90000006-ebook-pdf - Hortas

90000006-ebook-pdf - Hortas

(Parte 1 de 4)

O produtor pergunta, a Embrapa responde O produtor pergunta, a Embrapa responde

O produtor pergunta, a Embrapa responde

Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

Embrapa Hortaliças Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

Gilmar Paulo Henz Flávia Aparecida de Alcântara

Embrapa Informação Tecnológica

Brasília, DF 2009

Editores Técnicos

Exemplares desta publicação podem ser adquiridos na:

Embrapa Informação Tecnológica Parque Estação Biológica (PqEB), Av. W3 Norte (final) CEP 70770-901 Brasília, DF Fone: (61) 3448-4236 Fax: (61) 3448-2494 w.embrapa.br/liv vendas@sct.embrapa.br

Embrapa Hortaliças Rodovia BR-060, km 9 (Brasília-Anápolis) Caixa Postal 218 Fazenda Tamanduá CEP 70359-970 Ponte Alta, Gama, DF Fone: (61) 3385-9000 Fax: (61) 3556-5744 w.cnph.embrapa.br sac@cnph.embrapa.br

Produção editorial: Embrapa Informação Tecnológica Coordenação editorial: Fernando do Amaral Pereira

Mayara Rosa Carneiro Lucilene Maria de Andrade Supervisão editorial: Erika do Carmo Lima Ferreira

Foto da capa: Fernando Nogueira de Lucena

Revisão de texto: Josmária Madalena Lopes Projeto gráfico da coleção: Mayara Rosa Carneiro Editoração eletrônica: Paula Cristina Rodrigues Franco Ilustrações do texto: Daniel Brito e Tiago P. Turchi Arte-final da capa: Paula Cristina Rodrigues Franco

1ª edição 1ª impressão (2009): 2.0 exemplares

Todos os direitos reservados

A reprodução não autorizada desta publicação, no todo ou em parte, constitui violação dos direitos autorais (Lei nº 9.610).

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP) Embrapa Informação Tecnológica

Hortas : o produtor pergunta, a Embrapa responde / editores técnicos, Gilmar Paulo Henz,

Flávia Aparecida de Alcântara. – Brasília, DF : Embrapa Informação Tecnológica, 2009. 237 p. : il. ; 2 cm – (Coleção 500 perguntas, 500 respostas).

ISBN 978-85-7383-479-6

1. Horta. 2. Cultivo. 3. Hortaliças. I. Henz, Gilmar Paulo. I. Alcântara, Flávia Aparecida de. I. Embrapa Hortaliças. IV. Coleção.

© Embrapa 2009 CDD 635

Autores

Ailton Reis Engenheiro-agrônomo, doutor em Fitopatologia, pesquisador da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Alice Maria Quezado-Duval Engenheira-agrônoma, doutora em Fitopatologia, pesquisadora da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Carlos Alberto Lopes Engenheiro-agrônomo, doutor em Fitopatologia, pesquisador da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Cristina Maria Monteiro Machado Engenheira-química, doutora em Processos Biotecnológicos, pesquisadora da Embrapa Agroenergia, Brasília, DF

Dione Melo da Silva Engenheira-agrônoma, mestre em Extensão Rural, pesquisadora da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Edson Ferreira do Nascimento Engenheiro-agrônomo, extensionista da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Brasília, DF

Flávia Aparecida de Alcântara Engenheira-agrônoma, doutora em Ciência do Solo, pesquisadora da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Francisco Vilela Resende Engenheiro-agrônomo, doutor em Produção Vegetal, pesquisador da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Gilmar Paulo Henz Engenheiro-agrônomo, doutor em Fitopatologia, pesquisador da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Henoque Ribeiro da Silva Engenheiro-agrônomo, doutor em Engenharia Agrícola e Irrigação, pesquisador da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Marina Castelo Branco Engenheira-agrônoma, doutora em Entomologia, pesquisadora da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Neide Botrel Gonçalves Engenheira-agrônoma, doutora em Ciência dos Alimentos, pesquisadora da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Nozomu Makishima Engenheiro-agrônomo, mestre em Extensão Rural, analista da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Nuno Rodrigo Madeira Engenheiro-agrônomo, doutor em Produção Vegetal, pesquisador da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Patrícia Gonçalves B. de Carvalho Bióloga, doutora em Biologia Molecular, pesquisadora da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Paulo Eduardo de Melo Engenheiro-agrônomo, doutor em Genética e Melhoramento de Plantas, pesquisador da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Roberto Guimarães Carneiro Engenheiro-agrônomo, mestre em Extensão Rural, coordenador de Agroecologia da Emater, Brasília, DF

Romério José de Andrade Engenheiro-agrônomo, extensionista da Unidade Local da Emater do Gama, Brasília, DF

Ronaldo Setti de Liz Engenheiro-agrônomo, mestre em Gestão do Solo e Água, assistente da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Ronessa Bartolomeu de Sousa Engenheira-agrônoma, doutora em Solos e Nutrição de Plantas, pesquisadora da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Waldir Aparecido Marouelli Engenheiro agrícola, doutor em Engenharia Agrícola e Biossistemas, pesquisador da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Werito Fernandes de Melo Engenheiro-agrônomo, mestre em Desenvolvimento Sustentável, analista da Embrapa Hortaliças, Brasília, DF

Apresentação

Nos últimos anos, a Embrapa Hortaliças intensificou sua atuação em alguns setores que passaram a ser importantes no cenário hortícola nacional, como o dos produtores familiares e o do público periurbano. As principais atividades da nossa Unidade para esses segmentos são a adaptação de técnicas agrícolas e a transferência de tecnologias.

Este livro é o segundo volume produzido pela Embrapa

Hortaliças para a Coleção 500 Perguntas 500 Respostas. A coleção é um grande sucesso editorial da Embrapa Informação Tecnológica e já teve como tema várias culturas, como arroz, feijão, mandioca, algodão, mamona, manga, banana, abacaxi, caju, mamão, citros, uva e hortaliças orgânicas; e também criações, como gado de leite e de corte, caprinos, ovinos, suínos e búfalos.

Com esta obra, todos os interessados em começar uma horta poderão se beneficiar de um rico conjunto de informações escrito por agrônomos experientes e conhecedores dos diversos temas tratados. Várias perguntas foram obtidas a partir das demandas de produtores e da sociedade em geral, por meio das atividades de transferência de tecnologia da Embrapa Hortaliças e da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater/DF) – dias de campo, visitas técnicas, execução de projetos de pesquisa e atendimento a hortas escolares e institucionais – e das tradicionais consultas e dúvidas recebidas pelo Serviço de Atendimento ao Cidadão, por cartas, correio eletrônico e telefone, entre outros.

Nesta oportunidade, cumprimento os editores pela feliz ideia e pela iniciativa de convidarem os demais autores dos capítulos a colaborarem com seu conhecimento técnico e experiência prática. A dedicação de todos culmina com a publicação deste livro, que certamente despertará o interesse de todos aqueles interessados em cultivar uma horta e colher seu próprio alimento.

Celso Luiz Moretti Chefe-Geral da Embrapa Hortaliças

Introdução Hortaliças Hortas Planejamento Manejo do Solo Insumos e Materiais Escolha das Hortaliças Semeadura Produção de Mudas Tratos Culturais Adubação Irrigação Pragas Doenças Plantas Invasoras Pós-Colheita Processamento Valor Nutricional

13
15
27
39
5
67
79
93
105
117
129
141
165
175
187
201
215

Sumário ........................................................ 229

Introdução

Antes do processo de urbanização, ocorrido no Brasil a partir de 1960, a horta era uma parte fundamental das moradias da zona rural e da cidade. A oferta de alguns alimentos, como frutas e hortaliças, era irregular e sazonal, e as pessoas dedicavam parte de seu tempo a cultivar plantas de seu interesse nos quintais, aproveitando o excedente para fazer conservas e outras formas de processamento pós-colheita. Entretanto, essa prática secular, comum a quase todas as etnias que formaram o povo brasileiro, quase foi perdida por causa da falta de espaço nos centros urbanos e do novo estilo de vida.

Atualmente, produzir seu próprio alimento em pequenas hortas e pomares voltou a ser uma atividade importante, tanto do ponto de vista nutricional e alimentar quanto do da qualidade de vida, por ser uma atividade física e lúdica. Aquele que cultiva seus próprios alimentos de forma adequada não precisa preocupar-se com assuntos complexos, como contaminação microbiológica ou por agrotóxicos, rastreabilidade e consumo de alimentos originados de plantas transgênicas, entre outros, porque tem em suas próprias mãos a opção e a responsabilidade de produzir as hortaliças de forma saudável e isenta de resíduos.

As hortas ultrapassaram as fronteiras dos quintais das casas e passaram a ser parte também das atividades escolares. Podem integrar o ensino de várias matérias, por exemplo, ciências, matemática e até português; além disso, facilitam a socialização. As crianças podem aprender técnicas básicas de agricultura, como a escolha do terreno, o preparo do solo, a semeadura, a irrigação, as capinas, o tutoramento e a colheita das hortaliças. Isso também vale para as hortas institucionais, localizadas nos espaços de empresas, fábricas, casas de repouso, spas, clínicas, hospitais, quartéis e penitenciárias, em que os empregados ou internos podem dedicar-se ao cultivo de parte de seus alimentos, ocupando o corpo e a mente com uma atividade altamente satisfatória. Essa sabedoria antiga de nossos pais e avós deve ser recuperada, mantida e ampliada, porque conecta o ser humano com suas origens.

Este livro pretende contribuir com todos aqueles que desejam aprender mais sobre o universo das hortaliças e seu cultivo em um pequeno espaço, as hortas. O tema foi dividido em 17 capítulos, no formato de perguntas e respostas, em que se incluem uma apresentação geral sobre as hortaliças; os diferentes tipos de hortas e seus objetivos; o planejamento e as etapas para a implementação de uma horta; o manejo e o preparo dos canteiros; os insumos e materiais necessários para uma horta; a seleção das culturas; a semeadura; o preparo das mudas; os tratos culturais básicos, como amarrio e tutoramento; a adubação; a irrigação das plantas; as pragas ou insetos que atacam as plantas; as doenças causadas por fungos, bactérias, nematoides e vírus; as plantas invasoras; a colheita e o manuseio pós-colheita das hortaliças; o processamento caseiro delas; e, por último, suas características nutricionais.

Os autores dos capítulos foram convidados por sua experiência e seu conhecimento técnico dos diversos temas tratados. Com esta publicação, a Embrapa Hortaliças pretende atender a uma demanda cada vez maior, de responsáveis por hortas domésticas e institucionais e de parte do público urbano e dos consumidores, por informações atualizadas sobre técnicas de produção de hortaliças.

1 Hortaliças Gilmar Paulo Henz

O que são hortaliças?

Hortaliça é toda planta de pequeno porte, cultivada em uma horta ou pequeno espaço. Atualmente, algumas hortaliças podem ser cultivadas em grandes áreas, de forma extensiva, como é o caso da cenoura, batata, cebola, tomate para processamento, entre outras.

As hortaliças constituem um grande grupo de plantas alimentares que se caracterizam pelo alto valor nutritivo – principalmente porque contêm vitaminas –, delicado sabor, pequeno porte e rápido crescimento.

Qual a origem da palavra “hortaliça”?

A palavra é originária do latim hortus, que significa horto, pequeno espaço de terreno onde se cultivam plantas próprias de jardim.

Quais são as principais características das hortaliças?

As hortaliças têm as seguintes características: • Consistência macia, não lenhosa.

• Ciclo curto, até 120 dias.

• Exigência de tratos culturais intensivos.

• Cultivo em pequenas áreas.

• Uso de muita mão de obra.

O que são verduras?

São plantas cujas partes comestíveis – folhas, flores, botões ou hastes – são verdes. Assim, são consideradas verduras as hortaliças folhosas – alface, rúcula, couve-chinesa e repolho –, ainda a couve-flor e o brócolis (flores) e o alho-porró (hastes).

O que são legumes?

São frutos típicos das plantas da família das leguminosas, conhecidos popularmente como vagens, que incluem o feijãocomum, o feijão-vagem, a ervilha-comum, a ervilha-torta, a fava, entre outras. Incluem também as hortaliças cujas partes comestíveis são frutos (tomate), sementes (ervilha), raízes (cenoura) e tubérculos (batata).

É errado chamar as hortaliças de verduras e legumes?

Ao pé da letra sim, principalmente de legumes. O termo hortaliças deve ser utilizado em lugar de verduras e legumes, pois é mais abrangente e facilita a comunicação e o entendimento.

O que são hortaliças condimentares?

As hortaliças condimentares são aquelas utilizadas para melhorar o sabor, o aroma ou a aparência dos alimentos. É um grupo muito grande de plantas e inclui hortaliças muito populares, como a salsa, o coentro, a cebolinha, o orégano e o manjericão, entre outras.

O que significa hortifrutigranjeiro?

É um termo amplo, utilizado para se referir a todos os produtos de hortas, pomares e granjas, ou seja, hortaliças, frutas, carnes e ovos, entre outros.

Quantas hortaliças existem?

É difícil determinar com precisão, porque a definição de hortaliça é bem ampla. No Brasil, considera-se que existem mais de 70 espécies de hortaliças cultivadas comercialmente e, portanto, disponíveis nos mercados. A lista é longa, e inclui hortaliças da letra “A”, de abobrinha, à “Y”, de yacón. As mais importantes em termos de área cultivada e volume comercializado são batata, tomate, melão, melancia, cebola, alho, batata-doce e cenoura.

Por que o melão e a melancia são considerados hortaliças?

Do ponto de vista botânico, o melão e a melancia são plantas da família das cucurbitáceas, como a abobrinha, a abóbora, a moranga, o pepino; todas consideradas hortaliças de fruto.

Além disso, são plantas herbáceas, não lenhosas, que tradicionalmente eram cultivadas em hortas ou pequenos espaços. Atualmente, o melão e a melancia são cultivadas em grandes áreas e erroneamente nomeadas frutas, um termo usado para designar os frutos típicos de árvores e arbustos.

O que são hortaliças convencionais?

São aquelas mais conhecidas e consumidas, também importantes do ponto de vista agrícola e comercial. Têm cotação de preços nas centrais atacadistas e normas de classificação, entre outras características. Entre as hortaliças convencionais mais importantes no Brasil, pode-se listar a batata, o tomate, a cebola, o alho, a cenoura, a melancia, o melão e a batata-doce.

O que são hortaliças não convencionais ou alternativas?

São plantas nativas de determinada região ou originárias de outras, que têm importância local e fazem parte da tradição de cultivo e consumo de certas comunidades e povos. São bons exemplos de hortaliças não convencionais o ora-pro-nobis (Minas Gerais), a vinagreira (Maranhão), o jambú (Pará) e a pimentamurupi (Amazonas).

Como podem ser classificadas as hortaliças?

As hortaliças podem ser classificadas de acordo com a parte consumida (folhosas, frutos, raízes ou tubérculos) ou com a semelhança do ponto de vista botânico (flores, folhas e frutos), sendo agrupadas em famílias.

Para que serve a classificação botânica?

A classificação botânica organiza as plantas em grupos e subgrupos, por exemplo, famílias, gêneros e espécies, com nomes específicos em latim, a fim de que cientistas do mundo inteiro utilizem uma linguagem comum, compreensível a todos.

(Parte 1 de 4)

Comentários