Telecurso 2000 - Universo da Mecanica

Telecurso 2000 - Universo da Mecanica

(Parte 1 de 4)

Departamento Regional de São Paulo Universo da mecânica

O Telecurso Profissionalizante foi feito para vocŒ que estÆ à procura de profissionalizaçªo; para vocŒ que estÆ desempregado e precisa aprender uma profissªo; para vocŒ que jÆ estuda e quer aprender mais ou para vocŒ que Ø professor e quer se atualizar.

E, pensando em vocŒ, nós do Telecurso, escolhemos a Ærea de MecânicaMecânicaMecânicaMecânicaMecânica, porque sabemos que Ø a que oferece mais empregos na indœstria. Assim, esperamos aumentar suas oportunidades de se sair bem em sua vida profissional.

Para tornar esse estudo ainda mais fÆcil, os conteœdos da Ærea de Mecânica foram divididos em trŒs blocos:

l Módulo Introdutório lMódulos BÆsicos de Tecnologia l Módulos Instrumentais

Eles sªo independentes entre si e podem ser estudados sozinhos ou na seqüŒncia que vocŒ achar mais interessante.

Assim, o Módulo Introdutório, chamado de O universo da mecânicaO universo da mecânicaO universo da mecânicaO universo da mecânicaO universo da mecânica vai apresentar as possibilidades de exploraçªo do universo que representa a Ærea da Mecânica na produçªo industrial.

Os Módulos BÆsicos de Tecnologia contŒm os conteœdos que se referem às informaçıes necessÆrias ao desenvolvimentos dos conhecimentos bÆsicos relacionados à formaçªo do profissional da Ærea de Mecânica, ou seja:

lProcessos de Fabricaçªo lMateriais, Ensaios dos Materiais lElementos de MÆquinas lTratamento TØrmico lTratamento de Superfícies

Cursos Profissionalizantes

Os Módulos Instrumentais contŒm assuntos que servem de suporte ao conhecimento tecnológico apresentado nos Módulos BÆsicos. Eles sªo:

lLeitura e Interpretaçªo de Desenho TØcnico Mecânico lCÆlculo TØcnico l Normalizaçªo l Metrologia l Manutençªo l Automatizaçªo/Automaçªo

AlØm desses assuntos, foram destacados quatro temas complementares que contŒm temas importantes para a formaçªo de atitudes positivas dentro do ambiente de trabalho e que sªo:

lHigiene e Segurança do Trabalho l Qualidade Ambiental lOrganizaçªo do Trabalho l Qualidade

Esses temas, alØm de terem sido desenvolvidos em aulas específicas, estarªo presentes, sempre que necessÆrio, nas aulas de todos os módulos.

O bom de tudo isso Ø que vocŒ mesmo vai administrar o seu aproveitamento e o seu progresso.

Quando vocŒ sentir que aprendeu o suficiente para obter um certificado, poderÆ prestar um exame no Senai. Se for aprovado, receberÆ o certificado referente à competŒncia adquirida.

Universo da mecânica

Este módulo tem o objetivo de lhe dar uma visªo do universo da mecânica, salientando o desenvolvimento das mÆquinas e dos processos de fabricaçªo ao longo da história do homem.

A primeira unidade procura mostrar como o homem primitivo foi evoluindo a partir do emprego dos primeiros materiais e das primeiras ferramentas e utensílios, melhorando, aos poucos, sua condiçªo de vida.

Na segunda unidade, vocŒ Ø informado de como o homem passou a empregar mÆquinas simples - a alavanca, a roda e o plano inclinado - para deslocar material pesado sem dispender grande esforço muscular.

É importante conhecer os princípios nos quais as mÆquinas simples estªo baseadas. Ao estudar mÆquinas complexas vocŒ descobrirÆ que esses mesmos princípios sªo empregados nelas.

Na terceira unidade, vocŒ vai estudar os mecanismos de transmissªo de força e movimento para compreender como as mÆquinas simples se desenvolveram, dando origem a mÆquinas mais complexas.

Na quarta unidade, sªo apresentadas noçıes e conceitos bÆsicos, relacionados com o desenvolvimento dessas mÆquinas complexas, ou seja, desde a mÆquina-ferramenta atØ as mÆquinas automÆticas, que deram grande impulso à industrializaçªo.

Na quinta unidade, sªo descritos os principais processos de fabricaçªo, usados atualmente. Assim, vocŒ pode ficar com uma noçªo mais clara da indœstria mecânica.

Ao final de cada unidade, vocŒ tem oportunidade de avaliar sua aprendizagem, fazendo os exercícios apresentados e conferindo suas respostas com os gabaritos, no final do volume.

O glossÆrio tem o objetivo de ajudÆ-lo a compreender o significado de alguns termos tØcnicos, usados no decorrer do fascículo. AlØm de enriquecer seu vocabulÆrio, vocŒ poderÆ entender melhor o texto lido.

Com esse conjunto de informaçıes, vocŒ ficarÆ preparado para o estudo da

Mecânica, a ser continuado nas próximas aulas.

AutoriaAutoriaAutoriaAutoriaAutoria Carlos Alberto Gaspar Nivia Gordo

Adaptado de:Adaptado de:Adaptado de:Adaptado de:Adaptado de: Tecnologia Mecânica BÆsica e Materiais - Mundo Mecânico (publicaçªo interna do SENAI-SP), Elaborado por Benedito Carlos Gazzaneo e Maria Rita Aprile.

Comissªo de Planejamento e ElaboraçªoComissªo de Planejamento e ElaboraçªoComissªo de Planejamento e ElaboraçªoComissªo de Planejamento e ElaboraçªoComissªo de Planejamento e Elaboraçªo Arlette A. de Paula Guibert(Coordenaçªo geral) Paulo Antonio Gomes(Coordenaçªo executiva) Adilson Tabain Kole(Coordenaçªo pedagógica) Antonio Scaramboni Carlos Alberto Gaspar CØlia Regina Talavera Celso Di Polito Joel Ferreira Nivia Gordo Regina CØlia Roland Novaes Regina Maria Silva SØrgio Nobre Franco

Organizaçªo do trabalho

Neste módulo, vocŒ vai estudar algumas noçıes bÆsicas de organizaçªo do trabalho.

Na primeira aula Ø analisada a importância do trabalho para o bem de cada um, da sociedade e da naçªo.

Considerando que vocŒ trabalhe numa empresa, seja ela grande ou pequena, Ø feito um estudo do significado de produçªo e de produtividade. VocŒ vai ver que uma empresa pode ter uma boa produçªo, ou seja, uma grande quantidade de produtos, produzidos de forma rÆpida, com baixo custo e de boa qualidade.

Em seguida, Ø feito um estudo de posto de trabalho que Ø a Ærea em que o operÆrio realiza seu trabalho. Neste estudo, vocŒ vai conhecer os princípios de economia de movimentos. Esses princípios facilitam a realizaçªo de um trabalho com menos esforço físico e de forma inteligente.

Na segunda aula, vocŒ encontra informaçıes relativas à simplificaçªo do trabalho que consiste numa sØrie de procedimentos para tornar o mØtodo de trabalho mais simples, mais rÆpido e menos cansativo.

Ainda, Ø feito um estudo do significado de perdasperdasperdasperdasperdas que acontecem devido a desperdíciosdesperdíciosdesperdíciosdesperdíciosdesperdícios de material, de mÆquinas, de tempo e de esforços. Os desperdícios, ou seja, o resultado do que Ø feito sem economia, vªo causar refugosrefugosrefugosrefugosrefugos - peças mal feitas e que nªo podem ser aproveitadas _ e a necessidade de retrabalho, isto Ø, de fazer novamente uma peça que foi feita com erros ou mau acabamento.

Na terceira aula, vocŒ recebe noçıes de como fazer um leiaute ou arranjo físico do local de trabalho. O objetivo desta aula Ø mostrar-lhe como se pode organizar o espaço de trabalho para alcançar maior nível de produçªo e de produtividade, sem excesso de movimentaçªo.

Na quarta aula, vocŒ vai conhecer uma tØcnica chamada “Just-in-time”ou

“Bem-a-tempo”. Essa tØcnica permite à empresa produzir somente o que for pedido e vai ser vendido, portanto, sem correr riscos de prejuízos. Ao mesmo tempo, a tØcnica facilita um trabalho de equipe sendo que uma mesma pessoa pode fazer trabalhos diferentes e, assim, terÆ oportunidade de crescer profissionalmente.

Na quinta aula, sªo descritos dois departamentos - departamento de recursos humanos e departamento de planejamento. O objetivo Ø o de mostrar, numa organizaçªo tradicional de empresa, como os setores ou departamentos se relacionam entre si. ConvØm lembrar que, hoje, esta forma de organizaçªo tem sido substituída por outra, mais moderna, na linha de reengenharia.

No final do livro, vocŒ encontra os gabaritos dos exercícios apresentados no decorrer das aulas. Assim, vocŒ terÆ oportunidade de fixar melhor as informaçıes apresentadas nas aulas.

AutoriaAutoriaAutoriaAutoriaAutoria JosØ Luiz Campos Coelho Nivia Gordo

Comissªo de Planejamento e ElaboraçªoComissªo de Planejamento e ElaboraçªoComissªo de Planejamento e ElaboraçªoComissªo de Planejamento e ElaboraçªoComissªo de Planejamento e Elaboraçªo Arlette A. de Paula Guibert(Coordenaçªo geral) Paulo Antonio Gomes(Coordenaçªo executiva) Adilson Tabain Kole(Coordenaçªo pedagógica) Antonio Scaramboni Carlos Alberto Gaspar CØlia Regina Talavera

Celso Di Polito Joel Ferreira Nivia Gordo Regina CØlia Roland Novaes Regina Maria Silva SØrgio Nobre Franco

Normalizaçªo

Imagine se os fabricantes de lâmpadas fizessem cada uma delas com roscas de tamanhos e tipos diferentes. Antes de comprar uma, vocŒ teria que medir o soquete onde ela seria atarraxada, verificar o tipo de rosca e na loja, procurar a lâmpada que se adequasse à sua necessidade.

Ainda bem que as lâmpadas sªo fabricadas com rosca do mesmo tipo e tamanho! Os fabricantes de soquetes tambØm fabricam os soquetes com as roscas internas do mesmo tipo e tamanho, adequado ao das lâmpadas. Isso acontece graças a um entendimento entre fabricantes de lâmpadas e de soquetes que padronizaram as formas e dimensıes das roscas, ou seja, criaram padrıes comuns para seus produtos.

Assim como os fabricantes de lâmpadas e de soquetes precisaram fazer esse acordo, fabricantes de outros produtos tiveram a mesma necessidade e criaram conjuntos de normas que atendem a diversas necessidades do mundo moderno.

Este curso Ø composto de 4 aulas e vai lhe mostrar como a Normalizaçªo Ø necessÆria e como Ø realizada no Brasil e em outros países. A aula 1 irÆ mostrar como o homem tem se preocupado em estabelecer padrıes e regras atravØs dos tempos. A aula 2 vai tratar do início da Normalizaçªo sistemÆtica e das associaçıes de Normalizaçªo internacionais e nacionais. A aula 3 lhe darÆ informaçıes sobre a Normalizaçªo no Brasil, e sobre a Associaçªo Brasileira de Normas TØcnicas - ABNT. A aula 4 enfocarÆ os atuais objetivos da Normalizaçªo, como por exemplo, segurança e o interesse do consumidor.

Ao tØrmino das aulas 2, 3 e 4 vocŒ encontrarÆ alguns exercícios para ajudÆ- lo a recordar o que foi lido. As respostas estªo nos gabaritos, no final deste livro Se vocŒ errar algum, leia o texto correspondente outra vez.

AutoriaAutoriaAutoriaAutoriaAutoria Celso Di Polito CØlia Regina Talavera

Adaptado de:Adaptado de:Adaptado de:Adaptado de:Adaptado de: Tecnologia Mecânica BÆsica e Materiais - Normalizaçªo (publicaçªo interna do SENAI-SP), elaborada por Benedito Carlos Gazzaneo e Maria Rita Aprile.

Paulo Antonio Gomes(Coordenaçªo executiva)
Adilson Tabain Kole(Coordenaçªo pedagógica)

Comissªo de Planejamento e ElaboraçªoComissªo de Planejamento e ElaboraçªoComissªo de Planejamento e ElaboraçªoComissªo de Planejamento e ElaboraçªoComissªo de Planejamento e Elaboraçªo Arlette A. de Paula Guibert(Coordenaçªo geral) Antonio Scaramboni Carlos Alberto Gaspar CØlia Regina Talavera Celso Di Polito Joel Ferreira

Nivia Gordo Regina CØlia Roland Novaes Regina Maria Silva SØrgio Nobre Franco

Neste módulo vocŒ tem uma visªo do uni-uni-uni-uni-universo da mecânicaverso da mecânicaverso da mecânicaverso da mecânicaverso da mecânica, salientando o desenvolvimento das mÆquinas e dos processos de fabricaçªo, ao longo da história do homem.

A primeira unidade procura mostrar como o homem primitivo foi evoluindo desde o emprego dos primeiros materiais, das primeiras ferramentas e dos primeiros utensílios, melhorando, aos poucos, sua condiçªo de vida.

Na segunda unidade, vocŒ vŒ como o homem passou a empregar mÆquinas simples - a alavanca, a roda e o plano inclinado - para deslocar material pesado sem dispender grande esforço muscular.

É importante conhecer os princípios nos quais as mÆquinas simples estªo baseadas. Ao estudar mÆquinas complexas, vocŒ descobrirÆ que esses mesmos princípios sªo empregados nelas.

Na terceira unidade, vocŒ estuda os mecanismos de transmissªo de força e movimento para compreender como as mÆquinas simples se desenvolveram, dando origem a mÆquinas mais complexas.

Na quarta unidade, sªo apresentadas a vocŒ noçıes e conceitos bÆsicos relacionados ao desenvolvimento dessas mÆquinas complexas, ou seja, desde a mÆquina-ferramenta atØ as mÆquinas automÆticas, que deram grande impulso à industrializaçªo.

Na quinta unidade, estªo descritos os principais processos de fabricaçªo, usados atualmente. Assim, vocŒ pode ficar com uma noçªo mais clara da indœstria mecânica.

Ao final de cada unidade, vocŒ tem oportunidade de avaliar sua aprendizagem, fazendo os exercícios apresentados e conferindo suas respostas com os gabaritosgabaritosgabaritosgabaritosgabaritos, apresentados no final do livro.

O glossÆrio tem o objetivo de ajudÆ-lo a compreender o significado de alguns termos tØcnicos usados no decorrer do livro. AlØm de enriquecer seu vocabulÆ- rio, vocŒ poderÆ entender melhor o texto lido.

Com esse conjunto de informaçıes, vocŒ se prepara para o estudo da mecânica, que continua nas próximas aulas.

Universo da mecânica

Apresentaçªo

AULA 1

Neste módulo vocŒ tem uma visªo do uni-uni-uni-uni-universo da mecânicaverso da mecânicaverso da mecânicaverso da mecânicaverso da mecânica, salientando o desenvolvimento das mÆquinas e dos processos de fabricaçªo, ao longo da história do homem.

A primeira unidade procura mostrar como o homem primitivo foi evoluindo desde o emprego dos primeiros materiais, das primeiras ferramentas e dos primeiros utensílios, melhorando, aos poucos, sua condiçªo de vida.

Na segunda unidade, vocŒ vŒ como o homem passou a empregar mÆquinas simples - a alavanca, a roda e o plano inclinado - para deslocar material pesado sem dispender grande esforço muscular. É importante conhecer os princípios nos quais as mÆquinas simples estªo baseadas. Ao estudar mÆquinas complexas, vocŒ descobrirÆ que esses mesmos princípios sªo empregados nelas.

Na terceira unidade, vocŒ estuda os mecanismos de transmissªo de força e movimento para compreender como as mÆquinas simples se desenvolveram, dando origem a mÆquinas mais complexas.

Na quarta unidade, sªo apresentadas a vocŒ noçıes e conceitos bÆsicos relacionados ao desenvolvimento dessas mÆquinas complexas, ou seja, desde a mÆquina-ferramenta atØ as mÆquinas automÆticas, que deram grande impulso à industrializaçªo.

Na quinta unidade, estªo descritos os principais processos de fabricaçªo usados atualmente. Assim, vocŒ pode ficar com uma noçªo mais clara da indœstria mecânica.

Ao final de cada unidade, vocŒ tem oportunidade de avaliar sua aprendizagem, fazendo os exercícios apresentados e conferindo suas respostas com os gabaritosgabaritosgabaritosgabaritosgabaritos, apresentados no final das cinco aulas.

Com esse conjunto de informaçıes, vocŒ se prepara para o estudo da mecânica, que continua nas próximas aulas.

AUTORIAAUTORIAAUTORIAAUTORIAAUTORIA Carlos Alberto Gaspar Nivia Gordo

Adaptado de:Adaptado de:Adaptado de:Adaptado de:Adaptado de:Tecnologia Mecânica BÆsica e Materiais - Mundo Mecânico (publicaçªo interna do SENAI-SP), elaborado por Benedito Carlos Gazzaneo e Maria Rita Aprile.

Universo da mecânica

Apresentaçªo

1 A U L A

AULA 1

Histórico

HÆ milhares e milhares de anos, o homem fabrica objetos de pedra. Pedras lascadas, pontiagudas, maciças ou finas constituíram as primeiras ferramentas para a fabricaçªo de utensílios.

Idade da pedra

Durante muito tempo, o homem primitivo usou sua própria força muscular juntamente com ferramentas, armas e utensílios rudimentares para satisfazer às suas necessidades.

(Parte 1 de 4)

Comentários