Apostila MPU completa

Apostila MPU completa

(Parte 1 de 13)

Didatismo e Conhecimento

Índice

1 Compreensão e interpretaçãode textos69
2 Tipologia textual21
3 Ortografia oficial87
5 Emprego das classes de palavras34
6 Emprego do sinal indicativo de crase14
7 Sintaxe da oração e do período7
8 Pontuação17
9 Concordância nominal e verbal04
10 Regência nominal e verbal09
1 Significação das palavras18
1 Ambientes Windows XP e Windows 701
Internet/Intranet06
pesquisa10
multimídia (Br.Office e Microsoft Office)18
6 Conceitos básicos de segurança da informação4

INFORMÁTICA 2 Internet e Intranet. 3 Utilização de tecnologias, ferramentas, aplicativos e procedimentos associados a 4 Ferramentas e aplicativos de navegação, de correio eletrônico, de grupos de discussão, de busca e 5 Principais aplicativos comerciais para: edição de textos e planilhas, geração de material escrito e

prerrogativas e vedação01 / 48

1 Ministério Público da União. 1.1 Lei Orgânica do Ministério Público da União (Lei Complementar nº 75, de 20 de maio de 1993). 1.2 Perfil constitucional. 1.3 Conceito. 1.4 Princípios institucionais. 1.5 A autonomia funcional e administrativa. 1.6 A iniciativa legislativa. 1.7 A elaboração da proposta orçamentária. 1.8 Os vários Ministérios Públicos. 1.9 O Procurador-Geral da República: requisitos para a investidura e procedimento de destituição. 1.10 Os demais Procuradores-Gerais. 1.1 Funções institucionais. 1.12 Funções exclusivas e concorrentes. 1.13 Membros: ingresso na carreira, promoção, aposentadoria, garantias,

Ministério Público da União

Didatismo e Conhecimento

Índice

de Revisão: princípios fundamentais01
programáticas02
direitos de nacionalidade; dos direitos políticos03
4 Da organização político-administrativa: das competências da União, Estados, Distrito Federal e Municípios29
5 Da Administração Pública: disposições gerais; dos servidores públicos36
6 Do Poder Executivo: das atribuições e responsabilidades do presidente da república47
7 Do Poder Legislativo: do processo legislativo; da fiscalização contábil, financeira e orçamentária50

1 Constituição da República Federativa do Brasil de 1988, Emendas Constitucionais e Emendas Constitucionais 2 Da aplicabilidade das normas constitucionais: normas de eficácia plena, contida e limitada; normas 3 Dos direitos e garantias fundamentais: dos direitos e deveres individuais e coletivos; dos direitos sociais; dos 8 Do Poder Judiciário: disposições gerais; do Supremo Tribunal Federal; do Conselho Nacional de Justiça; do

Públicas68

Superior Tribunal de Justiça; dos Tribunais Regionais Federais e dos Juízes Federais; dos Tribunais e Juízes do Trabalho; dos Tribunais e Juízes Eleitorais; dos Tribunais e Juízes Militares; dos Tribunais e Juízes dos Estados. 56 9 Das funções essenciais à Justiça: do Ministério Público; da Advocacia Pública; da Advocacia e da Defensoria

1 Administração pública: princípios básicos01
regulamentar; poder de polícia; uso e abuso do poder02
3 Serviços Públicos: conceito e princípios04
vinculação05
5 Contratos administrativos: conceito e características09
6 Lei nº 8.6/93 e alterações09
7 Servidores públicos: cargo, emprego e função públicos4
das penalidades; do processo administrativo disciplinar45
9 Processo administrativo (Lei nº 9.784/9)67

NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO 2 Poderes administrativos: poder vinculado; poder discricionário; poder hierárquico; poder disciplinar; poder 4 Ato administrativo: conceito, requisitos e atributos; anulação, revogação e convalidação; discricionariedade e 8 Lei nº 8.112/90 (regime jurídico dos servidores públicos civis da União) e alterações: Das disposições preliminares; Do provimento, vacância, remoção, redistribuição e substituição. Dos direitos e vantagens: do vencimento e da remuneração; das vantagens; das férias; das licenças; dos afastamentos; das concessões de tempo de serviço; do direito de petição. Do regime disciplinar: dos deveres e proibições; da acumulação; das responsabilidades; 10 Lei nº 8.429/92: das disposições gerais; dos atos de improbidade administrativa. ........................................73

Didatismo e Conhecimento

Índice

finalidades e critérios de departamentalização01
2 Processo organizacional: planejamento, direção, comunicação, controle e avaliação03
administrativa da União; administração direta e indireta; agências executivas e reguladoras05
4 Gestão de processos1
5 Gestão de contratos12
6 Planejamento Estratégico18
7 Noções de processos licitatórios19

1 Características básicas das organizações formais modernas: tipos de estrutura organizacional, natureza, 3 Organização administrativa: centralização, descentralização, concentração e desconcentração; organização

1 Orçamento público01
2 Orçamento público no Brasil02
3 O ciclo orçamentário03
4 Orçamento-programa03
5 Planejamento no orçamento-programa05
6 Orçamento na Constituição da República06
7 Conceituação e classificação de receita pública10
8 Classificação orçamentária de receita pública por categoria econômica no Brasil10
9 Classificação de gastos públicos1
10 Tipos de créditos orçamentários12
1 Lei de Responsabilidade Fiscal - Lei Complementar nº 101/200012
1 Conceitos, importância, relação com os outros sistemas de organização01
gerenciais02
3 Comportamento organizacional: relações indivíduo/organização, motivação, liderança, desempenho03
4 Competência interpessoal04
5 Gerenciamento de conflitos04
6 Clima e cultura organizacional05
7 Recrutamento e Seleção: técnicas e processo decisório06
8 Avaliação de Desempenho: objetivos, métodos, vantagens e desvantagens07
avaliação08

2 A função do órgão de Gestão de Pessoas: atribuições básicas e objetivos, políticas e sistemas de informações 9 Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e 10 Gestão por competências ................................................................................................................................ 09

Didatismo e Conhecimento

Índice

NOÇÕES ADMINISTRAÇÃO DE RECURSOS MATERIAIS01
01
01

2 O gerenciamento da informação e a gestão de documentos: diagnósticos; arquivos correntes e intermediário; 3 Tipologias documentais e suportes físicos: microfilmagem; automação; preservação, conservação e restauração .........................................05

Didatismo e Conhecimento LÍNGUA PORTUGUESA

1 Didatismo e Conhecimento

Tonicidade

Num vocábulo de duas ou mais sílabas, há, em geral, uma que se destaca por ser proferida com mais intensidade que as outras: é a sílaba tônica. Nela recai o acento tônico, também chamado acento de intensidade ou prosódico. Exemplos: café, janela, médico, estômago, colecionador.

O acento tônico é um fato fonético e não deve ser confundido com o acento gráfico (agudo ou circunflexo) que às vezes o assinala. A sílaba tônica nem sempre é acentuada graficamente. Exemplo: cedo, flores, bote, pessoa, senhor, caju, tatus, siri, abacaxis.

As sílabas que não são tônicas chamam-se átonas (=fracas), e podem ser pretônicas ou postônicas, conforme estejam antes ou depois da sílaba tônica. Exemplo: montanha, facilmente, heroizinho.

De acordo com a posição da sílaba tônica, os vocábulos com mais de uma sílaba classificam-se em:

• Oxítonos: quando a sílaba tônica é a última: café, rapaz, escritor, maracujá.

• Paroxítonos: quando a sílaba tônica é a penúltima: mesa, lápis, montanha, imensidade.

• Proparoxítonos: quando a sílaba tônica é a antepenúltima: árvore, quilômetro, méxico.

Os monossílabos, conforme a intensidade com que se proferem, podem ser tônicos ou átonos.

• Monossílabos tônicos são os que têm autonomia fonética, sendo proferidos fortemente na frase em que aparecem: é, má, si, dó, nó, eu, tu, nós, ré, pôr, etc.

• Monossílabos átonos são os que não têm autonomia fonética, sendo proferidos fracamente, como se fossem sílabas átonas do vocábulo a que se apóiam. São palavras vazias de sentido como artigos, pronomes oblíquos, elementos de ligação, preposições, conjunções: o, a, os, as, um, uns, me, te, se, lhe, nos, de, em, e, que.

Acentuação dos Vocábulos Proparoxítonos

Todos os vocábulos proparoxítonos são acentuados na vogal tônica:

• Com acento agudo se a vogal tônica for i, u ou a, e, o abertos: xícara, úmido, queríamos, lágrima, término, déssemos, lógico, binóculo, colocássemos, inúmeros, polígono, etc.

• Com acento circunflexo se a vogal tônica for fechada ou nasal: lâmpada, pêssego, esplêndido, pêndulo, lêssemos, estômago, sôfrego, fôssemos, quilômetro, sonâmbulo etc.

• Acentuam-se também os vocábulos que terminam por encontro vocálico e que podem ser pronunciados como proparoxítonos: área, conterrâneo, errôneo, enxáguam, etc.

Acentuação dos Vocábulos Paroxítonos

Acentuam-se com acento adequado os vocábulos paroxítonos terminados em:

• ditongo crescente, seguido, ou não, de s: sábio, róseo, planície, nódua, Márcio, régua, árdua, espontâneo, etc. • i, is, us, um, uns: táxi, lápis, bônus, álbum, álbuns, jóquei, vôlei, fáceis, etc. • l, n, r, x, ons, ps: fácil, hífen, dólar, látex, elétrons, fórceps, etc. • ã, ãs, ão, ãos, guam, güem: ímã, ímãs, órgão, bênçãos, enxáguam, enxágüem, etc.

Não se acentuam os vocábulos paroxítonos terminados em ens: imagens, edens, itens, jovens, nuvens, etc.

Não se acentuam os prefixos anti, semi e super, por serem considerados elementos átonos: semi-selvagem, super-homem, anti-rábico.

Não se acentuam um paroxítono só porque sua vogal tônica é aberta ou fechada. Descabido seria o acento gráfico, por exemplo, em cedo, este, espelho, aparelho, cela, janela, socorro, pessoa, dores, flores, solo, esforços.

Acentuação dos Vocábulos Oxítonos

Acentuam-se com acento adequado os vocábulos oxítonos terminados em:

• a, e, o,seguidos ou não de s: xará, serás, pajé, freguês, vovô, avós, etc. Seguem esta regra os infinitivos seguidos de pronome: cortá-los, vendê-los, compô-lo, etc. • em, ens: ninguém, armazéns, ele contém, tu conténs, ele convém, ele mantém, eles mantêm, ele intervém, eles intervêm, etc. • a 3ª pessoa do presente do indicativo dos verbos derivados de ter e vir leva acento circunflexo: eles contêm, detêm, obtêm, sobrevêm, etc • éis, éu(s), ói(s): fiéis, chapéu, herói.

Não devem ser acentuados os oxítonos terminados em i(s), u(s): aqui, juriti, juritis, saci, bambu, zebu, puni-los, reduzi-los, etc.

Acentuação dos Monossílabos

Acentuam-se os monossílabos tônicos:

• a, e, o, seguidos ou não de s: há, pá, pé, mês, nó, pôs, etc. • que encerram os ditongos abertos éi, éu, ói: véu, véus, dói, réis, sóis, etc. • acentuam-se os verbos pôr, têm (plural) e vêm (plural) porque existem os homógrafos por (preposição átona), tem (singular) e vem (singular): Eles têm autoridade: vêm pôr ordem na cidade.

Não se acentuam os monossílabos tônicos com outras terminações: ri, bis, ver, sol, pus, mau, Zeus, dor, flor, etc.

2 Didatismo e Conhecimento

Acentuação dos Ditongos

Acentuam-se a vogal dos ditongos abertos éi, éu, ói, quando tônicos: papéis, idéia, estréio, estréiam, chapéu, céus, herói, Niterói, jibóia, sóis, anzóis, tireóide, destrói, eu apóio, eles apóiam, etc.

Estes ditongos não se acentuam quando fechados: areia, ateu, joio, tamoio, o apoio, etc; e quando subtônicos: ideiazinha, chapeuzinho, heroizinho, tireodite, heroicamente, etc.

Não se acentua a vogal tônica dos ditongos iu e ui, quando precedida de vogal: saiu, atraiu, contraiu, contribuiu, distribuiu, pauis, etc.

Desde o dia 01/01/2009 já estão em vigor as novas regras ortográficas da língua portuguesa, por isso temos até 2012 para se “habituar” com as novas regras, pois somente em 2013 que a antiga será abolida.

Segunda ela os ditongos abertos “éi” e “ói” não serão mais acentuados em palavras paroxítonas: assembléia, platéia, idéia, colméia, boléia, Coréia, bóia, paranóia, jibóia, apóio, heróico, paranóico, etc. Ficando: Assembleia, plateia, ideia, colmeia, boleia, Coreia, boia, paranoia, jiboia, apoio, heroico, paranoico, etc.

Nos ditongos abertos de palavras oxítonas terminadas em éi, éu e ói e monossílabas o acento continua: herói, constrói, dói, anéis, papéis, troféu, céu, chapéu.

Acentuação dos Hiatos

A razão do acento gráfico é indicar hiato, impedir a ditongação. Compare: caí e cai, doído e doido, fluído e fluido.

Acentuam-se em regra, o /i/ e o /u/ tônicos em hiato com vogal ou ditongo anterior, formando sílaba sozinhos ou com s: saída (sa-í-da), saúde (sa-ú-de), feiúra (fei-ú-ra), faísca, caíra, saíra, egoísta, heroína, caí, Xuí, Luís, uísque, balaústre, juízo, país, cafeína, baú, baús, Grajaú, saímos, eletroímã, reúne, construía, proíbem, Bocaiúva, influí, destruí-lo, instruí-la, etc.

Não acentua-se o /i/ e o /u/ seguidos de nh: rainha, fuinha, moinho, lagoinha, etc; e quando formam sílaba com letra que não seja s: cair (ca-ir), sairmos, saindo, juiz, ainda, diurno, Raul, ruim, cauim, amendoim, saiu, contribuiu, instruiu, etc.

Coloca-se acento circunflexo na primeira vogal dos hiatos ôo e êe, quando tônica: vôo, vôos, enjôo, abençôo, abotôo, crêem, dêem, lêem, vêem, descrêem, relêem, prevêem, provêem, etc.

Escreveremos sem acento: Saara, caolho, aorta, semeemos, semeeis, mandriice, vadiice, lagoa, boa, abotoa, Mooca, moeda, poeta, meeiro, voe, perdoe, abençoe, etc.

Segundo as novas regras da Língua Portuguesa de 01/01/2009 não se acentuarão mais o “i” e “u” tônicos formando hiato quando vierem depois de ditongo: baiúca, boiúna, feiúra, feiúme, bocaiúva, etc. Ficarão: baiuca, boiuna, feiura, feiume, bocaiuva, etc.

Se a palavra for oxítona e o “i” ou “u” estiverem em posição final o acento permanece: tuiuiú, Piauí. Nos demais “i” e “u” tônicos, formando hiato, o acento continua. Exemplo: saúde, saída, gaúcho. Os hiatos “ôo” e “êe” não serão mais acentuados: enjôo, vôo, perdôo, abençôo, povôo, crêem, dêem, lêem, vêem, relêem. Ficarão: enjoo, voo, perdoo, abençoo, povoo, creem, deem, leem, veem, releem.

Acentuação dos Grupos gue, gui, que, qui

Coloca-se acento agudo sobre o “u” desses grupos, quando é proferido e tônico: averigúe, averigúeis, averigúem, apazigúe, apazigúem, obliqúe, obliqúes, argúis, argúi, argúem, etc.

Quando átono, o referido “u” receberá trema: agüentar, argüir, argüia, freqüente, delinqüência, tranqüilo, cinqüenta, enxagüei, pingüim, seqüestro, etc.

Segundo o decreto de modificação e regulação do

Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, não existe mais o trema em língua portuguesa, apenas em casos de nomes próprios e seus derivados, por exemplo: Müller, mülleriano, etc. Ficarão: aguentar, consequência, cinquenta, quinquênio, frequência, frequente, eloquência, eloquente, arguição, delinquir, pinguim, tranquilo, linguiça.

Acento Diferencial

Emprega-se o acento diferencial (que pode ser circunflexo ou agudo) como sinal distintivo de vocábulos homógrafos, nos seguintes casos:

• pôde (pretérito perfeito do indicativo) para diferenciá-la de pode (presente do indicativo);

• côa(s) (do verbo coar) - para diferenciar de coa, coas (com + a, com + as);

• pára (3ª pessoa do singular do presente do indicativo do verbo parar) - para diferenciar de para (preposição);

• péla, pélas (do verbo pelar) e em péla (jogo) - para diferenciar de pela, pelas (combinação da antiga preposição per com os artigos ou pronomes a, as);

• pêlo, pêlos (substantivo) e pélo (v. pelar) - para diferenciar de pelo, pelos (combinação da antiga preposisão per com os artigos o, os);

• péra (substantivo - pedra) - para diferenciar de pera (forma arcaica de para - preposição);

• pêra (substantivo) para diferenciar de pera (forma arcaica de para - preposição);

• pólo, pólos (substantivo) - para diferenciar de polo, polos (combinação popular regional de por com os artigos o, os);

• pôlo, pôlos (substantivo - gavião ou falcão com menos de um ano) - para diferenciar de polo, polos (combinação popular regional de por com os artigos o, os);

• pôr (verbo) - para diferenciar de por (preposição).

Segundo as novas regras da Língua Portuguesa de 01/01/2009 não existirá mais o acento diferencial em palavras homônimas (grafia igual, som e sentido diferentes) como: pára/para, péla/pela, pêlo/pelo, pêra/pera, pólo/polo, etc. Ficarão: para, pela, pelo, pera, polo, etc.

O acento diferencial ainda permanece no verbo poder (pôde, quando usado no passado) e no verbo pôr (para diferenciar da preposição por). É facultativo o uso do acento circunflexo para diferenciar as palavras forma/fôrma. Em alguns casos, o uso do acento deixa a frase mais clara. Exemplo: Qual é a forma da fôrma do bolo?

3 Didatismo e Conhecimento

Emprego do Til

O til sobrepõe-se às letras “a” e “o” para indicar vogal nasal. Pode figurar em sílaba: tônica: maçã, cãibra, perdão, barões, põe, etc; pretônica: ramãzeira, balõezinhos, grã-fino, cristãmente, etc; e átona: órfãs, órgãos, bênçãos, etc.

Exercícios

01 - (UFES) O acento gráfico de “três” justifica-se por ser o vocábulo: a) Monossílabo átono terminado em ES. b) Oxítono terminado em ES c) Monossílabo tônico terminado em S d) Oxítono terminado em S e) Monossílabo tônico terminado em ES

02 - (UFES) Coloca-se trema sobre o “U” átono (pronunciando), como no vocábulo UNGÜENTO, sempre que estiver. a) no grupo “gu” seguido de “E” nasal. b) No grupo “gu” ou “qu” seguido de E, I, A c) O grupo “gu” seguido de “E” ou “I”. d) Precedido de “g “ou “q “seguido de “E” ou “I” e) Nos grupos de “gu” e “qu”

03 - (UFES) Se o vocábulo CONCLUIU não tem acento gráfico, tal não acontece com uma das seguinte formas do verbo CONCLUIR: a) concluia b) concluirmos c) concluem d) concluindo e) concluas

04 - (Med./Itajubá) Nenhum vocábulo deve receber acento gráfico, exceto: a) sururu b) peteca c) bainha d) mosaico e) beriberi

05 - (Med./ Itajubá) Todos os vocábulos devem ser acentuados graficamente, exceto: a) xadrez b) faisca c) reporter d) oasis e) proteina

06) (UFES) Assinale a opção em que o par de vocábulos não obedece á mesma regra de acentuação gráfica. a) sofismático/ insondáveis b) automóvel/fácil c) tá/já d) água/raciocínio e) alguém/comvém

(Parte 1 de 13)

Comentários