solventes BTox 11Exposição a corrosivos BTox 12 Descontaminação BTox 13Acidentes com Animais Peçonhentos BTox 14Primeiro na Cena com Produtos Perigosos BTox 15Identifi cação do Produto Perigoso BTox 16Produtos Perigosos - Princípios Gerais BTox 17 BTox 18 BTox 19

Protocolo Samu 192 SUPORTE BÁSICO DE VIDA

Sumário

8/8Elaboração: Agosto/2014 Revisão: Fevereiro/2016

PROTOCOLOS SBV - INCIDENTES MÚLTIPLAS VÍTIMAS BMV1Atribuições da primeira equipe a chegar na cena de IMV

BMV2Atribuições da equipe de SBV ao chegar na cena de um IMV em andamento

BMV3Triagem de múltiplas vítimas BMV4Triagem de múltiplas vítimas: crianças BMV5 BMV6 BMV7 BMV9 BMV10

PROTOCOLOS SBV – MOTOLÂNCIA MOTO 1Regras gerais de biossegurança para motolância

MOTO 2Atribuições e responsabilidades específi cas do condutor da motolância

MOTO 3Carta de sinais para deslocamento de motolâncias MOTO 4Regras específi cas de deslocamento da motolância MOTO 5Procedimentos iniciais em caso de acidentes com a motolância MOTO 6Regras gerais para deslocamento de motolâncias em comboio MOTO 7 MOTO 8 MOTO 9

Protocolo Samu 192 SUPORTE BÁSICO DE VIDA

AESP Atividade Elétrica Sem Pulso AM Ambulância APH Atendimento pré-hospitalar AVC Acidente vascular cerebral BVM Bolsa-valva-máscara DEADesfi brilador Externo Automático EAPEdema Agudo de Pulmão ECG Eletrocardiograma EPIEquipamento de proteção individual FV Fibrilação Ventricular HAS Hipertensão arterial sistêmica IAM Infarto agudo do miocárdio IM Intramuscular IO Intraóssea IOT Intubação orotraqueal IV Intravenoso KED Kendrick Extrication Device MI Membros Inferiores MS Membros Superiores

MV Murmúrio vesicular

OVACE Obstrução de vias aéreas por corpo estranho

PASPressão arterial sistólica PADPressão arterial diastólica PCR Parada cardiorrespiratória PR Parada respiratória PIC Pressão intracraniana RCP Ressucitação cardiopulmonar RLRinger lactato

SAMU Serviço de Atendimento Móvel de Urgência

SAMPLASinais vitais, alergias, medicamentos em uso, passado médico, líquidos e alimentos, ambiente.

SatO2Saturação de oxigênio

Lista de Siglas

1/2Elaboração: Agosto/2014 Revisão: Fevereiro/2016

2/2Elaboração: Agosto/2014 Revisão: Fevereiro/2016

SAV Suporte Avançado à Vida SBV Suporte Básico à Vida TAx Temperatura axilar TEP Tromboembolismo Pulmonar TVSPTaquicardia Ventricular Sem Pulso TCE Traumatismo cranioencefálico TRM Traumatismo raquimedular VAVias aéreas 3SSegurança de cena, Segurança do paciente, Biossegurança

Protocolo Samu 192 SUPORTE BÁSICO DE VIDA

Lista de Siglas

SBV Clínico

Quando suspeitar ou critérios de inclusão: Em toda abordagem de pacientes com agravo clínico.

Conduta: 1. Avaliar a responsividade (chamar o paciente) e expansão torácica: • se não responsivo e sem movimentos respiratórios, checar pulso central:

• se pulso ausente, iniciar Protocolo BC5 (PCR); e

• se pulso presente, abrir VA com manobras manuais (hiperextensão da cabeça e elevação do queixo) e iniciar suporte ventilatório Protocolo BC4 (Parada Respiratória). • se não responsivo com movimentos respiratórios: garantir a permeabilidade de via aérea e considerar suporte ventilatório; e • se responsivo, prosseguir avaliação.

2. Avaliar permeabilidade de via aérea (VA) e corrigir situações de risco com: hiperextensão da cabeça e elevação do queixo, cânula orofaríngea, aspiração e retirada de próteses, se necessário.

3Avaliar ventilação:

• padrão ventilatório;

• simetria torácica;

• frequência respiratória; e

• considerar a administração de O 2.

4. Avaliar estado circulatório: • presença de hemorragias externas de natureza não traumática;

• pulsos periféricos ou centrais: frequência, ritmo, amplitude, simetria;

• tempo de enchimento capilar;

• pele: coloração e temperatura; e

• na presença de sangramento ativo, considerar compressão direta, se possível.

5. Avaliar estado neurológico: • Escala de Coma de Glasgow; e

• avaliação pupilar: foto-reatividade e simetria.

BC1 – Avaliação primária do paciente (agravo clínico)

Protocolo Samu 192 Emergências Clínicas

BC1 – Avaliação primária do paciente (agravo clínico)
Adaptações são permitidas de acordo com as particularidades dos serviços

Este protocolo foi pautado nas mais recentes evidências científi cas disponíveis.

(Parte 2 de 4)

Comentários