Introdução à Economia N.Gregory Mankiw - Livro (parte 1) POLITECNICOS.COM.BR

Introdução à Economia N.Gregory Mankiw - Livro (parte 1) POLITECNICOS.COM.BR

(Parte 1 de 7)

INTRODUCT‘OECONOMIA TRADUC.A0 DA 3a EDIC-A0 NORTE-AMERICANA

Dados Internacionais de Catalogacao na Publicagao (CIP)(Camara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Mankiw, N. GregoryIntroducao A economia / N. Gregory Mankiw; [tra-ducao Allan Vidigal Hastings] -- sao Paulo : Cengage Learning, 2009.

Titulo original: Principles of economics5. reimpr. da 1. ed. de 2005.BibliografiaISBN 85-221-0408-5 1. Economia I. Titulo.

04-7356 CDD-330 indices para catalog° sistematico:

1. Microeconomia338.52. Economia330

OD o,cp,E6cfmE()To -5/Y1 irt-i)

N. GREGORY MANKIW Universidade de Harvard

E(-kr) N.h\ P..t CY..VJcp 0E----(-orQc>rA ;c

-. 4) 4,ouP, 2 Sip,A4125 z5\0'1 sk oQx4 - Feozik •

- vpiTuL05 L3,0 ,,, 15 (vi,lp,klui (qu35 \Ai-DADE/0 OU filt,50)t

UMir QUE5/,P0 11155ED:IP 1 ith> Obi2.E al 610e0 El 0 - , 5,,,,50L7p jok.0 4 Elio)•-

?Pn0\) A IS Pjl NA E/jPnE :

INTRODUCAO AcAP CPA PoLi \-1 cp< cArbti l..(4ECONOMIA TRADUCAO DA 3 EDICAO NORTE-AMERICANA

Traducao:

Revisao Tecnica:

Carlos Roberto Martins Passos0(f.C.Economista — USP, pOs-graduado em economia pelo IPE — USP Conferencista e professor, lecionou nos cursos de pos-graduacao das Faculdades Associadas de Sao Paulo — FASP, no curso de pos-graduacao da Faculdade Sao Luis, no MBA em Financas do Ibmec e no IbmecLaw, do Ibmec Educacional.

Diretor da MP Consultores Associados Ltda.

; CENGAGEI Learning.. Australia • Brasil • Japao • Cordia • Mexico • Cingapura • Espanha • Reino Unido • Estados Unidos

I -e-laik./3"s1--- • c)C 61-

7EDP_O coru3Ec-A

Para Catherine, Nicholas e Peter, minhas outras contribuicoes para a proxima geracao

SOBRE 0 AUTOR

N. Gregory Mankiw é professor de Economia da Universidade de Harvard. Estudoueconomia na Universidade de Princeton e no Massachusetts Institute of Technology(MIT). Ja como professor, lecionou macroeconomia, microeconomia, estatistica eprincipios de economia. E ate passou um ver-ao, ha muito tempo, como professor de vela na ilha de Long Beach.0 professor Mankiw é um escritor prolifico e participa reg-ularn-tente de debatesacad'emicos e politicos. Seus trabalhos foram publicados em pericklicos cientificos,con-io o American Econoinic Review, o Journal of Political Economy e o Quarterly Journal of EC0170111iCS, e em veiculos menos aca&micos, como The New York Times, The Financial Times, The Wall Street Journal e Fortune. Ele é tambem autor do sucedido livro-texto de nivel intermediario Macroeconornics (Worth Publishers).

Alem de suas atividades como professor, pesquisador e escritor, o professorMankiw é pesquisador associado do National Bureau of Economic Research, asses-sor do Federal Reserve Bank de Boston e do Cong,ressional Budget Office e mem-bro do comit' de desenvolvimento do exame Advanced Placement* em economia.0 professor Mankiw vive em Wellesley, Massachusetts, com sua mulher e seustr'es filhos.

*NT: Advanced Placement é um programa que permite aos alunos do nivel medio ser instruidosem cursos academicos especificos acima do nivel tipico de escolas do seg-undo grau. Os exames deAdvanced Placement servem para avaliar o desempenho do aluno nesses cursos. Dependendo danota obtida, as materias cursadas podem ser eliminadas do programa universitthio.

Em meus 20 anos de vida estudantil, o curso que mais me animou foram os doissemestres de principios da economia que cursei no primeiro ano de economia dafaculdade. I\Tao 6 exagero dizer que eles mudaram minha vida.Cresci em uma familia que muitas vezes conversava sobre politica durante o jan-tar. Os pros e contras de wirias solucOes para os problemas da sociedade geravamdebates acalorados. Mas, na escola, senti-me inclinado para as ciencias. Enquanto apolitica me parecia vaga, desconexa e subjetiva, a ciencia era analitica, sistematica eobjetiva. Enquanto o debate politico prosseguia sem fim, a ciencia avancava.Meu curso sobre os principios da economia abriu-me os olhos para uma novamaneira de pensar. A economia combina as virtudes da politica e da ciencia. E, naverdade , uma ciencia social. Seu objeto de estudos 6 a sociedade — como as pes-soas optam por levar suas vidas e como interagem umas corn as outras. Mas elaaborda o tema com a imparcialidade de uma ciencia. Trazendo os metodos cienti-ficos para as questoes politicas, a economia tenta progredir em relacao aos desafiosenfrentados por todas as sociedades.Senti-me inclinacio a escrever este livro na esperanca de transmitir um pouco doentusiasmo que senti em meu primeiro curs° de economia. A economia 6 umamateria em que um pouco de conhecimento nos leva por longos caminhos (omesmo nao se pode dizer, por exemplo, do estudo da fisica ou da lingua japonesa).Os economistas tem um jeito tinico de ver o mundo, o qual pode ser ensinado, emgrande parte, em um ou dois semestres. Meu objetivo, neste livro, 6 o de transmi-tir essa forma de pensar para o maior public° possivel e convencer os leitores deque ela ilumina muitas coisas no mundo que estao a nossa volta.Acredito que todos deveriam estudar as ideias fundamentais que a economiatem a oferecer. Um dos objetivos da educacao generalista é dar as pessoas informa-c5es sobre o mundo e, com isso, torna-las melhores cidadas. 0 estudo da economia,como o de muitas outras disciplinas, atende a esse objetivo. Escrever um livro-textode economia 6, portanto, uma gr, ande honra e uma grande responsabilidade. E umamaneira pela qual os economistas podem ajudar a promover um governo melhor eum futuro mais prosper°. Como declarou o gr, ande economista Paul Samuelson:"Nao me interessa quem escreve as leis de um pais ou concebe seus tratados rele-vantes, ciesde que eu possa escrever os livros de economia" que eles utilizam. Para Quem Este Livro Foi Escrito?

E tentador para o economista profissional escrever um livro que aclote o seu pontode vista e enfatize os topicos que fascinam a ele e a outros economistas. Fiz o quepude para nao ceder a essa tentacao. Tentei colocar-me na posicao de alguem quese depara corn a economia pela primeira vez. Meu objetivo é enfatizar o materialque os estudantes deveriam considerar, e efetivamente consideram, interessantesobre o estudo da economia.Um resultado disso é o fato de que este livro 6 mais breve do que muitos outrosusados para introduzir a economia aos alunos. Como estudante, fui (e ainda sou,infelizmente) um leitor lento. Reclamava sempre que um professor nos mandavaler um volume de mil paginas. E claro que minha reacao nao era a unica. 0 poetagrego Calimaco a descreveu em poucas palavras: "Grande livro, grande tedio".Calimaco fez essa observacao em 250 a.C., de modo que provavelmente nao se

referia a um livro-texto de economia, mas o sentimento hoje se repete no mundotodo a cada semestre, quando os alunos tem suas primeiras tarefas de economia.Meu objetivo, neste livro, é evitar essa reacao omitindo os detalhes desnecessariosque distraem os alunos do que realmente importa nas licoes.Outro resultado dessa orientacao para o aluno é que mais contelido deste livro6 dedicado a aplicacoes e a politica — e menos a teoria econOmica formal — do queem muitas outras °bras escritas para o curs° de principios. Em todo o livro, procu-rei voltar-me para as aplicac5es e as questoes politicas sempre que possivel. A maio-ria dos capitulos inclui estudos de caso ilustrando como os principios de economiasao aplicados. Alem disso, os quadros "Noticias" (que sao, em sua maioria, novospara esta edicao) oferecem trechos de artigos de jornais que mostram como asideias economicas lancam luz sobre as questaes que a sociedade enfrenta no dia-a-Apos encerrar seu primeiro curso de economia, os estudantes deverao lidar cornas materias jornalisticas com uma nova perspectiva e maior discernimento. 0 Que Ha de Novo Nesta Edicao?

Aconteceram muitas coisas em todo o mundo desde que escrevi a Ultima edicaodeste livro. Durante os ultimos anos, uma recessao nos Estados Unidos, um novopresidente, um corte de impostos e escandalos contabeis nas corporacoes norte-americana, uma nova moeda na Europa e ataques terroristas alteraram o cenarioeconomic°. Como o ensino da econornia precisa manter-se atualizado com asmudancas que ocorrem no rnundo, esta nova edicao contem diazias de estudos decaso e de quadros novos.Alem de atualizar o livro, tambem refinei sua abrangencia e seu aspect° peda-gogic° coin base em informacoes dadas por rnuitos usuarios da edicao anterior. Hamuitas mudancas, tanto grandes quanto pequenas. Por exemplo, a apresentacaobasica de oferta e demanda do Capitulo 4 foi reorganizada e aprimorada. E estaedicao contem dois novos capitulos. Um deles, sobre as "Fronteiras daMicroeconomia", apresenta aos alunos a economia da informacao assimetrica, aeconomia politica e a economia comportamental. Outro, que trata dos"Instrumentos Basicos das Financas", desenvolve os conceitos de valor presente,gestao de risco e valoracao de ativos (estes dois capitulos so existem na versaocompleta do livro, em 36 capitulos.Ver, a seg,uir, os contornos de cada uma das qua-tro versoes disponiveis). Esses novos capitulos sao opcionais e podem ser puladospelos professores sem que se perca a continuidade. Mas o acrescimo desses tOpi-cos devera proporcionar aos alunos uma melhor compreensao do uso e do objeti-vo da economia.Todas as alteracoes que fiz e muitas outras que considerei foram avaliadas a luzdos beneficios da brevidade. Corno a maioria das coisas que estudamos em econo-mia, o tempo dos alunos 6 um recurs° escasso. Sempre tenho em mente uma frasedo g,rande romancista Robertson Davies: "Uma das coisas mais importantes ao seescrever 6 saber reduzir para nao matar o leitor de tedio". Como Este Livro E Organizado?

Para escrever um livro breve e adequado, precisei considerar novas maneiras deorganizar materiais familiares. 0 que se segue 6 um tour acelerado pelo text°. Espero que ele de aos professores uma visa° de como as pecas se encaixam.

Materiai lntrodutrio0 Capitulo 1, "Dez Principios de Economia", apresenta aos alunos a visão demundo dos economistas. É uma previa de algumas das g-randes ideias que s5orecorrentes na economia, como custo de oportunidade, tomada de decis5es marg,i-nal, o papel dos incentivos, ganhos do comercio e eficiencia das alocaes de mer-cado. Em todo o livro, refiro-me aos Dez Principios de Econonna apresentados noCapitulo 1 regularmente para relembrar os alunos de que essas ideias s-ao o funda-mento de toda a economia. Um icone impresso na margen-1 chama a ateN'ao paraesses principios fundamentais e interligados.0 Capitulo 2,"Pensando como um Economista", examina a n-ianeira como oseconomistas abordam seu campo de estudo. Ele discute o 1.-)apel das hipteses nodesenvolvimento de uma teoria e introduz o conceito de modelo econ8mico.Tambem discute o papel dos economistas na formulao de politicas econ6micas.0 apendice do capitulo oferece uma breve recapitulao sobre como os graficos sousados e como eles podem ter um mau uso.0 Capitulo 3,"Interdependencia e Ganhos Comerciais", apresenta a teoria davantagem con-iparativa. Essa teoria explica por que as pessoas comerciam com seusvizinhos e por que as na0es comercian-i umas com as outras. Grande parte da eco-nomia trata de como as foNas do mercado coordenam muitas decises individuaisde produção e de consumo. Como ponto de particla para essa analise, os alunosveem nesse capitulo como a especializao, a interdependencia e o comerciopodem ser beneficos para todos. As Ferramentas Fundamentais da Oferta e da Demanda

Os tres capitulos seguintes introduzem as ferramentas basicas da oferta e dademanda. 0 Capitulo 4,"As FoNas de Mercado da Oferta e da Demanda", desen-volve a curva de oferta, a curva de demanda e a no-o de equilibrio de mercado. 0Capitulo 5,"Elasticidade e Sua Aplicg-ao", introduz o conceito de elasticidade e outiliza para analisar eventos em tres diferentes mercados. 0 Capitulo 6, "Oferta,Demanda e Politicas do Governo", usa essas ferramentas para examinar os contro-les de preos, como as leis de controle de alugueis, do salario rnínimo e da inciden-cia tributaria.0 Capitulo 7,"Consumidores, Produtores e Eficiencia dos Mercados", estende aanalise da oferta e da demancia com os conceitos de excedente do consumiclor eexcedente do produtor . Comea desenvolvendo a ligação entre a disposio dosconsumidores para pagar e a curva de demanda e a ligação entre os custos de pro-du'ao dos produtores e a curva de oferta. Ent-ao, mostra que o equilffirio de merca-do maximiza a soma dos excedentes do consumidor e do produtor. Assim, os estu-dantes aprendem cedo sobre a eficiencia das aloca5es atraves.do mercado.Os dois capitulos seg-uintes aplicam os conceitos de excedente do consumidor edo produtor a questes de politica. 0 Capitulo 8, "Ai.-)licas5o: Os Custos daTributg-ao", mostra por que os impostos resultam em um peso morto e o quecletermina a inagnitude dessas perdas. 0 Capitulo 9, "Aplicao: ComercioIntemacional", analisa quen-i ganha e quem perde com o comercio intemacional eapresenta o debate sobre politicas comerciais protecionistas. Mais MicroeconomiaTendo examinado por que as aloca(;-(5es pelo mercado são freqi_lentemente deseja-veis, o Iivro passa a considerar como o govemo pode as vezes aprimora-las. 0

Capitulo 10,"Extemalidades", explica como efeitos externos, como a poluicao, porexempla podem fazer com que os resultados do mercado sejam ineficientes e dis-cute possiveis solucoes publicas e privadas para essas ineficiencias. 0 Capitulo 1,"Bens Publicos e Recursos Comuns", trata dos problemas que surgem quandobens, como a defesa nacional, nao tem preco de mercado. 0 Capitulo 12,"0 Projetodo Sistema Tributario", descreve a maneira como o governo levanta a receita neces-saria para pagar pelos bens ptiblicos. Apresenta alguma informacoes institucionaissobre o sistema tributario dos Estados Uniclos e discute como as metas de eficien-cia e eqiiidade entram em jogo ao se moldar um sistema tributario.Os cinco capitulos seguintes examinam o comportamento das empresas e daorganizacao industrial. 0 Capitulo 13, "Os Custos de Producao", discute o que sedeve incluir nos custos das empresas e introduz as curvas de custos. 0 Capitulo 14,"Empresas cm Mercados Competitivos", analisa o comportamento das empresastomadoras de precos e deriva a curva de oferta do mercado. 0 Capitulo 15,"Monopolio", trata do comportamento de uma empresa que seja a iinica vendedo-ra em seu mercado. Discute a ineficiencia da formacao dos precos do monopolista,as possiveis respostas politicas e as tentativas das empresas monopolistas de discri-minar precos . 0 Capitulo 16,"Oligopolio", abrange os mercados em que ha poucosvendedores, usando o dilema dos prisioneiros como modelo para examinar a inte-racao estrategica. 0 Capitulo 17,"Competicao Monopolistica", analisa o comporta-mento num mercado em que muitos vendedores oferecem produtos similaresporem diferenciados. Trata ainda do debate sobre os efeitos da publicidade.Os tres capitulos seguintes apresentam questoes relacionadas aos mercados detrabalho. 0 Capitulo 18,"Os Mercados de Fatores de Producao", enfatiza a ligacaoentre os precos de fatores e a produtiviciade marg,inal. 0 Capitulo 19, "Ganhos eDiscriminacao", discute os determinantes do sal6rio de equilibria incluindo osdiferenciais compensatorios, o capital humano e a discriminacao. 0 Capitulo 20,"Desigualdade de Renda e Pobreza", examina o grau de desig,ualdade na socieda-de americana, visoes alternativas sobre o papel do govern° na alteracao da distri-buicao de renda e varias politicas que tem por objetivo ajudar os membros maispobres da sociedade.Os dois proximos capitulos contem material opcional. 0 Capitulo 21,"A Teoriada Escolha do Consumidor", analisa a tomada de decis5es individual usando res-tricoes orcamentarias e curvas de indiferenca. 0 Capitulo 2, "Fronteiras daMicroeconomia", introduz os tOpicos da informacao assimetrica, da economia poli-tica e da economia comportamental. Muitos professores preferirao pular todo essematerial. Aqueles que decidirem adotar esses topicos poderao optar por recomen-dar esses capitulos antes do ponto cm que aparecem no livro, e eu os escrevi paraconferir flexibilidade aos professores. Macroeconomia

(Parte 1 de 7)

Comentários